Powered by Rock Convert

Tem um dinheiro sobrando e não sabe se deve economizar ou investir? A resposta depende dos seus objetivos e da sua situação financeira. Quando optamos por economizar estamos separando um pouco do nosso dinheiro e mantendo-o num fundo de reserva que tem uma pequena margem de rendimento. Investir, por sua vez, é pegar um pouco de dinheiro e tentar fazer com que ele cresça comprando produtos/serviços, apostando na possibilidade de que o valor deles irá aumentar. É uma forma de fazer com que o seu dinheiro trabalhe para você.

É claro que um investimento não oferece a mesma segurança que a poupança, mas as possibilidades de retorno são consideravelmente maiores.

Entre as muitas opções de investimento, que dependem muito do perfil que investe, está o CBD, e é dele que vamos falar nesse post.

Coloque o seu dinheiro para trabalhar para você através de um investimento em CDB.

O que é CBD?

CDB significa Certificado de Depósito Bancário. São títulos emitidos pelas instituições bancárias com objetivo de captação de dinheiro. Através deles, o banco remunera os clientes do rendimento de taxas de juros, que variam com base no valor emprestado e as condições do empréstimo.

Para quem o CDB é indicado?

Conforme dito anteriormente, o investimento depende do perfil do cliente. Sendo assim, o CDB é indicado para o investidor que é mais conservador, mas que procura retornos superiores aos da poupança. Por ser um investimento de baixo risco, o CDB é interessante para os que procuram prazos menores, e mais comodidade para o resgate do dinheiro.

Quais os tipos de CDB

Existem três principais tipos de Certificado de Depósito Bancário, prefixados, pós-fixado e indexado. Conheça cada um deles:

CDB Prefixado

No CDB prefixado, o investidor sabe exatamente quanto irá receber de retorno. Essa taxa é acertada com o Banco e deve ser obedecida durante o prazo de validade do título. Se, por exemplo, você optar por investir num título que possui taxa de 5% ao ano, você irá receber exatamente 5% do valor investido.

CDB Pós-fixado

Neste tipo de CBD o valor a ser recebido pelo investidor é baseado em um indexador de referência, normalmente o CDI (Certificado de Depósito Interbancário), que é calculado com base no valor médio diário de empréstimo entre bancos. CDB pós-fixado, paga um percentual fixo do CDI.

Para entender melhor, imagine que você optou por um CDB de taxa pós fixadas que renderá 90% do valor do CDI. Se a taxa do CDI pagar 10% ao ano, o seu rendimento será de 9% da quantia emprestada ao banco.

Mas fique atento!

O percentual do CDI muda de um banco para o outro, podendo ir de 70% a 115%. O ideal é que você tenha uma noção dos percentuais anteriores do seu banco antes de investir.

CDB Indexado

Aqui a base do cálculo de remuneração é a inflação (principalmente o IPCA) e uma taxa de juros fixa. Os investidores que optam pelo CDB indexado precisam estar de olho nas variações desses índices para saber se o investimento será vantajoso.

Como investir em CDB?

O primeiro passo para investir em um Certificado de Depósito Bancário é escolher o banco que irá emitir o título. Se você já é correntista de alguma instituição, comece pesquisando sobre o CDB que eles oferecem. Mas, isso não significa que você deve comprar o título no banco que já é cliente. O ideal é que você pesquise e opte por aquele que oferecer a melhor taxa de retorno.

Depois disso, você precisa escolher que tipo de título vai adquirir. Já falamos aqui dos três tipos de CDB (prefixados, pós-fixado e indexado), considere as características dos planos e escolha o que melhor se encaixa na sua vida financeira.

Com o banco e tipo de título determinado, é hora de partir para a negociação da taxa de retorno. É importante que as taxas estejam a partir de 95% do CDI, caso contrário, o cliente deve considerar um outro tipo de investimento, de menor risco, como a compra de títulos do Tesouro Direto.

É ainda importante que o investidor respeite o limite de garantia oferecido pelo FGC (Fundo Garantidor de Crédito), que é de até R$ 250,00 por banco. Os que desejam investir mais que esse montante, podem comprar títulos em diferentes instituições.

Quais os riscos de investir em CDB?

Já classificamos aqui o CDB como um investimento que não apresenta muitos riscos. Mas, ele não está isento, e o principal deles é a impossibilidade de restituição de crédito por parte do banco. Por isso, é importante respeitar o limite de garantia do FGC, que garante o retorno de até R$ 250.000,00 por CPF por instituição bancária.

Além disso, investidores de títulos pré-fixados correm o risco de perder dinheiro caso precisem resgatar o valor investido antes do prazo, isso considerando a possibilidade de aumento na taxa de juros.

Imposto de Renda e outros custos

Uma das vantagens do investimentos no CDB é que o banco não cobra taxas para realização dessa aplicação, afinal de contas, é o investidor que está emprestando dinheiro ao banco. Ainda assim, existem taxas fiscais. Caso a duração da aplicação seja de menos de trinta dias é preciso pagar IOF (Imposto sobre Operações Financeiras).

Além disso, o CDB não está isento do Imposto de Renda (IRPF). O recolhimento é feito diretamente na fonte. O percentual recolhido depende do prazo da aplicação, confira:

    • 22,5% – sobre os rendimentos ocorridos até 180 dias após a aplicação;
    • 20% – sobre os rendimentos ocorridos até 360 dias após a aplicação;
    • 17,5% – sobre os rendimentos ocorridos até 720 dias após a aplicação;
  • 15% – sobre os rendimentos ocorridos após 720 dias da aplicação.

Qual é melhor, CDB ou Poupança?

Na parte dos rendimentos, o CDB possui variações de acordo com a corretora e o banco onde será feita a aplicação:

  • Sendo que quanto maior o tempo em que o dinheiro fica aplicado, maior o valor dos juros. Em outras palavras, mais tempo significa mais lucro, tendo opções prefixadas, onde o cliente sabe o quanto vai ganhar no início do investimento, e pós-fixadas, que tendem a variar.

Poupança possui rendimentos bem menor ao comparada com o CDB, tendo remuneração mensal e variando o lucro de acordo com a inflação. Porém, esse tipo de investimento ganha do Certificado de Depósito Bancário quando o assunto é o custo total da aplicação e a possibilidade de sacar o dinheiro de acordo com a vontade do cliente.

  • O CDB é um tipo de aplicação que deve ser declarada no Imposto de Renda, tendo alíquota máxima de 22,5% para investimentos menores que 6 meses, e mínima de 15% para aplicações maiores que 2 anos. Além disso, ele possui um prazo de carência entre 30 e 60 dias, não possibilitando ao investidor a chance de resgatar seus lucros antes do fim desse prazo.

Isso não acontece com a Poupança, pois essa aplicação é isenta do Imposto de Renda, não havendo a necessidade de os rendimentos ganhos recaírem no Imposto de Renda. Apesar das diferenças, ambas aplicações são asseguradas pelo Fundo Garantidor de Crédito, que garante o pagamento dos investimentos com saldo de até R$250.000,00 por cada CPF ou empresa financeira.

Powered by Rock Convert

1 Comment

  1. Pingback: 5 Dúvidas comuns de quem quer começar um investimento - Juros Baixos

Escrever comentário

Shares