CTA para simulação de empréstimo

O mercado de ações é um universo à parte dentro da economia global. Representando uma vivência “fora da caixinha” para o cotidiano da grande população, não é raro encontrar alguém que não tem contato, ou até mesmo, nunca ouviu falar do mercado de capitais.

Afinal, os conceitos do mercado parecem que foram elaborados especialmente para afastar os leigos no assunto, e geram o que podemos chamar de “misticismo da bolsa”. O mercado de ações é realmente um monstro de sete cabeças? Para dar fim a algumas dúvidas e deixar mais claro o que realmente é a bolsa de valores, o Guia do Investidor traz para você três mitos e três verdades sobre o mercado de ações.

Os mitos do mercado

Eu preciso ser rico para investir no mercado de ações?

Quando você imagina um sócio de uma companhia, principalmente as de grande porte, rapidamente imaginamos grandes executivos “engravatados” que frequentam diariamente as esquinas da Faria Lima, um dos maiores centros financeiros do Brasil. No entanto, para se tornar sócio de uma empresa via bolsa de valores, você não precisa ter mais do que algumas dezenas de reais. Em alguns casos, até mesmo alguns centavos.

Atualmente esta mística vem cada vez mais sendo esquecida, com a bolsa de valores sendo “desmistificada” todos os dias por influenciadores financeiros ou até mesmo portais sobre o assunto, como o Guia do Investidor.

O mercado oferece diferentes modalidades de investimentos, que podem ser acessados por qualquer pessoa física de forma online, segura e até mesmo com taxas zero, um dos principais mecanismos das corretoras mais populares para trazer novos investidores para a bolsa.

No entanto, como o mercado de ações apresenta uma rentabilidade diretamente ligada ao quanto você investiu, mesmo que uma ação custe centavos você vai precisar aportar alguns milhares de reais antes de começar a viver desta rentabilidade.

A bolsa de valores é um caça níquel?

Atualmente estamos vendo a explosão de um novo fenômeno na internet. A popularização das casas de apostas digitais vem vendendo “sonhos” para os desavisados de plantão. No entanto, ao contrário desta modalidade de “investimento”, a bolsa de valores não depende do azar para trazer rentabilidade a seus investidores.

Uma ação varia diretamente de forma proporcional ao desempenho financeiro que a empresa que ela representa apresenta ao mercado. Ou seja, as melhores ações são as das melhores empresas, que apresentam as maiores porcentagens de lucro e baixo perfil de endividamento. Mesmo que o mercado seja regido por especulações, a análise fundamentalista garante ao investidor algum tipo de segurança, ao apresentar empresas com desempenho sólido. 

Já ganhei uma vez, vou ganhar de novo?

Quando investidores mais inexperientes resolvem apostar no mercado de ações, um dos comportamentos mais comuns passa por conferir quais foram as ações de maior rentabilidade dos últimos tempos. 

Apesar de uma empresa apresentar um bom desempenho gerar um histórico positivo, nem sempre apostar em uma companhia nesta situação vai te gerar uma garantia de rentabilidade futura. O que inclusive é aviso obrigatório em produtos e serviços de investimento de acordo com a Anbima, órgão supervisor do segmento.

As verdades do mercado

Por outro lado, apesar dos mitos “enganarem” muitos desavisados, ainda existem sim algumas verdades que fazem valer a pena ficar de olho no mercado financeiro. 

É possível analisar uma ação?

A resposta é sim, e existem diferentes formas de se fazer isso. Atualmente no mercado, duas técnicas de análise se destacam, fundamentalista e técnica. 

A primeira leva em consideração indicadores operacionais e de desempenho das companhias listadas em bolsa para revelar quais as melhores opções de investimento do mercado.

Já a análise técnica, busca estudar o comportamento da rentabilidade dos ativos em análise gráfica. Assim, buscando entender pontos de resistência e os melhores momentos para comprar ou vender uma ação. 

Ações te concedem direitos

Além da possibilidade de rentabilidade existente em comprar uma ação de alguma empresa na bolsa de valores, ser “dono” de uma ação te garante uma série de direitos. Afinal, mesmo que em baixa participação, uma ação te dá direito a ser “dono” da empresa. A classe de seu ativo pode te gerar peso votante em assembleia de acionistas, ou até mesmo preferência no recebimento dos lucros da empresa: os famosos dividendos.

Você não precisa investir diretamente em ações para ganhar dinheiro no mercado de capitais

As promessas de rentabilidade são um dos pontos cruciais para trazer novos aspirantes a investidores para o mercado financeiro. No entanto, investir diretamente na bolsa de valores não é o único modo de garantir renda neste universo.

Os profissionais de mercado estão a cada dia sendo mais exigidos em diferentes segmentos. Seja para operar nas mesas de operação da bolsa de valores, ou em especialistas e assessores de investimentos. Com um mercado crescente e a demanda por mão de obra qualificada, novas oportunidades de trabalho sempre estão surgindo.

Escrito por: Leonardo Pereira | Linkedin
Bacharel em Ciências Econômicas, Workaholic do Mercado Financeiro e redator de conteúdo do Guia do Investidor.

Comentários

// Adicionar na ultima linha do footer antes do fechamento do