A casa é um dos patrimônios mais importantes que podemos possuir. Além do alto valor para adquirir e mantê-la, ela tem uma importância simbólica e vital muito grande, nos proporcionando abrigo, proteção, aconchego e um ambiente para constituir nossas famílias.

Nossas residências, no entanto, estão sob constante risco de serem danificadas ou até destruídas. O seguro residencial é um produto recomendado justamente para proteger esse bem tão importante dos riscos que podem ameaçá-lo, como incêndios, roubos, furtos, desastres naturais, curtos-circuitos, entre outros.

Mas como funciona o seguro residencial? Que tipo de cobertura ele prevê? Como contratar um seguro residencial? As respostas para essas e outras dúvidas você poderá encontrar a seguir. Continue lendo para entender tudo sobre seguros para casas e apartamentos, sejam eles próprios ou alugados.

O que é um seguro residencial?

O nome já diz muito. O seguro residencial serve para proteger residências, sejam elas casas ou apartamentos, próprias ou alugadas. Assim como em outros seguros, o segurado assina uma apólice (o nome que se dá ao contrato do seguro) e paga um valor para ter direito à proteção da seguradora.

Essa proteção inclui cobertura a alguns eventos, que podem variar conforme o seguro contratado. As coberturas básicas são:

  • Incêndios, raios e explosões
  • Roubo e furto

Além delas, existem coberturas que podem estar no pacote básico ou serem contratadas à parte. São elas:

  • Problemas elétricos, como curto-circuito
  • Choque de veículos e queda de aeronaves
  • Desastres naturais, como temporal e granizo
  • Desmoronamento e demolição
  • Perda (proprietário) ou pagamento (inquilino) de aluguel
  • Danos a terceiros

Quando devo contratar um seguro residencial?

O seguro residencial é recomendado para qualquer tipo de residência, seja ela própria ou alugada. No caso das alugadas, é recomendado até mesmo que os inquilinos contratem esse produto.

O seguro proporciona tranquilidade aos moradores, que estarão protegidos contra vários tipos de eventos, além de poderem contar com assistências em caso de danos a instalações e equipamentos.

Mas o seguro residencial também pode proporcionar uma economia grande. Basta compararmos o preço que normalmente é oferecido pelas seguradoras (a partir de R$ 6 por mês) com o custo de consertar um dano ao imóvel ou mesmo o prejuízo de ter o imóvel destruído.

Como funciona o seguro residencial?

O funcionamento do seguro residencial é semelhante ao de outros tipos de seguro. Para ter direito às coberturas previstas na apólice, é preciso pagar um valor, que varia conforme o perfil do segurado e do imóvel. Normalmente, quanto maior o valor do imóvel, maior o valor do seguro.

Na maioria dos seguros, também estão previstas assistências, como chaveiro, eletricista, bombeiro hidráulico, etc.

Então, caso ocorra algum dos eventos com cobertura ou assistência previstas na apólice, basta entrar em contato com a seguradora, que cuidará da indenização ou reparo do dano.

Caso o custo do reparo seja superior ao que o seguro cobre, o segurado terá que pagar o excedente, que é chamado de franquia.

Principais coberturas

As principais coberturas dos seguros residenciais são:

Incêndios, raios e explosões: essa é uma cobertura básica dos seguros residenciais. Normalmente inesperados, esses eventos podem causar um dano enorme ao imóvel, que poderá ser coberto pelo seguro.

Roubo e furto: proteção contra roubo (quando há uso de violência ou armas), furto, arrombamento ou tentativa de arrombamento.

Problemas elétricos: quando há curtos circuitos ou outros problemas elétricos, os aparelhos danificados podem ser ressarcidos ou reparados.

Desastres naturais: temporais, vendavais, enchentes, chuva de granizo e outros eventos que causem danos ao imóvel.

Responsabilidade civil: danos causados a vizinhos ou outras pessoas que não habitam o imóvel.

Desmoronamento: quando há risco de o imóvel desabar ou ser demolido.

Vantagens do seguro residencial

Seguros residenciais contam com uma série de vantagens que os tornam uma excelente opção para quem deseja proteger o imóvel em que vive.

Variedade de coberturas

Como você pôde ver, vários tipos de situações podem ser cobertas pelo seguro, dependendo do desejo e necessidade do segurado. Desse modo, você estará protegido contra incidentes mais comuns, como curtos circuitos e furtos, ou aqueles incomuns, mas destrutivos, como raios e explosões.

Tranquilidade

Nada melhor do que pode estar no seu lar com tranquilidade, não é mesmo? Se você mora numa região com alto índice de violência ou com incidência de desastres naturais, como vendavais, pode ser bem difícil obter essa tranquilidade. É aí que entra o seguro residencial, protegendo você financeiramente contra esse tipo de situação e garantido maior paz de espírito para você e sua família.

Assistências e serviços emergenciais

Além da indenização a danos como incêndios e roubos, o seguro pode prever a assistência em caso de eventos mais corriqueiros, como aquela infiltração que surge de repente, aquele aparelho que para de funcionar ou quando você se tranca do lado de fora, sem chave…

Nesses casos, basta contatar a seguradora e ela enviará um profissional habilitado para cuidar do reparo.

Contratação simples

Os seguros residenciais têm uma contratação bem simples, que pode ser feita totalmente pelo seu celular.

Valor acessível

Há muitos seguros baratos hoje em dia, com valores a partir de R$ 6 por mês. Embora, claro, o valor do seguro esteja diretamente ligado ao alcance e variedade das coberturas e assistências.

Qual é o preço médio de um seguro residencial

O preço de um seguro varia conforme alguns fatores, sendo os principais:

  • A seguradora escolhida
  • Quantidade e alcance das coberturas escolhidas
  • Valor do imóvel
  • Valor dos bens contidos no imóvel (conteúdo)
  • Localização do imóvel

A única maneira de saber quanto o seu seguro vai custar realmente é fazendo uma cotação, que é o processo através do qual a seguradora definir um valor para o segurado.

A maioria das seguradoras oferece seguros a partir de R$ 15 por mês, sendo possível achar opções ainda mais baratas, como a do PagBank/PagSeguro, que gira a partir de R$ 6. Seguros mais completos, no entanto, custam a partir de R$ 33 por mês.

De acordo com a Proteste, o seguro com melhor custo-benefício para um imóvel localizado em São Paulo, no Bairro do Guarujá, com valor total (incluindo conteúdo) de R$ 150 mil, custava R$ 46 por mês em 2020.

Como contratar um seguro?

Hoje em dia, a contratação dos seguros pode ser feita pela internet, através dos sites de seguradoras ou de intermediários, como corretores e bancos.

O primeiro passo é fazer uma cotação, para que a seguradora possa definir ofertas para você. Os demais passos também podem ser feitos online.

Como escolher o seguro residencial ideal?

Para chegar ao seguro residencial ideal, você deve pesquisar entre as opções existentes no mercado, selecionando as que têm melhor reputação. Em seguida, você pode fazer uma cotação, incluindo as coberturas e assistências que julgar necessárias, e comparar para saber qual tem o melhor custo-benefício.

Se você quer aprender ainda mais sobre seguro residencial, recomendamos continuar navegando pelos conteúdos do Juros Baixos.

Author

Somos uma plataforma de bem-estar financeiro. Em nosso blog falamos sobre finanças pessoais e produtos financeiros como empréstimo, cartão de crédito, seguros e negociação de dívida. A Juros Baixos está desde 2016 desenvolvendo conteúdos de qualidade para nossos seguidores. Acompanhe nossas redes sociais, canal no YouTube e entre para nossa comunidade no Discord.

Comentários