Qual é a diferença entre juros ao mês e ao ano?

As grandes instituições financeiras atuam dentro do país ofertando vários produtos para seus clientes, com as contas correntes e os produtos de crédito pessoal, onde a empresa fornece ao contratante um dinheiro para ser pago em várias vezes. Entretanto, para lucrar o credor cobra uma taxa, existindo diferença entre juros ao mês e ao ano, que também acontece nos investimentos.

No Brasil, há uma forma de fazer compras onde o cliente que não possui o valor de determinado bem pode efetuar pequenos pagamentos mensais para adquirir aquele produto, o chamado parcelamento, onde também existe a adição de juros. Essa cobrança é algo muito comum e tem modalidade diferentes, de acordo com cada produto.

O que são as taxas de juros?

Salvo que muitas pessoas apenas ignorarem o fato de ser cobrado uma taxa em cima do uso daquele crédito, é extremamente essencial que os clientes tenham o conhecimento sobre esse tipo de negócio, que é muito comum no país. Os juros são bem comuns em produtos como o cheque especial e financiamentos, por exemplo.

Ambas as formas oferecem aos clientes um jeito mais fácil de se fazer compras de alto valor ou de conseguir terminar de pagar uma conta que não fechou naquele mês. Entretanto, para poder utilizar aquele dinheiro extra que o banco oferece ao cliente, a instituição faz uma adição de taxas em cima do tempo de utilização daquele recurso utilizado, que é conhecido como juros.

Existem duas formas bem comuns desse tipo de taxa, a cobrança anualmente e a mensalmente, fazendo com que alguns tenham uma suposição de que a mensal é diferente da anual, pois para efetuar a conta da taxa anual o cliente não tenha apenas que somar todas as cobranças de juros mensais. Isso acaba gerando confusão, onde o cliente acha que as taxas são distintas entre si.

É muito importante que os clientes saibam que esse tipo de taxa é aplicado, também, nos investimentos que os bancos possuem, como as poupanças e CDB (Certificado de Depósito Bancário). Ou seja, a taxa de juros é utilizada para fazer o cálculo dos rendimentos de cada aplicação disponível na instituição financeira, sendo que cada uma possui um tipo de taxa de incidência.

Mesmo não possuindo muita distinção entre as taxas, há uma diferença entre juros ao mês e ao ano, pois os juros cobrados anualmente não são apenas a soma de todas as taxas que foram cobradas durante dos 12 meses do ano. Logo, para entender melhor sobre as diferenças das cobranças de juros é necessário expandir os olhares para além de nossa visão lógica.

Mas afinal, qual a diferença entre juros ao mês e ao ano?

A principal diferença entre ambas taxas de juros está na conta matemática envolvida na soma da cobrança, ou seja, quando o assunto é juros, a conta não é tão simples como parece. A grande maioria utiliza o aprendizado de escola para fazer esse cálculo, sendo assim, o valor final de uma taxa de juros quando cobrado 1% ao mês será de 12% ao ano, o que não acontece.

  • Nessa hipótese, o valor correto da soma seria 12,68%, pois a conta utilizada para estabelecer uma taxa de juros é calculado sempre em cima do valor atual.

Para entender melhor como acontece os rendimentos no mundo dos investimentos, vamos supor que o aplicador inicia sua empreitada fazendo uma aplicação de R$1000,00 em um empreendimento que rende 5% ao mês.

Logo após o primeiro mês, o saldo do investimento será R$1050,00, pois rendeu 5% dos R$1000,00 aplicados incialmente, tendo um crescimento no patrimônio do investidor. A partir do primeiro rendimento que a mudança sofrida na taxa de juros começa, pois ao fim daquele ano, a aplicação terá rendido 79,59%, pois a próxima cobrança de juros será feita em cima do novo valor aplicado.

Em outras palavras, a diferença entre juros ao mês e ao ano está na base do valor utilizado para o cálculo, que muda de acordo com a incidência dos juros.

  • Salvo que muitas pessoas apenas ignorarem o fato de ser cobrado uma taxa em cima do uso daquele crédito, é extremamente essencial que os clientes tenham o conhecimento sobre esse tipo de negócio, que é muito comum no país.Ou seja, no próximo mês, serão cobrados os juros de 5% em cima do valor de R$1050,00, totalizando R$1102,50 aplicado após o segundo mês

Escrever comentário

Shares