Powered by Rock Convert
Powered by Rock Convert

Para quem necessita de dinheiro e possui um imóvel quitado, a hipoteca é uma das saídas, mas cuidado esta decisão deve ser bem pensada e planejada.

Ao solicitar um empréstimo ou financiamento, é comum oferecer alguma garantia para que a solicitação seja atendida pela instituição financeira. Este é um meio de garantir que a instituição não ficará no prejuízo caso o solicitante não arque com os pagamentos, pois,  instituição tem o direito de tomar posse do bem dado como garantia.

A principal consequência para o consumidor, é que desta forma as instituições conseguem oferecer valores mais altos e taxas de juros mais baixos, uma vez que a garantia torna a operação mais segura.

O que é a Hipoteca de Imóvel?

A hipoteca (muito confundida com “crédito com garantia de imóvel” ou “refinanciamento imobiliário” devido suas semelhanças), é um tipo de empréstimo no qual o devedor oferece um imóvel como garantia de que o pagamento da dívida está assegurado.

Lembrando que, para isso, é necessário que o imóvel esteja quitado, e em seu nome do solicitante do empréstimo ou financiamento. Outro ponto importante é que o solicitante do empréstimo ou financiamento precisa ter uma comprovação de renda fixa ou bens em seu nome; e o valor emprestado irá equivaler de 50% a 70% do valor do imóvel que está sendo oferecido na hipoteca.

Como é o processo para hipotecar minha casa?

Quando é feito o acordo com a instituição financeira, no qual ambas as partes estão de acordo, o imóvel ainda fica no nome do proprietário, pois dificultaria a retomada do imóvel se não houvesse o pagamento das parcelas.

Caso seja realmente necessário que o imóvel seja tomado pela instituição, tudo será devidamente feito pela forma judicial, o que pode demorar anos.

Se você, como proprietário do imóvel quiser vender a sua casa, não se preocupe que isto pode ser feito. Deve-se levar em consideração que o valor conseguido em razão da hipoteca precisará ser devolvido por completo e de uma só vez.

Quando pedir uma hipoteca?

É mais comum que a hipoteca seja solicitada em três situações distintas, que são:

  • Quando uma pessoa precisa de dinheiro para quitar dívidas de valor alto;
  • Por empreendedores que precisam levantar capital para realizar investimentos em seu negócio;
  • Quando alguém quer comprar um segundo imóvel e não consegue isso através de um financiamento imobiliário tradicional.

No entanto, existem outras situações em que é possível recorrer a hipoteca, como em emergências ou quando o cliente está buscando taxas mais baixas

Qual a diferença entre a hipoteca e o empréstimo com garantia de imóvel?

Em resumo, a principal diferença entre a hipoteca e o emp´réstimo com garantia de imóvel é a alienação fiduciária.

Você já deve ter ouvido falar da hipoteca em filmes, porque essa forma de garantia é muito comum nos Estados Unidos. Já no Brasil, a maioria dos bancos tem deixado de trabalhar com a hipoteca, pois ela envolve muitos trâmites legais que acabam complicando a operação e tornando-a pouco vantajosa.

Dessa forma, os bancos brasileiros passaram a adotar um novo tipo de empréstimo, que é o empréstimo com garantia de imóvel, que conta com o recurso da alienação fiduciária, um tipo de contrato firmado, em que o banco torna-se proprietário indireto da casa até que a dívida seja quitada completamente.

Na hipoteca isso não acontece, o que toma a tomada do bem para fins de quitação no caso de inadimplência mais difícil, pois, para isso, a instituição teria que recorrer judicialmente. Por isso, as taxas de juros de hipotecas podem ser um pouco mais altas do que um refinanciamento.

Assim, o empréstimo com garantia de imóvel tem crescido no Brasil, devido ser uma opção com juros menores em relação às demais opções; embora, essa nova modalidade de empréstimo ainda ser muito confundida com a hipoteca.

Para alavancar seus negócios, é possível fazer a hipoteca de um imóvel.

Empresas que aceitam a hipoteca

São muitas as empresas que permitem que um imóvel seja hipotecado, e portanto são distintas as ofertas de cada uma. Confira abaixo algumas delas:

Valor gerado

As instituições bancárias possuem cada uma as suas regras, porém geralmente a porcentagem varia de 50 a 70 do valor que foi hipotecado.

Na Caixa Econômica Federal, por exemplo, permite que seja cedido até 60% do valor, mas o pagamento deve ser feito até 20 anos (240 parcelas) após conseguir o dinheiro.

Benefícios

Por ser um imóvel que está sendo hipotecado, as taxas de juros das parcelas são menores do que outras modalidades bancárias.

O número de parcelas limite variam de uma agência para outra, então atente-se e procure bem antes de assinar qualquer coisa. Há empresas que aceitam até 30 anos de parcelas, o que torna mais fácil de ser pago.

