Powered by Rock Convert

A Argentina tem sido um destino procurado por muitos brasileiros que desejam morar no exterior. Lá é possível desfrutar tanto de paisagens naturais quanto de cidades cosmopolitas, como Buenos Aires, a capital argentina.

Outro grande atrativo é o fato de as universidades daquele país, sejam elas públicas ou privadas, não adotarem o vestibular como forma de ingresso. Tratam-se de instituições de ensino reconhecidas pela sua qualidade.

Além disso, há a proximidade com o Brasil, o que facilita a visita de parentes e amigos. Não é necessário que eles tirem visto ou passaporte, desde que a estadia no país se dê pelo prazo de até 90 dias, graças a um acordo firmado pelo Mercosul.

Se você ficou interessado, saiba mais sobre quanto custa morar definitivamente na Argentina!

Custo de vida

Quando se fala nos gastos de uma mudança definitiva para outro país, um dos principais fatores a se levar em consideração é o custo de vida. Ele indica quanto é necessário ganhar para se obter um padrão de vida satisfatório.

A Argentina é um dos países mais caros da América Latina, contudo, nos últimos tempos, a moeda argentina tem se desvalorizado. De acordo com o site Numbeo, o poder de compra na Argentina é 29,99% maior do que no Brasil.

Além disso, o salário mínimo argentino é de 10 mil pesos argentinos, cerca de 1.362 reais, de acordo com dados de 2018. A previsão é que o salário mínimo daquele país chegue a 12.500 pesos, ou 1.702,50 reais, no fim do primeiro semestre de 2019.

Moradia

É preciso ter em mente que os gastos com moradia irão variar de acordo com a localização escolhida, se no centro ou no interior.O custo de vida em Buenos Aires, por exemplo, é comparável ao de cidades como São Paulo e Rio de Janeiro.

O aluguel de um apartamento de um quarto no centro pode custar 10.687,94 pesos argentinos, isto é, 1.018,69 reais. Contudo, se esse mesmo apartamento for afastado do centro, esse valor cai para 8.335,14 pesos argentinos, ou seja, 794,44 reais.

Se você for estudante, é possível dividir a moradia ou utilizar uma residência estudantil.

Powered by Rock Convert

Com a moradia, vêm também os gastos domésticos comuns: água, luz, internet. Eles podem chegar a custar 4.286,02 pesos argentinos ou 408,51 reais.

Alimentação

Na Argentina, uma refeição para duas pessoas, com três pratos, em um restaurante mediano, por exemplo, custa 800,00 pesos argentinos ou 76,25 reais.

Já uma lista de compras com itens básicos pode custar cerca de 642,13 pesos argentinos. Dica: como os custos com alimentação variam de acordo com os hábitos alimentares de cada um, para ter uma ideia do quanto gastaria com supermercado na Argentina, você pode entrar em um site daquele país e adicionar itens ao carrinho.

Saúde

Na Argentina, existem três subsistemas de saúde: o público, as obras sociais e o sistema privado.

O sistema público é universal, gratuito, de qualidade e utilizado pela maior parte da população.

Já as obras sociais são um sistema misto, custeado em parte pelo usuário e pelo Estado.Todos aqueles que trabalham regularmente na Argentina têm descontado do seu salário um valor destinado às obras sociais, que irá variar de acordo com a profissão.

Por sua vez, o sistema privado de saúde é totalmente custeado pelo usuário e os valores são variáveis.

Transporte

Ao contrário do Brasil, o transporte público da Argentina é de qualidade e existem muitas linhas de ônibus. Um bilhete pode custar 14,25 pesos argentinos ou 1,36 reais. Já um passe mensal pode custar 600,00 pesos argentinos, isto é, 57,19 reais.

As tarifas de táxi também possuem um valor razoável: elas variam de 35.000 a 195.60 pesos argentinos, isto é, 3,35 a 18,71 reais.

Se você gostou desse conteúdo, acompanhe nossa série de postagens sobre morar no exterior!

Powered by Rock Convert

Comentários

Shares