A contratação de um empréstimo pessoal pode ser a melhor saída para muitos problemas, dificuldades financeiras, a queda do mercado ou até mesmo para conseguir um capital imediato e aplicar no crescimento do seu negócio.

Entretanto, antes de fazê-lo, é preciso entender mais sobre esse produto financeiro, assegurando que você não caia em nenhuma cilada.

Realmente preciso tomar um empréstimo pessoal? Quais os critérios devem ser analisados antes de fechar o contrato? Pensando em ajudar com essa tarefa, listamos alguns detalhes que podem passar batidos na hora de pedir seu empréstimo pessoal.

Faça um mapeamento de seus gastos

Antes de contratar um empréstimo pessoal, avalie suas despesas e veja onde pode cortar gastos desnecessários para o momento.

Mesmo que você não conseguir economizar o suficiente para sanar a sua atual situação, vai precisar que sobre dinheiro no fim do mês para quitar o empréstimo acertado. Uma boa dica é tentar diminuir a quantidade de idas a restaurantes ou comprar produtos de marcas mais baratas no mercado, por exemplo; essas duas despesas são as que mais pesam no orçamento do brasileiro na atualidade.

Avalie o objetivo de pegar um empréstimo

Identifique o motivo pelo qual você precisa deste empréstimo. É de suma importância ter clareza sobre a real necessidade dessa contratação.

Se o objetivo é utilizá-lo para comprar um carro, pagar alguma viagem ou ter uma sobra de dinheiro para fazer compras que não estejam planejadas, há um grande risco de se colocar numa situação financeira bem complicada.

Agora se o motivo do empréstimo for uma renegociação de cheque especial, ou de uma dívida com cartão de crédito, nestes casos as taxas de juros podem diminuir para menos da metade.

Outro motivo aceitável para a utilização de um empréstimo pessoal é para resolver imprevistos relacionados à saúde na família, por exemplo, para empreender ou fazer aquela reforma em seu imóvel. O fundamental é que seja feito uma análise criteriosa antes de assumir tal compromisso.

Aqui listamos 5 motivos para você optar por um empréstimo online. 

Mas você não sabe qual a diferença de pegar um  empréstimo online ou no banco? Nós explicamos aqui. Se você optar por empréstimo bancário é super importante que saiba qual é o melhor para que você não saia no prejuízo, basta clicar aqui.

Cheque Especial é um Empréstimo Pessoal

Muitos não se dão conta disso, mas o famoso Cheque Especial também é um tipo de empréstimo pessoal. Nesse caso, você possuirá um crédito pré-aprovado em sua conta, ou seja, caso você entre no vermelho, o crédito do Cheque Especial cobrirá as futuras despesas automaticamente.

Apesar de parecer prática e rápida, essa não é a forma mais inteligente de utilizar um empréstimo pessoal. Os juros aplicáveis ao cheque especial podem ser muito altos, e como não há nenhum tipo de controle, você pode acabar se enrolando ainda mais e tendo mais dor de cabeça.

Mas para isso também damos dicas de como fugir do cheque especial e seus juros.

Nem sempre juros mais baixos significam a melhor opção

É comum que no momento da solicitação de um empréstimo pessoal, as pessoas se atenham somente à taxa de juros cobrada. Apesar de ser extremamente importante, não é somente essa taxa que influenciará o quanto você pagará no fim das contas.

Algumas instituições podem cobrar diversas outras taxas embutidas e por isso é preciso comparar o CET – Custo Total Efetivo. O CET é uma ferramenta que considera todos os custos de um empréstimo. É obrigatório que as instituições informem o CET dos seus empréstimos.

Leia o contrato

Essa última dica pode parecer um tanto quanto óbvia, contudo muitas pessoas assinam um contrato sem ler todas as cláusulas. Nem todos têm o hábito de ler tudo que assinam, é onde mora o perigo.

Seja pela correria do dia-a-dia ou confiança demasiada, este é um erro que pode causar bastante dor de cabeça; a leitura do contrato é fundamental – e obrigatória – para que não haja surpresas no meio do caminho.

Confira as taxas contratadas, as multas que possam vir a serem aplicáveis, os prazos de quitação, enfim, tire todas as dúvidas, principalmente de itens que não ficaram tão claros.

Ao assinar o contrato, você está concordando com todas as cláusulas e condições contidas nele, portanto, fique muito atento a todas essas dicas para evitar surpresas desagradáveis.

Escrever comentário

Shares