Na mesma medida em que é um ambiente versátil e vantajoso, a meio virtual é cheio de perigos. Você com certeza já ouviu falar do vazamento de imagens ou dados pessoais, por exemplo.

As empresas também sofrem com este tipo de ameaça, e há um golpe bastante comum para este público: o chamado ransomware.

O que é Ransomware?

O ransomware é uma espécie de vírus para computadores e dispositivos móveis. Ele se instala nos equipamentos e “sequestra” informações relevantes.

Ao mesmo tempo, o vírus bloqueia sua utilização pelos donos do aparelho. Pode, então, impedir a visualização de informações como fluxo de caixa e dados bancários.

Em troca do retorno do controle dos dados, os crackers (que invadem sistemas de forma ilegal) solicitam o pagamento de valores de “resgate”.

Os crackers são diferentes dos hackers. Apesar dos criminosos da internet serem geralmente referidos como hackers, na verdade estes são especialistas das redes de computadores, que a utilizam de forma legal.

Como ransomware acontece?

Normalmente, o criminoso da web consegue acessar o computador de um indivíduo por meio de um e-mail spam. Ao clicar em um link suspeito, o usuário “instala” o vírus em seu dispositivo, permitindo que o cracker tenha acesso a toda a máquina. Em seguida, as informações disponíveis são sequestradas e bloqueadas.

A visita a sites duvidosos, o download ilegal de documentos e músicas ou de aplicativos maliciosos também são portas de entrada para a invasão.

Sequestro de dados por meio do ransomware pode trazer muitas dores de cabeça e prejuízos à empresa.

Assim que o dispositivo eletrônico é invadido, a vítima do vírus recebe um contato por e-mail. Por meio da mensagem, o cracker informa a invasão e solicita o pagamento de resgate.

Para que não haja possibilidade de rastreamento pela polícia, é comum que o pagamento seja realizado por meio de bitcoins, ou seja, moedas virtuais.

É sempre possível contatar o setor de TI da empresa e solicitar ajuda. Infelizmente, porém, é comum também a necessidade de quitar o resgate para obter os dados de volta.

Previna-se do problema!

Sem dúvida, o sequestro de dados gera uma série de dores de cabeça. Por isso, o melhor a se fazer é prevenir o problema. Para isso, evite fazer o download de arquivos ilegais.

Também não abra links suspeitos ou e-mails de desconhecidos. As mensagens que oferecem ofertas insanas de compra são as mais perigosas.

Outra medida importante é contar com um antivírus forte e atualizado. As empresas de segurança atualizam seus sistemas continuamente, visando impedir as temidas invasões virtuais.

Mercado oferece uma série de antivírus de boa qualidade. Para empresas, é interessante adquirir versão paga, mais completa.

É igualmente interessante instalar o chamado firewall. Ou seja, um programa que atua como um filtro na navegação pela internet, bloqueando links e sites suspeitos.

Finalmente, tenha o cuidado de armazenar todas as informações da empresa na nuvem. Ou seja, no serviço de armazenamento virtual, que permite o acesso dos dados em qualquer local, mesmo que o computador principal esteja infectado pelo vírus.

Neste caso, é fundamental manter o backup automático das informações, quer dizer, enviá-las à nuvem periodicamente.

Em todo o caso, é importante manter esses dados virtuais protegidos por senha e criptografia. As informações devem ser gerenciadas e monitoradas pelo serviço de TI da empresa, para que qualquer problema seja logo verificado e eliminado, caso ocorra.

Escrever comentário