Nesta sexta-feira a credenciadora de cartões, Cielo, publicou um anúncio nos jornais defendendo e clamando à criação de um indicador que apresente claramente o custo efetivo total (CET) praticado na indústria das credenciadoras de cartão, da mesma forma que já foi feito no setor bancário. A empresa alega que já entrou em negociação com os órgãos reguladores.

A Cielo, desde o inicio do ano afirma que sua meta é oferecer aos seus clientes o menor custo final dando-lhes liberdade para comparar, de forma clara, o custo total do serviço. Que inclui a compra ou aluguel da maquininha, taxas de desconto e a antecipação de recebíveis da venda.

De acordo com o relatório exibido pela Cielo,  a empresa afirma que apoia tanto o pequeno quanto o grande empreendedor, logo após a Rede e o Itaú terem anunciado medidas específicas para clientes com faturamento em até R$ 30 milhões ao ano. Nesta quinta-feira (2), a ação proveniente da Cielo (CIEL3) caiu em 2,47%.

Author

Estudante de Comunicação Social - RTVi, apaixonada pelo mundo do entretenimento, audiovisual e literatura. Acredito que para alcançar a estabilidade que precisamos, a educação financeira é o primeiro passo.

Escrever comentário