Quando você começa a adquirir dívidas, a sensação é de desespero porque parece que elas se acumulam cada vez mais. Assim, vai se tornando mais difícil quitar as dívidas, principalmente porque você não sabe o que priorizar.

Porém, existem algumas técnicas que nos ajudam nesta tarefa e tornam possível que, pouco a pouco, consigamos pagar os valores que restam.

O método bola de neve é um deles e, neste artigo, vou te mostrar como usá-lo em seu planejamento financeiro para conseguir sair das dívidas.

Saindo das dívidas: principais métodos

Você pode buscar diversas alternativas para conseguir solucionar a sua situação financeira.

Uma delas é buscar fontes extras de renda vendendo produtos ou oferecendo serviços, por exemplo.

Outra opção é pedir um empréstimo pessoal que tenha juros mais baixos do que as dívidas atuais, ou até negociar com os credores para reduzir o valor ou aumentar o prazo de pagamento.

Método bola de neve: veja como usá-lo para sair das dívidas

Um método motivador que ajuda a ter foco é o bola de neve. Com ele, você impede que as suas dívidas sigam crescendo exponencialmente e consegue, pouco a pouco, quitar as parcelas que ficaram.

Então, veja como usar este método para aplicá-lo em seu planejamento financeiro.

Mapeie todas as suas dívidas da maior para a menor

Primeiramente, mapeie todas as suas dívidas, listando-as da maior para a menor, sejam de empréstimos, cartões de crédito, financiamentos.

Assim, você conseguirá identificar quais despesas têm o menor valor para serem priorizadas.

Organize seu orçamento e corte gastos

Qualquer método só funciona se você tiver foco e disciplina. Neste contexto, corte gastos excessivos, como despesas em restaurantes ou com roupas, por exemplo.

Você precisa conseguir economizar uma quantia ao final de cada mês para ir pagando as parcelas das dívidas sem criar despesas novas.

Negocie a dívida com seus credores

Além disso, negocie essas dívidas com os seus credores. Você pode ter dificuldade em modificar o contrato de um financiamento, mas dívidas com cartões de crédito, por exemplo, costumam ser negociáveis com os bancos.

Uma opção é buscar reduzir o valor, outra é aumentar o prazo de pagamento para arcar com parcelas menores em cada mês.

Pague o valor mínimo de todas as dívidas

Seguindo o método bola de neve, pague o valor mínimo de todas as dívidas. Geralmente, se você não quitar ao menos uma parte mínima da fatura mensal, precisará arcar com juros maiores que cada vez se acumulam mais.

Porém, sugiro que você verifique como funcionam as suas dívidas ativas para avaliar se realmente vale a pena pagar o mínimo de cada uma delas ou adotar outra estratégia mais agressiva.

Quite a menor dívida

Assim, conforme você quitar o valor mínimo de todas as despesas e ainda sobrar uma quantia, pague por completo a menor dessas dívidas, principalmente se ela tiver uma alta taxa de juros.

Com isso, você terá uma dívida a menos, o que já é motivador para seguir pagando as despesas de menor valor até conseguir se livrar de todas as dívidas.

Prós e contras do método bola de neve

Como toda metodologia, existem prós e contras em utilizar o método bola de neve. Veja abaixo as vantagens e desvantagens desse método:

Prós:

  • Você se motiva ao ir conseguindo quitar as dívidas;
  • Quando você paga o valor mínimo das parcelas, reduz a possibilidade de fazer as dívidas crescerem exponencialmente;
  • O método é fácil de ser aplicado e você pode seguir a estratégia sozinho através da análise das dívidas.

Contras:

  • Este método não considera as diferentes taxas de juros aplicadas. Pode ser que a menor dívida seja também a com taxas de juros mais baixas. Assim, poderia valer mais a pena priorizar outro valor;
  • No Brasil, este método não deve ser seguido ao pé da letra sem uma análise prévia para julgar se ele vale a pena, visto que enfrentamos altas taxas de juros e impostos.

Considerações finais

Agora você já sabe como funciona o método bola de neve e como ele pode te ajudar em seu planejamento financeiro para você conseguir se livrar das dívidas.

Assim, siga as nossas dicas, mas não deixe de fazer uma análise prévia para ter a certeza de que implementar este método é a melhor solução financeira em seu caso.

Comentários