Powered by Rock Convert
Powered by Rock Convert

A relação entre franqueador e franqueado costuma ser simples, especialmente porque há uma série de regras e obrigações estabelecidas para cada um. Você sabe quais são as responsabilidades do franqueado? E as responsabilidades do franqueador?

Saber das regras sobre o assunto é fundamental, especialmente se você for um franqueado. Afinal, esse cuidado vai garantir que seus negócios decolem, inclusive com o auxílio da franchsing. Acompanhe o texto e descubra tudo o que você precisa saber!

Quais são as responsabilidades do franqueado?

Antes de tudo, um franqueado precisa ser um bom gestor. Claro que, para desenvolver seu negócio, ele terá auxílio do dono da marca. Isso facilita o processo, inclusive porque a empresa já possui um plano de negócio estabelecido. Contudo, de nada adianta um ótimo plano, se o franqueado não tiver “talento” empresarial.

Assim, apesar de não estar propriamente entre as responsabilidades do franqueado, é interessante que o gestor tenha uma veia empreendedora. Conhecer o dia a dia de uma empresa e aspectos contábeis, mesmo que de forma básica, é ter maior chance de sucesso. Para isso, aliás, o empresário pode realizar cursos, disponíveis inclusive de forma gratuita pelo Brasil. Organizações como o Sebrae podem ajudar.

A seguir, listamos as responsabilidades do franqueado que adquire uma franchising.

1. Cumprir o contrato

Visando uma relação simples entre franqueador e franqueado, o contrato de uma franquia é completo e detalhado. Nele, ficam listadas as obrigações de ambas as partes, regras para o uso da marca, marketing, metas de resultados e diversos outros. Conhecer cada norma antes da contratação da franquia, e seguir todas as cláusulas, é essencial.

Entre as responsabilidades do franqueado, seguir o acordo é uma das mais importantes. Todo o desenvolvimento da empresa, e até os demais tópicos que serão citados no texto, dependem deste cuidado.

2. Prestar informações sobre o negócio

Ao colocar sua marca sob custódia de outra pessoa, o franqueador deseja que a nova loja se desenvolva. E, principalmente, que se mantenha fiel aos valores e produtos da empresa. Para garantir isso, então, ela solicita dados contínuos sobre a “filial” — dados, estes, que devem ser oferecidos de forma completa pelo franqueado.

Por meio das informações fornecidas, o franqueador pode avaliar os resultados do negócio. Tanto em relação à franquia, quanto considerando todo o espectro do grupo da franchising. Assim, a empresa pode desenvolver novos métodos e aprimorar seus serviços.

3. Coordenar a equipe e operação da unidade

Como citado, ao adquirir uma franquia, o franqueado obtém também o plano de negócio da empresa. Isso significa, inclusive, que ele “herda” o modo de fazer da companhia. Por isso, é fundamental que ele treine a sua equipe de acordo com as diretrizes da franchising. Deve, ainda, coordenar com dedicação o dia a dia do negócio, para que a marca continue a oferecer um bom trabalho.

4. Colaborar para a consolidação da marca

Tal como citado no tópico anterior, o franqueado precisa zelar pela qualidade dos serviços da empresa. Os produtos e serviços comercializados, e o modo de fazer da marca, precisam ser seguidos. Isso independentemente de o empresário concordar ou não com o método.

Afinal, ao assinar o contrato de franquia, ele se comprometeu com todos os seus aspectos. Trabalhar do modo adequado é essencial para tornar a empresa cada vez mais conhecida e reconhecida em seu setor.

Quais são as responsabilidades do franqueador?

1. “Transferir” seu conhecimento

Na hora de garantir que todas as suas franquias sigam o mesmo padrão, o franqueador precisa passar o seu conhecimento para a frente. Não apenas de modo escrito, nas cláusulas do contrato, mas oferecendo treinamento da equipe. É comum, por exemplo, que a franqueadora envie profissionais para uma nova franquia, responsáveis, então, por esses treinamentos.

Powered by Rock Convert

Materiais de capacitação também devem fazer parte “do pacote”. Bem como seus métodos de administração e de gerência da empresa. Tudo isso vai garantir que a “filial” tenha impulso para se desenvolver.

2. Dar suporte ao franqueado

Durante o dia a dia de um negócio, as dúvidas podem surgir. Assim como imprevistos. Por isso, é fundamental que o canal entre franqueado e franqueador esteja sempre aberto.

Deste modo, a “empresa matriz” pode auxiliar no crescimento da sua loja menor, garantindo, ao mesmo tempo, a ampliação da sua marca. Não apenas com os clientes, mas a outros interessados em empreender. Quando uma companhia é reconhecida por seu trabalho, tende a atrair novos empresários, em busca do mesmo projeto de negócio.

Outro tipo de suporte ao franqueado é o marketing. A franqueadora é responsável por todas as campanhas publicitárias da marca. O objetivo deste cuidado é garantir a uniformidade entre todas as “filiais”. Assim, a empresa é mais facilmente reconhecida pelos seus consumidores.

3. Desenvolver e cumprir o contrato

Para garantir tudo citado até aqui, é essencial que o contrato seja bem desenvolvido e seguido pelo franqueador. Mais do que facilitar a relação entre as partes, as cláusulas permitem que o máximo de lucro seja obtido pela dona da marca, mas sempre respeitando o crescimento do empresário iniciante.

Considerando o número de gestores franqueados que a companhia pode contar, o acordo deve ser extremamente detalhado. Deste modo, não ocorrerão problemas que poderiam findar a parceria.

4. Fiscalizar a atuação dos franqueados

As responsabilidades do franqueador precisam sempre incluir o gerenciamento macro das suas filiais. Afinal, é o nome da empresa que está em jogo.

Finalmente, o franqueador precisa fiscalizar o negócio do franqueado. A qualidade dos seus serviços, seus preços, balanços financeiros, opiniões dos consumidores e atuação no dia a dia. Uma franquia deve manter o padrão da franqueadora, em todos os aspectos.

Fiscalizando a “filial”, a empresa “matriz” pode exigir mudanças e/ou a manutenção de algumas práticas. Inclusive, porque, isso afeta a sua marca como um todo.

Quantas vezes você já não ouviu, por exemplo, notícias do mau atendimento em uma franquia? E quantas vezes quem divulgou uma “nota oficial” foi a franqueadora? Essa prática é bastante comum! Qualquer ação pode afetar a empresa de forma geral, e o cuidado do empresário “principal” é redobrado.

As responsabilidades do franqueado e responsabilidades do franqueador não mudam muito. É preciso, apenas, que ambos cumpram o acordado, e trabalhem ao máximo para manter a qualidade e a reputação da empresa. Assim, todos são beneficiados — incluindo as demais filiais da marca.

Agora que você já sabe tanto, pode investir na sua franquia. Seja adquirindo ou criando uma. Qual será a sua nova empresa?

Mais detalhes sobre os termos de Legislação de Franquias, é só clicar aqui.

Powered by Rock Convert

Comentários

Shares