Powered by Rock Convert

Financiar imóvel é uma ótima opção para realização do sonho da casa própria. Com valores planejados, é possível adquirir o bem, sair do aluguel e garantir patrimônio. Antes de iniciar processo semelhante, porém, é importante conhecer alguns detalhes da opção. Afinal, eles permitirão segurança durante todo o período de pagamento das parcelas.

Por isso, listamos sete coisas que você precisa saber sobre o financiamento. Confira!

O que é o Financiamento de Imóvel ?

O financiamento é um empréstimo, possível em bancos e empresas especializadas, em que o consumidor adquire todo o valor necessário para a compra do seu imóvel, e depois arca com parcelas mensais até quitar a quantia.

Financiamento de imóvel permite a compra do bem à vista, com pagamento de parcelas mensais depois.

Os planos de parcelamento costumam durar até 35, com duração variável de acordo com o valor de bem e das parcelas. Por estes mesmos motivos variam também a taxa de juros cobradas pela financeira.

Até 90% do valor do imóvel pode ser financiado.

Quais a exigências?

Para adquirir um imóvel parcelado, o cliente deve ser maior de 18 anos e ter renda fixa. É preciso também que ele tenha o “nome limpo” no mercado, pois seu crédito será avaliado nas listas do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) e Centralização de Serviços Bancários (Serasa).

Além destes, o banco solicita ainda valor de entrada do plano. Geralmente, o montante corresponde a 10% do custo total do financiamento, e deve ser entregue logo na adesão ao contrato.

Vantagens

  • Sair do aluguel
  • Possibilidade de utilizar seu FGTS
  • Utilização imediata do imóvel

Desvantagens

  • Acúmulo de prestações
  • Má escolha da localização
  • O banco pode receber até três vezes o valor da propriedade

Passo a passo

Para obter crédito, o consumidor interessado deve primeiro pesquisar entre várias instituições financeiras, pois as condições e taxas variam bastante. Funcionários públicos tem, inclusive, oportunidades mais vantajosas em algumas instituições.

Após este passo, é preciso fazer simulação. Os sites dos próprios bancos oferecem esta possibilidade, que requere, por exemplo, valor previsto de parcela e imóveis, e renda mensal.

Quando a simulação agradar, o usuário deve comparecer a uma agência física do banco ou empresa, munido de documentos como RG, CPF e comprovantes de renda e endereço. Pessoalmente, ele poderá solicitar mais detalhes sobre seu futuro plano, e mostrar interesse em tal.

Para comprovação dos rendimentos mensais, o cliente pode oferecer também comprovantes de pessoa que entrará no financiamento de forma conjunta. Considerando que apenas 30% da renda mensal de um lar pode ser comprometida com os valores, a estratégia garante maior montante para consideração de crédito.

Logo, a credora analisará o crédito. Caso aprovado, o cliente assinará contrato e assumirá a responsabilidade de pagamento mensal do imóvel que adquirir.

Taxa de juros

Os valores das taxas de juros de financiamento variam entre empresas, valor do imóvel e prazo para pagamento das prestações. Os valores são definidos na assinatura do acordo, e não podem ser reajustados durante o plano.

É possível usar o FGTS

Os recursos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) do trabalhador ficam disponíveis após três anos de contribuição. Eles podem ser utilizados em financiamento imobiliário residencial quando este for para propriedade localizada na região em que o usuário mora e/ou trabalha.

A possibilidade de uso dos valores está na oferta de entrada do plano, pagamento de parcelas em atraso ou mesmo pagamento final do montante devido ao banco.

Os gastos vão além do Financiamento

Na compra do imóvel, o novo proprietário do bem deve arcar com documentações do local, que comprovarão quem é o dono da propriedade após a transação. Há também gastos com Imposto de Transmissão de Bens Imóveis (ITBI), cobrado pela prefeitura e correspondente a 2% do bem. Os valores podem ser incluídos nas parcelas do financiamento, mas a opção deve ser solicitada logo na adesão ao plano.

Além do gasto com o financiamento, proprietário deve arcar com impostos imobiliários.

Uma construção exige ainda o pagamento anual do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), e eventuais custos com a mudança para o novo espaço e reformas.

Você pode perder o Imóvel

Quando não paga suas parcelas em dia, o consumidor fica sujeito ao pagamento de multas e, por períodos mais longos de inadimplência, perda do imóvel. Por isso o planejamento das finanças ao longo dos anos é tão importante.

Ficou com alguma dúvida sobre o financiamento de imóvel? Mande-a para a gente nos comentários!

Powered by Rock Convert

Escrever comentário

Shares