Powered by Rock Convert

O limite do cartão de crédito é uma das melhores facilidades com a qual podemos contar hoje em dia. Além do benefício de não precisar ter dinheiro vivo na carteira o tempo todo, você consegue antecipar compras, pagar possíveis imprevistos, parcelar as compras e também pode controlar melhor os seus gastos acompanhando o extrato da sua fatura.

Isso é, se você não for do time que sai usando o limite do cartão de crédito “como se não houvesse amanhã”, não é mesmo?! É sempre muito importante estar atento ao total gasto, para que ele esteja dentro do seu orçamento.

É possível usar o limite do cartão sem preocupação.

É comum ver pessoas que simplesmente não entendem como o limite funciona e acabam se endividando por pura falta de conhecimento. E por isso, trouxemos uma explicação bem simples e fácil de entender para te ajudar a compreender tudo direitinho, e assim, poder desfrutar de todos os benefícios que o cartão de crédito oferece, sem se enrolar com o seu orçamento.

Entenda o Limite do Cartão de Crédito

É comum que o cartão venha com um limite alto de crédito, pois isso visa ampliar o seu poder de compra.

Porém, precisa ser utilizado com cautela, para você não cair na tentação de comprar só porque há limite disponível, esquecendo do valor total da fatura no final do mês.

Conforme o cartão for utilizado e a fatura paga, o valor pago volta para total de limite disponível, sendo que o cenário perfeito consiste em sempre pagar todo o valor utilizado e, consequentemente, sempre ter limite disponível.

Como é definido o Limite do Cartão de Crédito

A administradora do cartão de crédito faz uma pesquisa para descobrir sua renda, seu vínculo empregatício, e principalmente seu histórico como consumidor e pagador; que vai gerar o famoso “Score” (com base em alguns cálculos estatísticos, há uma pontuação obtida chamada score, e essa pontuação dirá qual a probabilidade de você ser um cliente inadimplente).

Com esse resultado, o seu cartão será ou não aprovado e o limite definido. Esse limite não poderá ser excedido durante a utilização do cartão (e caso utilize o valor total do limite, o cartão será recusado em novas tentativas de compras). Mas, independente do limite, é importante ter em mente que somente uma parte de sua renda poderá ser comprometida com os gastos do cartão de crédito, de modo a não gastar mais do que poderá pagar, e fatalmente entrar no famoso (e terrível!) crédito rotativo.

O que é Crédito Rotativo?

Quando você não consegue pagar todo o valor que veio na sua fatura, e paga somente o mínimo (que corresponde a 15% do valor total da fatura) ou um valor intermediário entre o total e o mínimo, você pagará juros rotativos em sua próxima fatura. Ou seja, serão cobrados juros em cima do valor que você não pagou.

Até Abril desse ano, se pelo segundo mês consecutivo você não pagasse o valor total da fatura, mais juros seriam cobrados, inclusive em cima dos juros que já foram cobrados no mês anterior, e assim todos os meses, até que você quitasse a fatura.

Em resumo, você pagaria juros sobre juros, e com o passar do tempo, o valor total da sua fatura acabaria se tornando muito maior do que o valor das compras que você efetuou, de fato.

Mas, uma nova determinação do Banco Central entrou em vigor em Abril e, agora, o pagamento do valor mínimo da fatura ou de valor intermediário, só poderá ser realizado uma vez. No mês seguinte, o valor total da fatura deverá ser quitado ou parcelado. Ou seja, a operadora do cartão de crédito não poderá mais “rodar” a dívida, diminuindo assim, o potencial endividamento de seus clientes.

A maioria das operadoras de cartão de crédito tendem a ofertar um parcelamento para a quitação da fatura. Porém, sobre esse parcelamento também há incidência de juros, embora costumem ser menores do que os juros do crédito rotativo. Por isso, de qualquer forma é importante ter cautela na utilização do cartão de crédito, ou você pode acabar entrando em uma bola de neve de dívidas.

Cuidado para não perder dinheiro com juros.

A taxa média de juros de utilização do cartão de crédito rotativo para pessoas físicas, está estimada em 363,3% ao ano. Essa taxa está sendo considerada a menor taxa em dois anos, mas ainda assim é “altinha”, você não acha?! Melhor evitá-la.

Em Maio desse ano, a Fecomércio (Federação de Comércio) constatou através de pesquisa realizada, que 57,6% das famílias brasileiras estão endividadas, e, o cartão de crédito é o grande “vilão” em 71,8% desses casos. Por isso, deve-se ficar atento!

Como funciona o cálculo do Limite do Cartão de Crédito

Se o seu cartão tiver R$ 1.000,00 de limite e você utilizar R$ 300,00 á vista, sua fatura virá no valor de R$ 300,00, e enquanto não efetuar o pagamento, seu limite disponível para utilização será de R$ 700,00.

Após pagar a fatura, no entanto, seu limite disponível voltará a ser de R$ 1.000,00.

Supondo então que os R$ 300,00 utilizados foram parcelados em 3 vezes sem juros de R$ 100,00. Em cada uma das próximas três faturas, virá o valor de R$ 100,00 a ser pago, e o limite disponível para utilização aumentará R$ 100,00 a cada mês, conforme os pagamentos das faturas forem efetuados, indo para R$ 800,00 após o pagamento da primeira fatura, para R$ 900,00 após o pagamento da segunda, e, por fim, para R$ 1.000,00 após pagamento da terceira e última fatura.

Consumo consciente

Para que você possa desfrutar dessa grande facilidade que o cartão de crédito trouxe para o mundo moderno, use-o com consciência e responsabilidade, para que o cartão não deixe de ser o seu aliado e se torne um problemão!

Lembre-se que ter um limite de compras disponível deve apenas te oferecer conforto para efetuar e parcelar compras já planejadas, ou possíveis emergências. Pois, o maior erro dos consumidores, tem sido a ilusão de poder de compra que o limite do cartão de crédito pode oferecer.

Gostou de mais essa dica financeira do nosso blog? Então deixe seu comentário e boas compras!

Powered by Rock Convert

Escrever comentário

Shares