Quer saber como o diagnóstico financeiro pode ajudar sua saúde financeira? Pois ele pode não apenas ajudar, como é parte fundamental do cuidado com suas finanças.

Até porque, se você não souber com o que está lidando, terá dificuldades em manter o controle sobre o orçamento. Neste conteúdo, contamos tudo que você precisa saber sobre o assunto. Leia e descubra!

O que é o diagnóstico financeiro? Qual sua relação com saúde financeira?

O diagnóstico financeiro nada mais é do que o mapeamento das suas finanças. Da sua renda, dos seus gastos, dívidas acumuladas, metas financeiras etc.

Ele é importante porque ajuda a compreender suas finanças e saber o que fazer com elas. Está diretamente ligado à saúde financeira porque apenas conhecendo de perto seu orçamento, você poderá fazer algo por ele. Especialmente cuidar para que ele não tenha problemas.

Por que fazer um diagnóstico financeiro?

Fazer um diagnóstico financeiro é algo importante para entender seu orçamento, seu potencial e seus problemas.

A partir dele, fica mais simples se organizar para garantir bons resultados no dia a dia. Pode ser para economizar dinheiro, para comprar um bem, se livrar de dívidas etc.

Cuidar das finanças sem se organizar pode prejudicar a visualização completa do que você precisa fazer. E então, os resultados não serão os esperados.

Por exemplo: vamos dizer que você lista suas dívidas, mas deixa uma de fora. Nesse caso, você pode acabar gastando o dinheiro que usaria para quitar o débito. Se isso acontecer, o valor vai ficar em aberto, acumular juros e prejudicar todo o resto.

Uma simples mudança no orçamento tem efeito em todo ele. Por isso é preciso fazer um diagnóstico financeiro para entender sua vida financeira e saber o melhor a fazer.

Como fazer um diagnóstico financeiro?

Hoje em dia existem diversas ferramentas que te ajudam a realizar um diagnóstico financeiro. Uma delas é o Índice de Saúde Financeira da Febraban. Além de mostrar como anda sua saúde financeira em relação a aspectos como habilidade, comportamento, liberdade e segurança, ele ainda mostra como melhorar.

E para te ajudar ainda mais, a seguir, listamos dicas para você fazer um diagnóstico financeiro e começar a cuidar das suas finanças. Acompanhe!

Avalie seu orçamento

Para fazer um diagnóstico financeiro, você precisa começar avaliando seu orçamento. Isso significa que é necessário entender quanto você ganhar, quanto gasta e quais são esses gastos.

A partir daí, será possível entender qual a saúde das suas finanças. Elas estão em equilíbrio? Um dos lados da balança pende mais, favorecendo você se endividar?

São pontos que vão orientar todo o seu trabalho para cuidar do orçamento.

Entenda suas categorias de gastos

É muito importante compreender com o quê você gasta. Dessa forma, será mais simples perceber no que você pode economizar. Seja para evitar dívidas, seja para guardar dinheiro.

Uma ótima forma de visualizar isso é através de uma planilha de gastos. Com ela você consegue entender exatamente quais são seus gastos mês a mês, enxergando possibilidades de melhoria.

Uma característica básica de gastos são as despesas recorrentes. Ou seja, as que você tem todo mês, como a conta de energia elétrica, de água etc. Mesmo que seus valores variem conforme o consumo, é possível entender qual a média do gasto e já se planejar para ele.

Mas também há outras categorias de gastos. Como os variáveis no cartão de crédito, e os que são supérfluos. Você precisa entender por que, quanto e como gasta.

Veja possibilidades de melhoria

É sempre possível melhorar o orçamento. Mesmo que você não tenha gastos supérfluos altos, por exemplo, devem existir outros que você pode cortar. Ou então, há modos de comprar mais barato, em vez de gastar determinado valor com determinada despesa.

Explore suas possibilidades de melhoria e entenda quais fazem sentido para seu caso. Se elas valerem a pena, você poderá aplicá-las e cuidar ainda melhor das finanças.

Pode ser interessante, inclusive, “trocar dívidas”. Ou seja, obter um empréstimo com CET baixo, pagar seus débitos em aberto e depois apenas pagar pelo empréstimo. Mas tenha a certeza de que o Custo Efetivo Total do crédito será mais barato, senão a troca não terá efeito.

Dica bônus: Técnica roda da vida financeira

A técnica roda da vida financeira começa por mapear os principais aspectos que permeiam sua vida financeira. Como seu salário, saúde mental e física, investimentos, organização financeira etc.

Com isso efeito, é hora de dar uma nota para cada categoria. Ou seja, organizá-las de modo a dar prioridade maior a um ou outro aspecto.

Então, torna-se possível identificar quais áreas das suas finanças pessoais necessitam mais atenção. Se comprar um carro for sua prioridade perante economizar dinheiro, por exemplo, você vai estabelecer um modo de trabalhar pela primeira meta primeiro.

O que fazer após o diagnóstico financeiro?

Depois de fazer o diagnóstico das suas finanças, chega o momento de planejar um passo a passo do que fazer.

Você vai economizar dinheiro? Se sim, como? Sua meta é adquirir um bem? Como você vai fazer isso?

Crie realmente etapas para seguir, pois isso vai tornar o processo mais organizado. Também vai evitar que você se esqueça de um dos seus objetivos e fique sem agir por ele.

Organizando as finanças

Você já deve ter notado, mas vale a pena ressaltar que o básico para ter saúde financeira é o conhecimento. Você precisa conhecer seu orçamento para saber o que fazer com ele.

Mas não apenas isso. Também será preciso ter organização e planejamento, para que seu trabalho com as finanças seja frequente.

Mudar seu modo de gastar hoje e fazer algo completamente amanhã terá péssimos efeitos. Logo, é essencial criar um método e metas e seguir o planejado.

Para isso, seus planos devem ser condizentes com a realidade. Não adianta, por exemplo, traçar como meta guardar R$ 500,00 se você só ganha um salário mínimo, paga todas as suas contas sozinhas e ainda precisa arcar com o aluguel de casa.

Criar metas maiores do que você pode alcançar pode, pelo contrário, causar frustração. O que vai dificultar não apenas cuidar do orçamento, mas pode afetar todo seu bem-estar.

Dessa forma, seja realista. Entenda bem suas finanças, o que você pode fazer por elas, e crie um planejamento detalhado. Assim, sua chance de sucesso será maior.

Uma dica também é procurar fazer uma renda extra. Pode ser conseguindo um trabalho freelancer (os famosos “bicos”), fazer a venda ou revenda de produtos, prestando consultoria ou outro. Ter um dinheiro a mais do que o previsto pode facilitar muito colocar o orçamento em dia e trabalhar por suas metas.

Comentários