Powered by Rock Convert

Com a popularização das compras online, o uso de dinheiro, principalmente em grandes quantias, vem se tornando menos frequente entre cidadãos de todas as classes.

Considerado uma forma prática e segura, o cartão de crédito é a opção mais viável para compras imprevistas, de grande valor ou que precisem ser parceladas.

No entanto, diferente do dinheiro, cartões de crédito possuem taxas e juros, que se não analisados pelo cliente, podem ficar descontrolados e transformarem-se em dívidas.

Taxas e juros cobrados

  • Anuidade: cobrada uma vez no ano, pode ser paga de uma vez ou de forma parcelada, é a taxa por utilizar o cartão
  • Saque: cobrada quando o cliente saca dinheiro através do cartão via canais de atendimento, como caixa eletrônico ou agência
  • Pagamento de contas: cobrada quando o cartão é utilizado para pagar contas ou boletos
  • Avaliação emergencial: cobrada quando o consumidor realiza uma compra de valor acima do limite disponível
  • Segunda via do cartão: caso o cartão seja roubado ou perdido, é cobrado uma taxa pela segunda via, menos quando a perda é por responsabilidade do próprio banco.

Os juros são cobrados quando o cliente não paga o valor inteiro da fatura do cartão de crédito. Caso não consiga nem pagar o valor mínimo estipulado pelo banco, o nome do cliente entra para o SPC/Serasa e é considerado “sujo”.

Dicas para fugir dos juros

Faça uma lista das suas despesas

Coloque no papel tudo o que você planeja gastar no mês, seja compras de supermercado, aluguéis ou contas fixas como água e luz.

Pague sempre a fatura total

Entrar no rotativo do cartão significa acúmulo de juros. Acima de 300% ao ano, eles são somados à quantia que não foi paga.

Não atrase o pagamento

Não pagar a fatura na data correta leva o consumidor direto pro caminho do “rotativo não-regular”, onde os juros chegam a 397,5% ano ano.

O limite do seu cartão não deve ultrapassar 50% do seu salário

Usar o cartão de crédito quando não se tem dinheiro é um risco que deve ser tomado com cuidado. Não se esqueça que a fatura chegará e você precisará de dinheiro para pagá-la.

Cuidado com as parcelas

Ao parcelar, você já tem uma quantia do próximo orçamento comprometida. Se atente para não deixar que as parcelas se acumulem e se transformem em um valor alto.

Faça um empréstimo pessoal

Diferente do rotativo do cartão ou do parcelamento da fatura, o empréstimo pessoal possui juros menores.

Normalmente, o próprio banco fornece o serviço de crédito pessoal, mas há instituições que oferecem taxas inferiores para quem está em um momento de emergência e precisa do dinheiro na conta rapidamente.

Uma dessas instituições é a Ferratum, que tem um formato de empréstimo muito parecido com cartão de crédito, porém com juros menores. Eles oferecem um limite de crédito que pode ser entre R$200 e R$3000 que você pode consumir da forma que precisar. Se você tem o limite de crédito aprovado de R$ 2000, você pode solicitar o empréstimo de qualquer valor dentro desse limite, como por exemplo 500 reais, e você pode pagar esse empréstimo em até 12x. Quando você paga, o crédito volta a ficar disponível para saque.

O processo é fácil e totalmente grátis, com possibilidade do dinheiro entrar na sua conta em poucas horas.

Ação revisional de contrato

Quando os juros são considerados abusivos, é possível entrar com uma ação para solicitar a redução das taxas. O cliente tem direito de negociar com a operadora do cartão para não ficar com sua renda comprometida.

O Supremo Tribunal de Justiça (STJ) considera juros abusivos aqueles que colocam o consumidor em uma desvantagem exagerada. Para você certificar que está sendo vítima de uma cobrança abusiva, basta verificar no contrato a taxa cobrada e comparar com a tabela de taxa média divulgada pelo Banco Central.

Outra dica valiosa é ter o mínimo de cartão possível. Além do risco de acabar no descontrole financeiro, vários cartões trazem mais taxas para pagar e consequentemente, mais atenção na hora de gastar.

Alertas e segurança

  • Nunca forneça o número do seu cartão pelo telefone sem se certificar que é a própria instituição
  • Fique de olho na transação e desconfie se o cartão for passado mais de uma vez na máquina
  • Confira o comprovante e se o cartão devolvido é realmente o seu
  • Para compras online, utilize apenas sites confiáveis e deixe o antivírus atualizado
  • Em caso de perda ou roubo, entre em contato com a fornecedora imediatamente e solicite o bloqueio ou cancelamento do cartão. Também é importante fazer um boletim de ocorrência na delegacia mais próxima ou no site da delegacia do seu estado
  • Não aceite qualquer proposta de empréstimo tentadora. Muitos golpistas criam empresas falsas ou utilizam o nome de grandes instituições para roubar seus dados e te deixar ainda mais no vermelho.
Powered by Rock Convert
Author

Estudante de Jornalismo, apaixonada por política e cultura, seu maior objetivo é viajar pelos quatro cantos do mundo. Ela acredita que todos nós somos únicos e que é possível mudar a vida das pessoas através da educação financeira.

Escrever comentário

Shares