Powered by Rock Convert

O mundo dos investimentos é algo tão abrangente e diversificado que pode ser explorado por qualquer perfil de investidor. Basta somente você saber qual é o seu perfil de investidor e buscar as opções de investimento que se enquadram neste perfil. Investidores com perfil conservador acabam optando por aplicar o seu dinheiro em renda fixa.

Alguns destes investidores mais conservadores até arriscam um swing trader em experiências com renda variável, mas no final o que prevalece são investimentos com rentabilidade baixa e garantia de recebimento deste lucro no final da operação.

Neste post, vamos falar um pouco mais sobre o Tesouro IPCA+, uma modalidade de investimento em renda fixa atrelado diretamente a Selic. Vamos falar sobre o atual momento da taxa de juros apontando suas perspectivas de mercado agora e para o futuro e se vale a pena investir no Tesouro IPCA+. Saiba em quanto está a Selic em março de 2019 e qual a sua importância para alguns investimentos em renda fixa.

O que é Tesouro IPCA+?

Dentro da modalidade de investimentos em renda fixa, o Tesouro Direto tornou-se uma celebridade nos últimos anos. Isso aconteceu porque esse investimento foi utilizado como principal referência de comparação quando se falava da baixa rentabilidade do rendimento das cadernetas de poupança no Brasil.

Mas o Tesouro Direto é constituído de várias vertentes, tais como prazo de expiração do contrato em períodos diferentes e rentabilidade com diversas variações. Uma dessas modalidades de Tesouro Direto é o Tesouro IPCA+.

Esse tipo de investimento é um título público de responsabilidade do Governo Federal. O principal objetivo do IPCA+ é fazer a captação de recursos financeiros de diversos investidores espalhados pelo Brasil e possibilitar ao Governo Federal que esses recursos sejam utilizados nas demandas da sociedade. Por exemplo, esse dinheiro é utilizado pelo Governo Federal na saúde, educação, segurança, infraestrutura, dentre outros.

Quando você aplica o seu dinheiro neste tipo de ativo o seu dinheiro é emprestado para o Governo Federal que lhe devolverá com juros e correções. A taxa de juros neste caso é híbrida, ou melhor dizendo, ela é o resultado da inflação + uma taxa prefixada. Mas quando falamos de inflação estamos falando do seu percentual, que pode variar conforme a fonte observadora. Neste caso, a principal referência da inflação medida no Brasil é o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo).

O que é IPCA?

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo é o termômetro oficial responsável por medir em quanto está a inflação no Brasil. Com base neste dado, diversas estratégias de governo são executadas. Diversas empresas do setor público e privado usam esse índice para a tomada de decisões a curto, médio e longo prazo. Diversos investimentos estão atrelados a inflação praticada no Brasil, logo, o IPCA é o principal índice utilizado e um dos principais influenciadores da taxa Selic.

O órgão responsável por levantar os dados sobre o IPCA e de divulgá-los periodicamente é o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), dados que são validados pelo BC (Banco Central). A coleta de dados e a divulgação do índice sofre algumas prévias antes da divulgação oficial do IPCA todo mês.

Sabendo que o índice é verificado de perto pelo BC, é seguro e vale a pena investir no IPCA+. Mas, leia o post até o final que iremos reforçar outros motivos importantes para você fazer esse investimento.

O IPCA é um reflexo direto do custo de vida das famílias brasileiras em regiões metropolitanas que constituem um renda entre 1 e 40 salários mínimos. São nove as regiões metropolitanas analisadas: Rio de Janeiro, São Paulo, Porto Alegre, Belo Horizonte, Salvador, Fortaleza, Recife, Curitiba e Belém. O estado de Goiânia e a capital Brasília também são relevantes para os dados que apontam o IPCA periodicamente.

A coleta de dados começa a ser feita todo o dia 1º de cada mês e dura até o dia 30 ou 31, dependendo do mês em questão. Os dados são processados pela equipe de IBGE e divulgados no mês seguinte apontando como está a inflação no país. É aí que você deve ficar atento quando pretende investir em renda fixa, pois o IPCA reflete diretamente na taxa Selic.

O que é taxa Selic?

A taxa Selic (Sistema Especial de Liquidação e Custódia) é nada mais nada menos que a taxa de juros básica no Brasil. Essa taxa de juros é utilizada para lastrear os títulos públicos federais em operações diárias. O responsável pela taxa de juros no Brasil é o BC, que se baseia na inflação medida pelo IPCA e em outras variáveis na hora de reajustar a taxa de juros básica. O BC designa o Copom (Comitê de Política Monetária) para estabelecer metas e reajustar a taxa de juros básica quando necessário.

No dia 20 de março de 2019, a taxa Selic manteve-se em 6,5% a.a (ao ano). Isso influencia diretamente nos investimentos de renda fixa e nas expectativas do mercado financeiro. Quando falamos de investir no Tesouro IPCA+ devemos dizer que ele tem como principal referência a inflação vigente no Brasil.

Esse investimento tende a variar ao mesmo tempo que parte dele é prefixado ao índice. Esse investimento soma a inflação junto a uma taxa fixa, um verdadeiro híbrido da renda variável com a renda fixa.

Mas, o foco do investidor no Tesouro IPCA+ deve estar no longo prazo. O melhor deste tipo de investimento é que a sua variação pode gerar lucros acima da expectativa traçada, sem correr risco de perder o dinheiro investido.

Sabendo de tudo isso, vale a pena investir no Tesouro IPCA+ em 2019?

Mantenha o contrato até o final e lucre com este investimento nos próximos anos.

Com base em todos os dados apresentados neste post, podemos dizer que sempre irá valer a pena investir no Tesouro IPCA+ agora e nos próximos anos. Mas, para quem é apressadinho e está de olho na variação deste tipo de investimento, saiba que a curto prazo ele não é rentável. Portanto, se você está em dúvida se é um bom negócio investir no Tesouro IPCA+ com o IPCA dos últimos 12 meses em 3,89% e com a Selic em 6,5%, a resposta é sim.

Mas, considere manter esse investimento até o fim do contrato e absorver as diversas oscilações que existiram na inflação ao decorrer deste período. Conheça os tipos de Tesouro IPCA+ existentes, como o Tesouro IPCA+ (NTN-B Principal) e o Tesouro IPCA+ Juros Semestrais (NTN-B).

Agora que você sabe que vale a pena investir no Tesouro IPCA+ em 2019, estude mais sobre o assunto e releia este post quantas vezes for necessário. Permaneça no site e encontre mais artigos sobre investimentos.

Powered by Rock Convert

Escrever comentário

Shares