Já ouviu falar em transferência de dívidas? Caso você esteja com problemas financeiros, essa pode ser uma boa opção! Por isso, trouxemos uma matéria bem explicativa sobre o tema, para que você saiba como fazer a transferência de dívidas.

É uma triste realidade, mas cada dia mais mais brasileiros estão ficando endividados. Um dos principais fatores que ocasionam essa triste situação é o desemprego, porém, há também quem se descuide na hora de comprar, e principalmente, na hora de utilizar o cartão de crédito.

Portanto, é sempre bom reforçar a importância de ter cautela na hora de efetuar qualquer compra, e ter sempre consciência do quanto cada compra impactará no seu orçamento, e o quanto essa compra é necessária.

A transferência de dívida pode ser uma ótima saída para quem se endividou e está com o orçamento comprometido.

Para que serve a transferência de dívidas

Diante de uma situação de endividamento, uma alternativa que muitas pessoas têm aderido é a transferência de dívidas passíveis de serem transferidas, como é o caso, por exemplo, de financiamentos de veículos ou de imóveis.

Essa transferência funciona da seguinte forma: ao perceber que você não consegue mais arcar com uma certa dívida de financiamento, ou se já está inadimplente e recebendo cobranças da financeira, você pode colocar o bem adquirido à disposição de outras pessoas, com a condição de transferência de dívida.

Para isso, é necessário informar o credor sobre qual é a sua intenção, pois, o mesmo precisa autorizar a transferência. Na transferência, o credor avaliará a pessoa para a qual você quer transferir a dívida, e cobrará algumas tarifas referentes a transferência. Dependendo da quantidade de parcelas que você já pagou, pode ser que o novo credor te reembolse algum valor.

No entanto, dependendo do tempo que você ficou inadimplente e, consequentemente dos juros que estão somados à dívida, pode ser que tudo que você tenha pago até então, tenha sido unicamente para cobrir os juros e, nesse caso, a transferência apenas te livrará da dívida, pois, você não receberá nenhum reembolso pelo que já foi pago.

Há ainda outro tipo de transferência de dívidas, mas que não é tão divulgada pelos bancos. Essa outra transferência ocorre quando você pode transferir a sua dívida de um banco para outro banco, visando ter condições de financiamento melhores, como por exemplo, taxas de juros mais atraentes.

Essa modalidade de transferência de dívidas também é conhecida como portabilidade de financiamento, podendo ocorrer em casos de financiamento de veículos ou de imóveis. Esse tipo de transferência de dívida é atraente no caso em que você está pagando para uma instituição financeira que não esteja sendo vantajosa para você, por estar cobrando muitos juros, ou ainda, por não prestar um bom atendimento.

Desde 2006 o Banco Central autoriza este tipo de trâmite, porém, cabe ao devedor ir atrás dos seus direitos e solicitar a transferência da dívida para outro banco, visto que os bancos não divulgam essa possibilidade de forma alguma, pois, não é interessante para o banco perder os seus clientes para outros bancos.

Como fazer a transferência de dívidas

Se você deseja solicitar a transferência de dívidas para outro credor, é necessário se informar na instituição financeira sobre as condições para este tipo de trâmite. Não são todas as instituições financeiras e nem todos os tipos de financiamento permitem esse tipo de transferência. Por isso, informe-se a respeito junto ao credor, e caso você tenha a autorização para seguir com esse trâmite, o próximo passo é divulgar a intenção de transferência da dívida do seu bem.

Quando você conseguir o novo devedor para assumir a dívida, entre em contato com o credor informando os dados dessa pessoa, para que o credor possa avaliar se a mesma está apta para assumir a sua dívida. Caso seja aprovado, os passos seguintes são os comuns de qualquer trâmite financeiro: pagamento de taxas, assinatura de contratos e transferência de documentos.

Já se você necessita fazer a transferência de dívidas para outro banco, você não precisa da autorização do credor porque isso é um direito seu e nenhum banco pode negar. Fique atento neste caso, para avaliar se realmente vale a pena transferir a dívida para o novo banco que você escolheu, bem como avaliar o CET (Custo Efetivo Total), pois, é esse fator que determina o quanto o seu empréstimo está valendo a pena.

Quanto aos trâmites necessários para a transferência, devem ser integralmente realizados pelo banco, por isso, fique atento caso o banco atual tente dificultar a transferência, pois, isso é um direito seu.

Em ambos os casos de transferência de dívidas, a iniciativa é do credor. Basta procurar a financeira e informar sobre a intenção.

Conclusão

Interessante esse tema, não é mesmo?! Inclusive, muitas pessoas não sabe como fazer a transferência de dívidas, e nem que esse trâmite é possível. Por isso, é bom sempre estar atento sobre os seus direitos.

Entendendo bem como funciona, basta procurar a instituição financeira, e informar a sua necessidade. Lembre-se que esse é um direito seu, e, portanto, ele não pode ser negado. Esperamos que o artigo tenha sido útil, e não se esqueça de deixar aqui os seus comentários e opiniões!

Comentários