O risco de inadimplência existe em todas as empresas, mas algumas optam por ignorá-lo. Há duas maneiras para lidar com ele: reconhecendo sua existência pela calculadora de inadimplência e adotando um sistema de cobrança recorrente.

No Brasil, o índice de inadimplência cresce. Segundo dados da Boa Vista, houve uma alta de 5,1% no número de clientes inadimplentes em abril de 2021 em relação ao mês anterior. Isso é um sinal de alerta.

Mas como calcular a taxa de inadimplência? Como a cobrança recorrente pode ser uma solução? Tenha as respostas abaixo!

Quando a taxa de inadimplência é alta, o que acontece na sua empresa?

“A inadimplência é inevitável em praticamente toda empresa. Contudo, ao buscar saber qual é sua taxa, é mais fácil de alcançar um índice de inadimplência aceitável.”

Nem todo atraso e inadimplência. Para se tornar um cliente inadimplente, o pagador deve prolongar o atraso ou começar a comprometer o orçamento da sua empresa. No varejo, precisa ter 90 dias de atraso no mínimo e 180 dias no máximo.

Para evitar que o cliente faça parte da taxa de inadimplência, a empresa deve contatá-lo para saber o motivo da ausência de pagamento. Normalmente, ocorreu esquecimento ou o cliente não teve como pagar.

Esse contato é essencial para que busque soluções junto do cliente. Afinal, você não quer correr o risco da inadimplência.

Quando existe o risco de inadimplência elevada?

O índice de inadimplência aceitável é considerado abaixo de 10%. Dentro dessa porcentagem, seu caixa não é tão afetado pelo atraso do pagamento pelos clientes e ainda existe previsibilidade financeira.

Contudo, entre 10-15% ou acima, seu caixa começa a ser afetado, fica mais difícil a previsibilidade financeira e é impedido o crescimento da sua empresa.

O que acontece com sua empresa quando o índice de inadimplência é alto?

  • Planejamento financeiro fica desestruturado
  • Começa a ocorrer a falta de recursos para o negócio
  • Você não consegue mais pagar fornecedores, o que acaba gerando uma dívida para sua empresa.

Afinal, como fazer o cálculo de inadimplência e quando?

Após entender os efeitos da inadimplência elevada, você deve ter percebido o quão nocivo é não acompanhar as cobranças pendentes. Por isso, é hora de ter uma calculadora de inadimplência.

O cálculo deve ser realizado mensalmente, de forma a identificar a porcentagem de inadimplentes na sua empresa. A calculadora deve lhe ajudar a saber se está com um índice de inadimplência aceitável ou melhor: próximo de 0%.

E como realizar o cálculo?

Entendendo o funcionamento da calculadora de inadimplência

TI = T90/TT

Essa é a fórmula do cálculo. O “TI” se trata do índice de inadimplência. O “T90” se trata da soma dos pagamentos que estão em atraso entre 90 a 180 dias. O “TT” se trata do total de pagamentos cobrados dentro desse período.

Por exemplo, para saber a taxa de inadimplência em agosto:

  • Leve em conta os meses de abril (120 a 90 dias de atraso), março (150 a 121 dias) e fevereiro (180 a 151 dias)
  • Faça a soma do valor total das cobranças nos meses: abril (R$ 3.000), março (R$ 3.000) e fevereiro (R$ 2.500)
  • Faça a soma do valor total de inadimplência dos meses: abril (R$ 450), março (R$ 300) e fevereiro (R$ 350).

Na fórmula, fica o seguinte: TI = (1100/8500). O resultado é 0,129, que multiplicado por 100 se torna 12,9%.

Como resolver o problema da inadimplência elevada?

Se no cálculo de inadimplência deu um resultado muito alto, é hora de tomar algumas medidas para diminuir o número de inadimplentes. Algumas dicas são:

  • Flexibilizar as datas de vencimento para a realidade do cliente
  • Manter contato com o cliente para buscar soluções
  • Ofertar vantagens ou descontos no pagamento dentro do prazo

A última dica é a mais importante: use o sistema de cobrança recorrente!

Por que o pagamento recorrente é a resposta para a inadimplência?

Pagamento recorrente se trata de uma forma de transação que é realizada periodicamente. Basicamente, todo mês, trimestre, bimestre ou ano (a periodicidade varia), a cobrança cai no cartão de crédito ou é enviada por boleto.

Ex: a assinatura da Netflix adota o pagamento recorrente, enviando uma cobrança ao cliente todo mês de forma automática. Por exemplo, pode ser enviado todo dia 12 de cada mês.

E por que ele pode ser a solução para o seu problema? Acontece que a cobrança recorrente é automática, sendo enviada para a fatura do cliente ou para seu e-mail ou WhatsApp, como boleto.

Isso impede que o cliente esqueça da cobrança e gera previsibilidade financeira, principalmente no pagamento por cartão. Afinal, a cobrança vai ser feita na fatura todo mês (ou outra periodicidade).

E por que ter um sistema de cobrança recorrente para isso?

Porque é mais fácil do que produzir as cobranças manualmente. Num sistema de cobrança recorrente, você possui facilidades como:

  • Geração e envio automático das cobranças para os clientes
  • Notificação automática para garantir o pagamento
  • Gestão de contratos online que lhe permite gerenciar as cobranças num espaço único
  • Número ilimitado de usuários que podem acessar a plataforma para fazer o pagamento
  • Emissão e envio automático da nota fiscal para o cliente

E com qual sistema de cobrança recorrente contar para combater a inadimplência?

A resposta é simples: Galax Pay. Essa plataforma de pagamento é completa e facilmente integrável com os sites através de uma poderosa API. Ela permite pagamento com cartão de crédito, boleto, débito em conta e até Pix.

Tudo isso com o melhor custo-benefício e diversas ferramentas para impedir a alta taxa de inadimplência. Através da plataforma, é possível ter um índice de inadimplência próximo de 0%.

Comentários