Powered by Rock Convert

Riscos

Apesar de todos os benefícios, você ainda está hipotecando um imóvel e deve levar em consideração que ele está sendo colocado em risco, que portanto a sua perda é possível.

Veja e organize a sua vida financeira para se assegurar que a sua propriedade não seja tomada, pois por lei o atraso de uma única parcela já garante a tomada do imóvel hipotecado.

Antes de tomar qualquer decisão pense bastante, pois um compromisso desse firmado nos bancos costumam durar anos, como a hipoteca.

3 Dicas de onde Investir sua Hipoteca

Apesar do risco de colocar o imóvel na hipoteca, existem algumas situações em que essa atitude é plausível. Veja abaixo as melhores situações para se fazer uma hipoteca:

1- Ampliação dos negócios

Nesse caso, se a intenção é desenvolver um projeto ou ampliar os negócios próprios, é interessante pensar na possibilidade da hipoteca. Assim, é possível utilizar os recursos para fortalecer a infraestrutura da empresa, como o marketing, ou até mesmo contratar mais funcionários.

2- Reforma da casa

O dinheiro pode ainda ser aplicado na reforma da casa. Dessa forma, o pagador desembolsa um valor para o empréstimo que tem prazos maiores (de até 30 anos) e também conta com taxas mais acessíveis do que as que ocorrem nos juros de cartão de crédito, do cheque especial ou de outros tipos de empréstimo, como o pessoal.

3- Quitação de dívidas mais caras

O dinheiro do refinanciamento pode ser usado para “trocar” as dívidas. Ou seja, quitar uma que contenha maior valor de juros, como cartão de crédito e cheque especial, e concentrar os pagamentos somente no empréstimo.

Vale lembrar que, mesmo com o imóvel dado como garantia, ainda assim o banco fará uma análise de crédito. Em outras palavras, ele irá avaliar se, de fato, o interessado tem condições de arcar com as parcelas. O banco também irá verificar se a pessoa está com o nome sujo.

Caso não haja nenhum empecilho, o empréstimo é liberado e o dinheiro estará disponível. O valor do empréstimo dependerá da avaliação feita pelo banco.

É importante ressaltar que o interessado na hipoteca deve ter plena certeza do comprometimento que está fazendo. Isso porque, caso a dívida não seja paga, os bens envolvidos na hipoteca podem ser tomados pela instituição financeira e levados à leilão.

Isso quer dizer que, caso você deixe de pagar as parcelas, o banco pode tomar o seu imóvel. Por isso, tenha muito cuidado antes de fazer uma hipoteca!

Cuidados necessários ao hipotecar seu imóvel

Um dos países que mais realiza hipotecas são os Estados Unidos. E por isso, ele já sofreu alguns impactos econômicos, causados pelo excesso de hipotecas e, consequentemente, pelos calotes em seus pagamentos. Há alguns anos atrás, esse problema acabou ocasionando, inclusive, uma das piores crises econômicas mundiais. Assim como os demais tipos de empréstimo, a hipoteca possui juros (embora sejam uns dos mais baixos do mercado) e prazo estabelecido para a quitação da dívida. Os juros cobrados variam bastante, ficando entre 12% a 27% ao ano.

Já os prazos, podem ser de até 30 anos. Portanto, é importante estar atento quanto aos juros e ao prazo, que são as características do empréstimo que podem acabar dificultando o pagamento, e consequentemente, levar você à inadimplência. Então fique atento ao valor das parcelas, para que elas caibam no seu orçamento, e também, ao prazo para pagamento, pois, quanto maior o prazo, mais tempo de dívida e mais juros você terá de pagar.

E quem não paga as prestações da hipoteca corretamente, pode perder o imóvel, já que ele vai a leilão para quitar a dívida junto ao banco. E no caso do empréstimo com garantia de imóvel aqui no Brasil, se ocorrer inadimplência, a partir do terceiro mês, os bancos podem executar a alienação fiduciária, que é quando ele toma o imóvel dado como garantia, e embora o proprietário possa usufruir do imóvel, não poderá negociá-lo mais, pois, enquanto houver a dívida, o imóvel é de propriedade indireta do banco.

Não se esqueça de comparar as taxas!

E claro que você deve sempre procurar as menores taxas de juros antes de fazer qualquer empréstimo, mesmo que não seja uma hipoteca!

Para fazer isso, basta entrar no nosso site clicando aqui e preencher com as informações do empréstimo que você quer. Em seguida você pode escolher aquele lugar que te oferece o empréstimo com as menores taxas de juros!

Por hoje é só! Esperamos que tenha gostado do conteúdo!

Fique a vontade para contar suas experiências ou apenas deixar um comentário abaixo. E não deixe de conferir os outros artigos do blog com dicas para organização financeira.

Powered by Rock Convert

Escrever comentário