Powered by Rock Convert

Preço dos imóveis residenciais subiu 0,28% em julho.

Com todas as dificuldades enfrentadas em 2020, o setor imobiliário viu as expectativas de reaquecimento das vendas esfriar com a quarentena. Dados mostram que os preços dos imóveis residenciais continuam subindo no país, mas será que isso se manterá nos próximos meses?

Quem planeja comprar um imóvel na planta ou usado está em dúvida do que fazer.Será que este é o melhor momento para realizar o sonho da casa própria? Especialistas divergem em relação às reações do mercado nos próximos meses.

Alta do financiamento imobiliário

O fato é que, apesar da pandemia da COVID-19, os financiamentos imobiliários tiveram a maior alta semestral nos últimos dez anos. Dados da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip) apontam que pessoas físicas realizaram o financiamento de 133.786 imóveis no primeiro semestre de 2020.

Este número representa um aumento de 35,2%, na comparação com o primeiro semestre de 2019 e é a maior alta para o período os últimos dez anos. Os dados consideram os financiamentos contratados pelo Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE), que representou 62% dos processos feitos no período.

Dados do Banco Central mostram que o volume total transacionado dos financiamentos imobiliários no primeiro semestre cresceu 20,5% em relação com o mesmo período do ano passado. No total, o valor chegou a R$ 50,8 bilhões nos primeiros seis meses deste ano.

Preço dos imóveis segue subindo

Segundo o índice FipeZap, o preço dos imóveis residenciais subiu 0,28% em julho. A alta foi maior que a de junho, quando os valores subiram 0,18%. Até agora, entre janeiro e julho, o preço do metro quadrado dos imóveis teve alta nominal de 1,4%, acima da inflação de 0,46% no período.

Powered by Rock Convert

Mesmo assim, os valores devem ficar abaixo do IPCA esperado pelo Banco Central, de 0,36%, o que representaria que os imóveis subiram menos do que a variação de preços da cesta de consumo da economia brasileira.

O coordenador de pesquisa da Fipe, Eduardo Zylberstajn, disse ao InfoMoney que a alta de preços vem se mantendo, embora, nos últimos dois meses, tenha ficado abaixo da inflação. Zylberstajn ainda explicou que a alta é nominal, sem contar a inflação, e que houve uma queda de 1,15% no último ano.

Consumidores continuam procurando imóveis

Uma pesquisa do Imovelweb mostra que a pandemia não adiou o sonho de compra da casa própria, pois 51% dos entrevistados disseram que os seus planos não foram alterados por conta da quarentena.

O estudo também mostra que, mesmo que o setor imobiliário sofra neste primeiro momento, a recuperação não deve demorar tanto. Segundo a pesquisa, 52% dos entrevistados esperam comprar um imóvel nos próximos seis meses e 29% em até um ano. Apenas 10% disseram não esperar comprar imóvel nos próximos dois anos.

Conclusão dos especialistas

A DataZap fez uma pesquisa com consumidores e, para os possíveis compradores, o valor dos imóveis deve cair nos próximos meses. Para 41% dos entrevistados, o preço deve diminuir um pouco, e para outros 22%, deve cair muito nos próximos meses.

Outros 25% ressaltaram que, para eles, o valor médio dos imóveis deve permanecer o mesmo no período. A pesquisa é ainda mais animadora para o consumidor quando mostra dados sobre a opinião de profissionais do setor imobiliário.

Entre eles, 53% dos entrevistados acreditam que os preços devem diminuir muito nos próximos meses, 23% preveem uma diminuição pequena, e apenas 21% disseram que os preços devem permanecer no mesmo patamar nos próximos meses.

Pela dificuldade para prever o que vai acontecer nos próximos meses, os especialistas aconselham que os consumidores que pretendam comprar um imóvel ainda em 2020 façam uma busca detalhada e tenham paciência para encontrar boas oportunidades no mercado.

Powered by Rock Convert

Escrever comentário