A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou um reajuste nas bandeiras tarifárias nesta terça-feira (21), aumento os custos das bandeiras amarelas e vermelhas para os patamares 1 e 2. O custo da bandeira amarela passou de R$ 1 para R$ 1,50 para cada 100 KWh consumidos, tendo o maior aumento com total de 50%.

As bandeiras são cobradas nas contas de luz e servem para sinalizar o aumento do custo de energia. O patamar 1 da bandeira vermelha, diferentemente da amarela,  passou de R$ 3 para R$ 4 a cada 100 KWh – aumento de 33,3%, e o patamar 2 da mesma bandeira passou nas mesmas circunstancias de R$ 5 para R$ 6 – aumento de 20%.

Segundo André Pepitone, diretor-geral da Aneel, o reajuste irá evitar que a conta da bandeira fique com deficit em 2019, já que nos dois últimos anos a bandeira fechou em deficit R$ 4,4 bilhões em 2017 e em torno de R$ 500 milhões em 2018. Em nota, André disse que os novos valores são mais adequados ao real custo de geração este ano.

Sistema de Bandeiras

O sistema tem por objetivo sinalizar o custo de energia gerada, o que possibilita o consumidor reduzir o uso de energia quando a mesma está mais cara.

O acionamento das bandeiras causa uma cobrança a mais em taxas nas contas de luz, o valor é usado para pagar pela geração de energia  mais cara. Antes do sistema de bandeiras o valor já era cobrado do consumidor, mas contando com o atraso de um ano.

função das bandeiras

Com o sistema, foi permitido uma cobrança mensal das tarifas além de também conseguir avisar ao consumidor de que a energia naquele período estará mais cara que o normal, permitindo assim, que os mesmos reduzam o consumo.

Author

Estudante de Comunicação Social - RTVi, apaixonada pelo mundo do entretenimento, audiovisual e literatura. Acredito que para alcançar a estabilidade que precisamos, a educação financeira é o primeiro passo.

Escrever comentário