Powered by Rock Convert

Ter um sócio pode ser uma ótima alternativa para expandir os negócios. Contudo, essa decisão merece cuidado: se não for bem planejada e avaliada, ela pode trazer dores de cabeça.

Ao inserir um sócio na empresa, por exemplo, você poderá ter que abrir mão de parte do seu controle. Geralmente, isso é feito por meio da distribuição de cotas do negócio. Mesmo em situações em que você possua mais cotas e, logo, maior controle sobre a empresa, será necessário considerar a opinião de outra pessoa ao tomar decisões.

Do contrário, a relação poderá se desgastar e provocar prejuízos à companhia.

Será que vale a pena ter um sócio?

  • Primeiro: o que um sócio poderia agregar à empresa? Quais são os conhecimentos dele, ou o quanto o investimento financeiro proposto farão diferença à companhia?
  • As respostas a essas questões precisam ser realmente atraentes. Algo como “querer apenas dividir as responsabilidades de gestão” não é um motivo suficientemente bom para inserir um novo associado na organização. Em situações deste tipo, pode ser bem mais interessante contratar um gerente altamente capacitado.
  • É preciso definir como serão divididas as responsabilidades entre você e outros sócios. Assim como o modo de divisão dos lucros, que precisa ser vantajoso para todos os indivíduos.
  • Sempre que possível, também é interessante investir em um período experimental. Assim, o empreendedor e seu novo colega poderão verificar as reais vantagens e possibilidades da sociedade.

Ter um sócio pode significar ou não dividir o poder de administração do negócio.

  • É importante dizer ainda que existem vários tipos de sociedades possíveis para um negócio.
  • Um sócio pode ser, por exemplo, administrador. Isso significa que ele terá grande poder sobre a companhia, sendo responsável por uma série de funções administrativas.
  • Já o sócio-quotista não tem qualquer função na área administrativas da sociedade. Contudo, ele tem direito à divisão dos lucros, uma vez que fez parte do Capital Social do empreendimento. Ou seja, uma vez que investiu dinheiro na instituição.

Como escolher um sócio?

Colher os lucros de um negócio enche os olhos de qualquer empreendedor, mas não basta apenas escolher um sócio, pensando no quanto ele pode ajudar financeiramente, e sim considerar outras características importantes para o bom convívio.

Confira algumas dicas para seguir na hora de definir qual amigo ou colega escolher para ser seu sócio num negócio:

Escolha alguém que tenha bons princípios

Para que um negócio dê certo, é preciso que haja total confiança entre os sócios, resumindo eles precisam estar em sintonia. O ideal é que você leve os princípios das pessoas antes de chamá-las para tocar uma empresa.

Por isso, seu sócio deve ser uma pessoa que você já conheça a algum tempo e conheça seus valores. Afinal, você não quer que ele feche negócios por conta própria ou então realize investimentos sem lhe consultar, não é mesmo?

A relação de confiança deve ser a base de uma sociedade. Confiar em bons princípios pode ser uma excelente maneira de não se decepcionar com um sócio após o crescimento de sua empresa. É importante frisar que com a chegada de lucro, muitas pessoas acabam se mostrando gananciosas e tomam decisões por conta própria, prejudicando os demais associados.

Tenha uma boa convivência

Depois dos valores, é importante considerar o bom convívio na hora de escolher um sócio. Essa pessoa passará boa parte do dia ao seu lado, então você precisam conviver em harmonia para que o negócio possa crescer.

Sem uma boa convivência, a relação pode trazer prejuízos a uma empresa, desviando do objetivo principal: crescimento. Por isso, não escolha um sócio por ele ser seu amigo ou colega de trabalho, caso você saiba que ele é uma pessoa difícil de lidar.

Escolha alguém com quem você mantenha uma relação amigável e que esteja na mesma sintonia, querendo começar um negócio e levá-lo ao sucesso.

Seu sócio deve dominar funções diferentes das suas

Ao escolher um sócio, você deve pensar que deve agregar o máximo de valor possível ao seu negócio. Por isso, é importante que a pessoa escolhida consiga atuar em áreas que você não domine. Geralmente, as áreas de atuação costumam ser bem amplas e daí surgem as especializações, o ideal é que você escolher um sócio que seja especialistas em funções que lhe complementam.

Como aumentar a sociedade empresarial?

Na hora da associação entre sua empresa e um novo indivíduo, é fundamental estabelecer, em detalhes, as regras dessas sociedade. Para isso, é importante estabelecer um contrato social, com o auxílio de um advogado especialista.

Em um contrato social ficam listados todos os direitos, deveres, funções e ações de um sócio. Assim como as regras para distribuição de cotas, distribuição de lucros e dividendos.

Em qualquer sociedade, é fundamental estabelecer um contrato detalhado de negócio.

Simultaneamente, este contrato deve contar com as normas para o desligamento de um sócio.

Quando pode haver um desligamento de sócios?

Mesmo que o objetivo de uma parceria seja a durabilidade, os negócios podem não sair como o planejado. Dessa forma, é fundamental que haja documento que garanta a proteção de ambos os associados, assim como os seus direitos legais.

Powered by Rock Convert

Escrever comentário

Shares