A Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) sugeriu que o governo mude sua visão e invista mais direcionadamente no Bolsa Família além de aumentar o limite de renda para as pessoas que se encaixam no programa. A medida tem como objetivo diminuir o índice de pobreza no Brasil.

Em afirmação, a OCDE pontua que com a elevação dos limites de renda no programa do Bolsa Família, que traz o custo de apenas 0,5% no PIB (Produto Interno Bruto) nacional, seria uma forma de ampliação da elegibilidade  e dos benefícios para tirar mais pessoas da pobreza.

A sugestão teve como base o estudo feito pela organização, que reduziu o a projeção de crescimento econômico brasileiro para 1,4% no ano de 2019. Além do Bolsa Família, a OCDE também sugeriu a maior integração na economia global e a diminuição de barreiras administrativas para a entrada no mercado, causando uma possível reforma fiscal.

Pobreza infanto-juvenil passa de 42,9% para 43,4% em 2019

Recessão sem reformas

A OCDE também alerta que com a não aprovação da reforma da previdência, a economia pode entrar em risco e colocar o país para o caminho da recessão já no ano que vem. Em afirmação, a organização expôs que grandes empresas começaram a recuar seus investimentos no país no contexto da incerteza no processo da reforma.

Ainda em pauta, disseram que as relações desafiadoras dentro do plano governamental dificulta ainda mais a construção de um consenso político para reformas fundamentais. Dessa forma, causaria a violação da regra do gasto para 2020 resultando em custos financeiros mais altos e crescimentos mais baixos.

Author

Estudante de Comunicação Social - RTVi, apaixonada pelo mundo do entretenimento, audiovisual e literatura. Acredito que para alcançar a estabilidade que precisamos, a educação financeira é o primeiro passo.

Escrever comentário