Powered by Rock Convert

Toda empresa, em algum momento, vai precisar de recursos financeiros. Seja para honrar compromissos, expandir os negócios ou adquirir equipamentos.

O empréstimo é uma das formas de aporte de recursos mais utilizadas.

Entenda como funciona um empréstimo para pessoa jurídica e analise se é a melhor alternativa para sua empresa.

Empréstimo x financiamento: conheça as diferenças

Há uma diferença entre empréstimo e financiamento e muitas pessoas confundem estas diferentes modalidades.

O empréstimo é o crédito oferecido pelo banco que pode ser usado livremente pela empresa, seja para comprar um bem ou serviço, para honrar compromissos ou como capital de giro.

Já o financiamento é o crédito que tem uma finalidade específica como comprar computadores, máquinas, equipamentos, veículos, imóveis etc.

O dinheiro recebido como empréstimo é utilizado pela empresa da maneira que a mesma acha melhor enquanto no financiamento o dinheiro tem uma finalidade específica e deve ser devidamente comprovada.

O financiamento é feito através de um contrato com cláusulas que especificam o que está sendo adquirido. Além das taxas e prazos, geralmente os contratos de financiamento também tem cláusulas que preveem que no caso de inadimplência o bem adquirido passará a ser propriedade do credor (banco ou instituição financeira), ou seja, há uma garantia caso a empresa deixe de honrar o compromisso.

O empréstimo, por não ter nenhum tipo de garantia como o financiamento, costuma ter taxas mais altas. Alguns bancos oferecem contratos de empréstimo com renovação automática. Já o contrato de financiamento termina com o pagamento da última parcela, exceto nos casos de leasing.

O leasing é uma forma de financiamento em que a empresa paga para utilizar um bem (computador, veículo) e ao final do contrato tem a opção de ficar com o mesmo ou renovar o contrato e adquirir um bem novo.

Empréstimo: qual a finalidade e onde buscar?

Antes de contrair um empréstimo a empresa deve analisar qual a finalidade que será dada ao recurso.

Como o empréstimo é uma operação financeira com taxas altas, a empresa deve calcular o quanto realmente necessita e quais as taxas e prazos oferecidos pelas diversas instituições.

Contrair mais empréstimo do que o necessário pode endividar a empresa desnecessariamente enquanto contrair menos do que o necessário pode levar a contrair mais empréstimos com taxas mais altas.

Por isso, o empréstimo deve fazer parte do plano de negócios da empresa constando na origem de recursos e previsto no orçamento das despesas financeiras.

Os empréstimos são oferecidos pelos bancos e instituições financeiras. Não confunda com recursos de investidores como venture capital (capital de risco) ou investidor-anjo, que fazem aporte de recurso, mas com objetivos específicos como alavancagem dos negócios e participação na empresa.

Veja como funciona um empréstimo para pessoa jurídica e tome a melhor decisão para a sua empresa

Como solicitar um empréstimo

Para obter um empréstimo você terá que abrir uma conta no banco onde pretende obter o recurso.

O banco, por sua vez, exigirá documentos e irá analisar o seu pedido, podendo liberar exatamente o valor solicitado bem como um valor menor ou até mesmo recusar o empréstimo.

Tudo dependerá do relacionamento que a empresa tem com o banco bem como do patrimônio que a mesma possui e apresentou nos documentos.

Os bancos geralmente analisam fatores como tempo de relacionamento, saldo médio da conta, produtos adquiridos (seguros, folha de pagamento), investimentos, empréstimos e financiamentos anteriores.

Também são avaliados os dados da documentação apresentada (Balanço Patrimonial, DRE), o patrimônio da empresa, se a mesma possui restrições, protestos e cheques devolvidos (mesmo que de outros bancos), o porte da empresa (micro, pequena, média, grande) e até mesmo a reputação da mesma.

Os bancos costumam ter uma espécie de sistema de pontuação para avaliar os riscos e definir valores, taxas e prazos.

Os documentos solicitados pelos bancos, geralmente são:

  • Balanço Patrimonial – quando é o primeiro empréstimo, o banco costuma solicitar os últimos 3 balanços dos exercícios anteriores, devidamente assinados. Em alguns casos o banco pode solicitar ainda que o balanço seja auditado.
  • DRE (Demonstrativo do Resultado do Exercício) – assim como com o Balanço, o banco costuma solicitar os últimos 3 (para primeiro empréstimo), devidamente assinados.
  • Balancete analítico – o objetivo deste documento é apresentar a situação do caixa da empresa. Alguns bancos costumam pedir um Balancete parcial, que abrange até o mês anterior ao do pedido do empréstimo.
  • Contrato social – é a “certidão de nascimento” da empresa. O contrato social é importante para o banco porque além de apresentar a finalidade da empresa e o capital inicial investido, traz também informações sobre os sócios e suas respectivas assinaturas e alçadas de aprovação.
  • Outros documentos – o banco pode pedir também documentos como plano de negócios, certidão de negativa de débitos (que comprova que a empresa não tem dívidas tributárias) e até mesmo documentos dos sócios. Tudo depende do relacionamento com o banco.

Geralmente o banco pede cópias autenticadas de documentos como o Balanço, Contrato Social, DRE e documentação dos sócios.

Estes documentos devem ser entregues ao gerente da conta ou alguém indicado por ele. Não entregue documentos para qualquer funcionário mesmo que devidamente identificados.

Como escolher a melhor opção?

Como explicamos anteriormente, a empresa deve realizar uma boa análise antes de decidir captar um empréstimo.

Além do relacionamento com a instituição financeira, deve-se considerar também o custo do empréstimo.

Este custo é definido pelo C.E.T., o Custo Efetivo Total.

Além da taxa de juros, o banco irá repassar os custos de despesas para a realização da operação. Nesta conta entram tributos, tarifas, seguros, custos com registro de contrato, despesas administrativas entre outras. Tudo é somado e repassado para o tomador de empréstimo.

Você pode solicitar o detalhamento do C.E.T. ao banco ou instituição financeira antes de decidir pela contratação e tudo o que for apresentado deverá estar no contrato.

Se você tem um bom relacionamento com um banco, provavelmente o mesmo irá disponibilizar empréstimos que podem ser contraídos automaticamente pelo site. E lembre-se: o cheque especial também é uma forma de empréstimo.

Por isso, analise bem o C.E.T. antes de contratar o empréstimo.

Você também pode contar com sites como o Juros Baixos, que analisa as melhores opções de empréstimo para você.

Powered by Rock Convert

Escrever comentário

Shares