Se a taxa Selic for mantida a este percentual de 6,5% ao ano, deverá ser a nona manutenção seguida de acordo com o Copom (Comitê de Política Monetária), e permanecerá ao menor patamar da série histórica. A decisão passada pelo Banco Central será tomada e anunciada hoje, quarta-feira (8), por volta das 18h.

A expectativa do mercado financeiro sobre esta decisão é que a taxa básica de juros seja mantida a este percentual estipulado. De acordo com o Banco Central, a taxa Selic possui muitas chances de ser mantida, já que o banco possui a principal missão de  controlar a inflação com base em seu sistema de metas.

O mesmo possui a meta central de inflação este ano em 4,25% com oscilação entre 2,75% e 5,75%.  Quando as metas estão alinhadas com as estimativas para inflação os juros do BC são reduzidos, já quando estão acima do esperado a taxa Selic é elevada.

Histórico

Em outubro de 2012  a abril de 2013 a taxa Selic foi mantida em 7,25% e foi reajustada até chegar em 14,25% em julho de 2015. Já em 2016 com os cortes feitos na Selic a taxa caiu para 14% ao ano.

Esse percentual prevaleceu até 2018 que foi quando a Selic enfrentou o seu mínimo histórico de 6,5% ao ano e deverá ser mantida agora para 2019.

Juros

Segundo o Banco central as taxas de juros cobradas pelas instituições ainda seguem patamares elevados. Em março os juros de operações efetuados por pessoas físicas tiveram soma para 53,7%, já em outras modalidades como cheque especial e cr´edito rotativo os juros permaneceram em cerca de 300% ao ano.

Com as altas taxas de juros cobradas pelas instituições o consumo e o investimento na economia do país acabam sendo inibidos, de acordo com analistas. No ano passado os bancos brasileiros possuíram uma rentabilidade maior referente aos últimos sete anos e obtiveram em consequência o recorde de lucros.

Rendimento na poupança

Se a manutenção dos juros na Selic for confirmada nesta quarta-feira, o rendimento da poupança também deverá permanecer o mesmo. Pela atual regra que se põe vigente desde 2012, os juros da poupança caminham com os juros básicos sempre que a Selic estiver abaixo de 8,5% ao ano.

Sendo assim, há um limite percentual de 70% da Selic na correção anual das cadernetas de acordo com o calculo feito pelo BC. Porém esta norma só é valida para depósitos efetuados a partir de 4 de maio de 2012.

Caso sejam mantidos os juros básicos da economia a 6,5% ao ano, a correção da poupança permanece sendo os 70% deste valor que equivale a um total de 4,55% ao ano sem contar com a Taxa Referencial.

Atualizada: O Copom confirmou que a Selic se manterá em 6,5% ao ano. 

Author

Estudante de Comunicação Social - RTVi, apaixonada pelo mundo do entretenimento, audiovisual e literatura. Acredito que para alcançar a estabilidade que precisamos, a educação financeira é o primeiro passo.

Escrever comentário