Ao contrário do que se possa imaginar, é possível investir na Bolsa de Valores, mesmo que você tenha poucos recursos.

Com a tecnologia atual e as plataformas de investimentos disponíveis no mercado, o ato de investir se tornou cada vez mais acessível. Inclusive, sendo um dos processos mais simples dentre todos que o investidor possa encarar.

Não é à toa que a B3, a bolsa de valores brasileira, chegou ao patamar recorde de mais de 4 milhões de investidores pessoa física. Por isso, caso queira entender como investir na Bolsa, mesmo com pouco, então acompanhe o artigo a seguir.

Antes de mais nada

É importante entender que o ato de começar a investir em si, se trata apenas de uma etapa na sua jornada dos investimentos.

Antes de fazer a sua primeira compra de ações, especialistas do mercado normalmente recomendam alguns pré-requisitos para que a experiência inicial não se torne frustrante, afinal, a renda variável pode gerar ganhos ou perdas.

Em primeiro lugar, vale a pena contar com uma reserva de emergência em seus planos. Indo além dos investimentos na Bolsa, ter uma reserva de emergência pode ser uma solução útil para lidar com imprevistos ou perdas. 

Nesse caso, não há um valor exato, mas a recomendação seria um montante equivalente entre 3 a 6 meses de seus custos fixos mensais, lembrando que quanto mais, melhor.

Em seguida, também é necessário dedicar parte do seu tempo para decidir os objetivos em seus investimentos, bem como definir o seu perfil como investidor

Está disposto a escolher opções mais seguras ou mais arriscadas? Seu foco está no curto ou longo prazo? Tem planos para dividendos? Essas e outras perguntas ajudam a traçar sua estratégia.

Além disso, escolher a corretora ideal importa, afinal, cada uma oferece preços e vantagens diferentes. Inclusive, existem ofertas de corretoras taxa zero para acesso a sua plataforma. Portanto, vale a pena pesquisar e comparar algumas opções.

Seguindo essas recomendações, é possível começar a investir de maneira mais “pé no chão”.

Hora de Investir

Depois de escolher a sua corretora ideal, você terá acesso a diversos serviços e ferramentas que plataforma dela oferece. 

Para enviar uma ordem de compra, você deve ir ao Home Broker da sua corretora e fazer o pedido por lá. É nesta área específica que se pode fazer esse tipo operação.

Nesse momento, é preciso saber que o padrão das plataformas em geral são as compras ou vendas por lote. Em outras palavras, um pedido de 1 lote padrão, contém 100 ações; 2 lotes, contém 200 ações, e assim por diante.

Mas caso você não possa, ou não queira comprar exatamente isso, existe a possibilidade de comprar ações fracionadas. Mesmo com um nome específico, o seu significado é bem simples: ao comprar uma quantidade diferente de 1 lote (pode ser entre 1 a 99 ações), você está negociando ações fracionadas. 

E se a compra for de 150 ações, por exemplo? Nesse caso, é necessário fazer duas operações: uma para o lote padrão (100 ações) e outra para o lote fracionado (50 ações). Mas isso pode variar dependendo da plataforma escolhida.

De toda forma, você pode moldar os investimentos dentro dos recursos que detém especialmente para isso. E olhando para as opções disponíveis, existem algumas ações a partir de R$ 1,00 ou menos. Portanto, dar o passo inicial para investir na Bolsa é mais do que possível hoje em dia. 

O ponto principal, independente de possuir pouco ou muito para investir, é sempre buscar ser assertivo nas escolhas. E para isso, estudar os investimentos do seu interesse será a atitude essencial para superar esse desafio.

Texto escrito por Victor Rodrigues

Redator no Guia do Investidor e formado em Economia pela PUC-SP.

Comentários