CTA para simulação de empréstimo

O agronegócio é o motor da economia brasileira, um mercado que está em ascensão. Diante disso, o mercado de capitais traz cada vez mais ativos financeiros para que o investidor tenho oportunidades de lucrar com o setor. Ou seja, não é mais preciso investir no setor agro do modo convencional, como, por exemplo, adquirindo terras agrícolas. 

Atualmente, você pode lucrar investindo em ativos financeiros e, melhor ainda, com pouco capital. Então, dentre as opções de investimentos com menor risco e melhor rentabilidade, estão os FIAgros (Fundo de Investimento em Cadeias Agroindustriais).

Em síntese, FIAgros são fundos de investimentos que, por meio de seus investidores, capitam recursos que serão negociados em ativos do setor do agronegócio, movimentando a economia brasileira. Atualmente, existem três categorias de FIAgros:

1. FIAgro Imobiliário (FIAgro-FII)

São fundos de investimentos voltados para negociações de terras agrícolas. Desse modo, os lucros virão conforme os imóveis valorizarem;

2. FIAgro de Direitos Creditórios (FIAgro-FIDC)

Basicamente, são fundos voltados para ativos de direitos creditórios que serão utilizados para o fluxo de caixa de empresas do setor agro, como, por exemplo, produtores rurais.

3. FIAgro Participações (FIAgro-FIP)

De antemão, este tipo de fundo não é aberto para todos os investidores, somente para àqueles classificados com qualificados. Ou seja, dentre os principais requisitos deste investidor é ter mais de R$ 1 milhão em investimentos financeiros. 

Este fundo investe em sociedade agroindustriais. Os FIAgros Participações, em geral, investem em aquisição de sociedades anônimas que não estão listadas na bolsa ou em sociedades limitadas do agro. Isso justifica ser unicamente voltado para investidores qualificados, pois possuem maior conhecimento do mercado financeiro e menor aversão ao risco dos negócios.

Vantagens e riscos de investir em FIAgros

Os FIAgros são alternativas para diversificação de sua carteira em diversos segmentos do setor agro, como imóveis rurais e ativos financeiros, como, por exemplo, FIAgros voltados para atividades agrícolas. 

Além disso, você tem a vantagem de investir na agroindústria sem ser um especialista no setor, pois esta é a função do gestor do fundo. Ele é o responsável por buscar as operações mais lucrativas para o crescimento e lucratividade do fundo.

Como você deve saber, todo investimento é um risco, por menor que seja. Especificamente quanto aos FIAgros, existem alguns detalhes sobre os riscos que precisam ser destacados. 

Como acontecem com os fundos de investimentos, no geral, lhe será cobrara uma taxa para administração do fundo. Também, a depender do FIAgro escolhido, terá o risco de crédito do fundo, como, por exemplo, nos FIAgros de Direitos Creditórios, onde os fundos serão prejudicados se os devedores não realizarem o pagamento de suas dúvidas.

Vale destacar que os FIAgros são classificados como de renda variável, isso quer dizer que não existem a possibilidade de dimensionar o retorno financeiro, positivo ou negativo. Por isso, antes de adquirir qualquer ativo financeiro, necessário que tenha uma estratégia de investimento, conforme os seus objetivos financeiros. 

Como investir em FIAgros?

Em suma, basta que em sua corretora de valores você escolhe o ativo, do mesmo modo que realiza operações de compra e venda de ações. Ou seja, basta aportar o capital necessário para comprar o FIAgro escolhido. 

Logo após, em seu home broker, realize sua operação de compra com o código de identifica respectivo (“ticker”). Atualmente, existem 22 FIAgros listados na bolsa, dentre 5 os principais, estão: 

Razão Social Ticker
XP CRÉDITO AGRÍCOLA FDO INV FIAGRO IMOBILIÁRIO FZDA11
BB FDO DE INV DE CRÉDITO FIAGRO – IMOBILIÁRIO BBGO11
BTG Pactual Crédito Agrícola FDIC (BTAG11) BTAG11
Itaú Asset Rural (RURA11) RURA11
Ourinvest Innovation (OIAG11) OIAG11

Portanto, investir em FIAgros vale a pena, pois você investirá no maior setor da economia brasileira. Tudo isso com a vantagem de não precisar injetar muito dinheiro e ainda contar com a gestão de um profissional da área para gestão das operações do fundo.

Autora: Cristiane Luzio Rodrigues | LinkedIn

Estudante do Mercado Financeiro em constante evolução. Redatora do Guia do Investidor. Advogada corporativa e especialista em Direito Administrativo.

Escrito por: Guia do Investidor

Comentários

// Adicionar na ultima linha do footer antes do fechamento do