Powered by Rock Convert

Penhor: Onde e como fazer?

Preparamos um guia para ajudá-lo a entender como e onde fazer o penhor de bens.

O penhor de bens (ou penhora) é uma maneira rápida e pouco burocrática para quem está precisando de dinheiro rapidamente.

  • No Penhor não é necessário comprovação de renda, e o montante é liberado quase imediatamente.

Mesmo com essas vantagens, é importante ficar atento com algumas questões. É necessário encontrar uma casa de penhor confiável, e ainda assegurar-se de que será possível pagar a dívida no prazo para não perder o bem que deu como garantia.

A penhora de bens é uma alternativa para emergências financeiras.

Como fazer a Penhora de Bens?

A penhora de bens funciona da seguinte maneira: o interessado leva seus bens de alto valor para uma casa de penhor regulamentada e recebe o dinheiro em troca. Esse montante pode ser de até 85% do valor do objeto entregue.

O empréstimo é liberado imediatamente, mas o bem levado é deixado no local como garantia. Na prática, isso significa que o dono do bem só o terá de volta caso pague toda a dívida.

Alguns dos tipos mais comuns de penhora são: joias, metais nobres, pratarias, bijuterias e até mesmo objetos de design. Itens como alianças gastas, correntes quebradas e pedras preciosas podem ser aceitas normalmente.

Existe o caso da penhora ter sido feito pela Caixa Econômica Federal, e nessas situações o trabalhador precisa quitar todo o empréstimo de uma só vez para reaver o objeto penhorado.

Quando vale a pena fazer um Penhor?

Um dos principais benefícios da penhora é que a taxa de juros costuma ser menor do que em outros tipos de empréstimo. Em geral, o valor não passa de 2% ao mês. No entanto, o percentual varia conforme o prazo de pagamento escolhido, que pode ser de um até quatro meses. Caso o valor não seja quitado dentro do prazo estabelecido, os bens irão à leilão, e o antigo dono perderá posse dos objetos.

Em geral, a penhora é indicada para quem está passando por dificuldades momentâneas, principalmente por conta da urgência de alguma dívida.

Quem pode fazer o empréstimo com Penhor?

São poucas as restrições que não permitem que você possa fazer este tipo de empréstimo, o que o torna tão atrativo. Então não se preocupe e atente-se aos tópicos abaixo:

  • Ao penhorar imóveis e carros você não pode estar negativado no Serasa ou no SPC (Serviço de Proteção ao Crédito);
  • Ter entre 21 e 68 anos de idade;
  • Possuir uma pontuação de score de crédito suficiente;
A análise de bens é feita com base no peso em metal precioso das peças.

3 Passos para Penhorar seus Bens

1 – Encontrar um lugar confiável para fazer o penhor

Existem diversas casas de penhor no Brasil. Algumas são especializadas em jóias. Caso o interessado opte por casas menos conhecidas, vale a pena pesquisar se o local é regulamentado. Um local bastante conhecido pela penhora é a Caixa Econômica Federal.

Além de ter a credibilidade do banco, os empréstimos podem chegar até 130% do valor da peça para clientes antigos que nunca atrasaram o pagamento dessa dívida.

2 – Levar a documentação necessária

É imprescindível ter em mãos o RG e o CPF para que a casa de penhor possa fazer a avaliação do valor do empréstimo solicitado. Além disso, deve-se declarar que as peças não são roubadas.

Um dos pontos interessantes é que normalmente não é feita uma análise de crédito de quem está levando o bem. Isso significa que é possível conseguir o dinheiro mesmo estando negativado. Porém, é necessário estar regularizado na Receita Federal. Caso contrário, o dinheiro não será liberado.

Powered by Rock Convert

3 – Aguardar a aprovação

Após a avaliação das lojas, o dinheiro é liberado na mesma hora. No caso de penhoras pela Caixa, se o processo já é realizado há mais de um ano sem atrasar nenhum pagamento, é possível que o cidadão consiga algum benefício, como um empréstimo de até 130% do valor da peça.

Porém, para quem penhora pela primeira vez, é possível conseguir um crédito de até 85% do valor total do bem. De qualquer maneira, é importante saber que a quantia mínima a ser emprestada é de 10% do valor total do objeto.

Para quitar o empréstimo do penhor, é possível pagá-lo de uma só vez ou ainda parcelar o valor da dívida. Também existe a opção de negociar com a Caixa para pagar parcelas com valor mínimo de R$50,00 com prazos que variam de 02 a 60 meses. Esse parcelamento é feito com parcelas fixas e amortização ao longo do tempo.

A penhora é indicada para quem está passando por dificuldades momentâneas, principalmente por conta da urgência de alguma dívida.

Vantagens do Penhor

O Empréstimo com Penhor é uma excelente alternativa para quem não quer se desfazer de um bem emocionalmente valioso. Além do que já foi falado anteriormente, da rapidez com que consegue o dinheiro e baixa exigência quanto às documentações, esta modalidade lhe permite reaver o que foi penhorado.

O valor mínimo da parcela que precisa ser paga é de 50 reais por mês, mas deve-se atentar para fazer o pagamento nos dias corretos, já que ele pode ser colocado em leilão e ser vendido, fazendo com que você perca este item.

O que mais atrai as pessoas a utilizar este tipo de recurso é o fato de possuir uma das taxas mais baixas no mercado, ficando em torno de 2,1% por mês.

Desvantagens do Penhor

Para o empréstimo ser feito é necessário que tenha algo de valor, o que não são todas as pessoas que possuem, delimitando o acesso a esse tipo de transação.

Vale ressaltar que não são todas as instituições financeiras que aceitam o penhor como garantia, então procure bastante e se informe.

Se você for penhorar um item que seja de família e que lhe seja querida, este não é o melhor caminho para ser tomado, busque outras opções!

Veja se há outras linhas de crédito disponíveis que atendem às suas necessidades, já que sempre terá aquelas empresas dispostas a oferecer juros que competem com o Empréstimo com Penhor e de maneira prática.

Como saber o valor da peça

Para definir o valor do bem a ser penhorado, não é levado em conta a aparência da peça, mas sim o peso em metal precioso que ela possui. Sendo assim, não é necessário se preocupar se o objeto está quebrado ou gasto, pois esses aspectos não vão ser determinantes na atribuição do preço.

Além disso, também é considerado a cotação de ouro no mercado naquele determinado momento, além de outros aspectos como a idade da peça, variável altamente valorizada no mercado de leilões.

Joias, metais nobres e pérolas são os itens mais usados na hora de fazer o penhor. Mas as casas só aceitam peças em ouro com menos de 12 quilates caso apresentem valor histórico ou artístico. Já relógios e canetas, por exemplo, só valem um empréstimo quando têm um valor maior.

De maneira geral, a penhora de bens é um bom recurso para emergências financeiras. Porém, é necessário informar-se antes de fazer o processo.

Esperamos que tenha gostado do conteúdo! Fique a vontade para contar suas experiências ou apenas deixar um comentário abaixo. E não deixe de conferir os outros artigos do blog com dicas para organização financeira.

Powered by Rock Convert

Comentários

Shares