Nesta quarta-feira (8), parte dos motoristas do aplicativo Uber aderiram à greve iniciada nos Estados Unidos. O movimento recomendou aos motoristas que desliguem a plataforma entre a 0h de quarta (8) e a 0h de quinta (9).

O motivo inicial da paralisação é pressionar a empresa para que o condutor ganhe mais, em meio à abertura de capital da Uber na Bolsa de Valores. Outras entidades, como a 99, também se uniram à paralisação mundial.

Estados afetados

Além de algumas cidades dos Estados Unidos, Reino Unido e Austrália, no Brasil, os Estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Tocantins, Pernambuco, Espírito Santo e Bahia, confirmaram a participação na greve por motoristas insatisfeitos.

Motivos

A paralisação é motivada por melhores pagamentos aos motoristas. Aumento no valor do quilômetro rodado e queda no valor da taxa cobrada pelo aplicativo por cada corrida, de acordo com os condutores, são pontos chaves para melhoria do serviço.

Segurança também está entre as pautas requeridas. Os grevistas solicitam por um cadastro de passageiros mais rigoroso, com documentos e foto.

Tem motorista disponível?

De acordo com a Associação dos Motoristas de Aplicativo de São Paulo, há condutores satisfeitos com a plataforma e outros que nem sequer sabem da greve. Em algumas cidades, é possível que os passageiros nem sintam os efeitos da paralisação.

Protestos

Organizado pela CoopDrivers, ocorre o principal ato físico, no Vale do Anhangabaú, no centro de São Paulo. Atos em Sorocaba, Limeira, Campinas, Guarulhos, Rio de Janeiro, Recife, Acre, Brasília e Bahia também devem ocorrer.

Author

Estudante de Jornalismo, apaixonada por política e cultura, seu maior objetivo é viajar pelos quatro cantos do mundo. Ela acredita que todos nós somos únicos e que é possível mudar a vida das pessoas através da educação financeira.

Escrever comentário