As pessoas que trabalham com registro em carteira de trabalho já estão acostumadas com o desconto do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) discriminado todo mês no holerite. O desconto deste tributo ocorre automaticamente na folha de pagamento de um trabalhador registrado dentro do regime de trabalho da CLT (Consolidação das Leis do Trabalho).

Devido a esse fato, uma pessoa que trabalha por conta própria acaba desconhecendo que pode pagar o INSS como autônomo e que tem direito a aposentadoria por contribuição ou por idade quando for a hora certa. Para as pessoas que trabalham com serviços autônomos como cabeleireiro, vendedor, pintor, diarista, eletricista, ou qualquer outra atividade remunerada, a contribuição autônoma poderá ser feita sem problemas.

Como começar pagar o INSS como autônomo?

O primeiro passo para que sua inscrição seja feita no INSS é se cadastrar no PIS ou NIT. Será através deste processo que o instituto irá reconhecer sua contribuição, podendo assim no futuro ter acesso aos seus benefícios sociais. Caso você nunca tenha trabalhado com registro em carteira, sua inscrição terá que ser feita como filiado na Previdência Social. Não é difícil fazer este cadastro e ele pode ser feito através da internet ou por telefone.

É obrigatório ter 16 anos no mínimo, deixar claro sua atividade remunerada e optar por Contribuinte Individual na hora da inscrição. Através da página www.dataprev.gov.br o trabalhador interessado em contribuir e que nunca teve registro em carteira poderá gerar o seu PIS ou NIT. Também é possível fazer a inscrição através do telefone 135, ou caso preferir, em uma agência conveniada.

Mas se eu já tive minha carteira de trabalho registrada eu tenho um PIS ou NIT?

A resposta é sim. Automaticamente, todos os trabalhadores que fazem parte do regime de trabalho CLT já possuem ou acabam possuindo o PIS ou NIT assim que registram a carteira pela primeira vez. Esse número acaba passando despercebido pelo trabalhador por ser de responsabilidade da empresa contratante cuidar deste processo. O número do PIS fica marcado na primeira página da carteira de trabalho de um cidadão que já foi registrado.

O cartão cidadão também tem o número do PIS expresso na face do cartão, podendo assim o beneficiário dos benefícios sociais ter acesso online e consultar os depósitos e valores a receber sabendo de todas as datas previstas. Se ainda assim você não tiver como verificar o número do seu PIS naquele momento, você tem a opção de acessar o site DATAPREV e fazer uma inscrição. Com os seus dados pessoais, você poderá ter acesso ao número do seu PIS.

Eu posso escolher mais de uma forma de pagar o INSS como autônomo?

Caso você seja autônomo e procure contribuir, você irá se deparar com algumas opções de contribuição. A pessoa autônoma irá se classificar como Contribuinte Individual, sendo que existem vários tipos de contribuição. Essas formas de contribuição são codificadas de forma diferente para cada pagamento, onde ficará expresso na Guia da Previdência Social (GPS) todas as opções de contribuição, especificando seus benefícios após sua aposentadoria.

1007 – Contribuinte Individual com recolhimento mensal:

Trata-se do código mais popular entre os contribuintes individuais. Através desta opção o trabalhador poderá se aposentar futuramente por contribuição ou por ter atingido a idade prevista pelo governo. Existem vários códigos e para cada um deles o contribuinte irá ter acesso a novos valores de contribuição e benefícios. Esteja atento às especificações da cada código na hora de fazer a sua inscrição.

Comentários