Estudar no exterior é o sonho de muitos brasileiros.

Mas este sonho pode ser difícil de se realizar por conta de limitações financeiras.

Ainda assim, com um bom planejamento é possível realizar este sonho. Vamos mostrar 5 formas de estudar no exterior sem muito dinheiro.

Antes de fazer as malas…

Para estudar no exterior dois fatores são fundamentais.

O primeiro é escolher o curso. Há uma variedade enorme de opções. Cursos de idiomas, graduação, pós-graduação, cursos de especialização, são muitas opções.

Em seguida, é preciso decidir qual o país de destino. Estados Unidos, Canadá e Inglaterra são os destinos mais procurados pelos brasileiros. Mas há opções acessíveis em países como Austrália, Nova Zelândia, África do Sul, Malta além dos países europeus.

Verifique o tempo de duração do curso, as opções de acomodação, o material que será utilizado e conheça a cultura e os hábitos da população principalmente no que diz respeito a alimentação, clima e saúde pública.

1 – Au Pair

O Au Pair é um dos programas de intercâmbio mais populares. Embora seja oferecido para ambos os sexos, na imensa maioria são as mulheres que utilizam este programa.

No Au Pair, a estudante se hospeda em uma casa de família e trabalha parte do tempo como babá. Não há custo algum com estadia ou refeições. Os únicos gastos são com deslocamentos, despesas pessoais e as relacionadas ao curso.

O Au Pair é, obrigatoriamente, associado a um curso, geralmente de idiomas.

É preciso ficar atendo ao trabalho da intercambista. As tarefas são somente relacionadas aos cuidados com a(s) criança(s), as refeições devem ser feitas preferencialmente com a família e não deve ser pago nenhum tipo de taxa.

Procure se informar sobre a família, a distância para o curso e as acomodações. O ideal é um quarto privativo, só para você. Tenha sempre em mãos o telefone de um representante da agência de intercâmbio, das autoridades locais (polícia, imigração) e da embaixada brasileira.

2 – Bolsas parciais

Em alguns países, principalmente na Europa, é possível obter bolsas parciais para cursos de pós-graduação ou cursos livres, de especialização.

Mesmo em países em que o inglês não é a língua oficial, há cursos voltados para estudantes de todo o mundo em que são oferecidas bolsas com descontos. Cada universidade tem sua própria programação e é preciso pesquisar bastante.

Algumas universidades brasileiras têm convênio com instituições internacionais e você pode obter a programação, fazer a inscrição e até mesmo tentar algum desconto. Informe-se na universidade onde você fez ou faz a graduação ou pós-graduação.

Algumas instituições podem pedir a realização de um teste ou a apresentação do histórico escolar. Como dissemos, tudo depende muito da instituição e é preciso pesquisar bastante.

3 – Cursos gratuitos na Europa

Na Alemanha há cursos gratuitos de graduação para estudantes estrangeiros, em que as aulas são ministradas em inglês. Também há opção para cursos de pós-graduação. É cobrada uma taxa semestral que varia entre 150 e 200 euros.

A França tem cursos de pós-graduação que custam entre 300 e 500 euros, com aulas em inglês. O governo francês pode pedir garantia de que o estudante conseguirá se manter no país enquanto estuda, a estima de gastos fica entre 400 e 500 euros por mês. O estudante pode trabalhar até 964 horas por ano.

Portugal tem um custo de vida mais em conta, na verdade um dos mais baixos da Europa. Há opções de mestrado que custam entre 700 e 900 euros por ano.

Países como Finlândia e Noruega têm centenas de opções de cursos de pós-graduação gratuitos, com aulas em inglês. Porém, o custo de vida nestes países é muito alto e o clima frio pode ser pouco atrativo para os brasileiros. Os estudantes estrangeiros podem trabalhar por 20 horas por semana.

4 – Destinos alternativos

Dependendo do curso, você pode procurar destinos alternativos, países menos procurados e badalados onde você pode estudar e ter uma experiência cultural inesquecível.

Há opções como cursos de inglês em Malta, um país insular no sul da Europa que tem o inglês como um dos idiomas oficiais (o outro é o maltês). É um destino pouco procurado, mas considerado um lugar bonito, acolhedor e com muita história.

Você também pode optar pela África do Sul ou Austrália.

Na Eslovênia, país que faz fronteira com Croácia e Itália, há centenas de opções de cursos com preços acessíveis e em inglês.

5 – Financiamento

Se os recursos próprios não são suficientes, você pode completar o que falta buscando financiamento.

Uma opção é o financiamento coletivo, em que um projeto é patrocinado por doações em uma plataforma online. As doações podem ser feitas por pagamento com cartão de crédito. Você precisará divulgar sua campanha junto a amigos e parentes, utilizando redes sociais e mensagens por e-mail.

Você também pode buscar financiamento bancários, para comprar passagens aéreas, e pagar com o que recebe trabalhando no exterior. Utilize o câmbio a seu favor, o dólar e o euro valem mais que o real e você pode ganhar com a conversão.

Comentários