A Ford informou que vai cortar cerca de 7 mil empregos até o fim de agosto, o que equivale a 10% da sua força de trabalho. A redução faz parte da reestruturação da fabricante de veículos para economizar 600 milhões de dólares, por volta de 2,5 bilhões de reais por ano.

Cerca de 2.300 funcionários afetados pela medida estão empregados nos Estados Unidos e segundo Jim Hackett, presidente executivo da Ford, os cortes incluem saídas voluntárias e demissões. Em torno de 20% da gerência também deverá deixar seus cargos, com a justificativa de reduzir a burocracia e agilizar as tomadas de decisões no grupo.

A montadora está focada em no desenvolvimento de produtos, como a criação de uma equipe de arquitetura e design de veículos, além maiores investimentos em infotainment (informação mesclada com entretenimento), desenvolvimento de software e eletrificação.

Em abril, Ford, GM e Toyota disseram estar formando um consórcio para elaborar padrões de segurança em carros autônomos, o que pode contribuir nas regulamentações nos Estados Unidos.

De acordo com Michelle Krebs, analista da Autotrader, há um perigo em reduzir muito o número de funcionários e sair de negócios não lucrativos, tanto agora quanto a longo prazo.

Author

Estudante de Jornalismo, apaixonada por política e cultura, seu maior objetivo é viajar pelos quatro cantos do mundo. Ela acredita que todos nós somos únicos e que é possível mudar a vida das pessoas através da educação financeira.

Escrever comentário