As dívidas trazem várias consequências negativas em nossas vidas, e elas vão muito além de ficar com o nome sujo e não conseguir crédito. De acordo com um estudo do Instituto Locomotiva, não quitar as dívidas prejudica o sono, a autoestima, o rendimento profissional e até mesmo o apetite dos endividados. 

Ou seja: ter uma vida financeira equilibrada é muito importante para a sua saúde física e mental. Diante disso, como fica a situação de quem recebe pouco e tem dívidas? Se esse é o seu caso, saiba que milhões de brasileiros também estão com o mesmo problema.

Felizmente, existe luz no fim do túnel e o objetivo deste conteúdo é apontar algumas dicas práticas para quem não tem muita grana, mas quer muito negociar as suas dívidas. Vamos lá?

Conheça as suas dívidas

Você sabe o valor total das suas dívidas? Muita gente endividada evita até mesmo olhar para os débitos para escapar do estresse, mas fazer um mapeamento de todas as contas em atraso é o primeiro passo para conseguir colocar tudo em dia. 

Então, mãos à obra! Crie uma lista no computador ou em um caderno, como achar melhor. O importante é analisar cada débito e registrar informações, como:

  • data em que a dívida foi feita;
  • o produto ou serviço que gerou a dívida;
  • valor inicial;
  • valores atualizados de juros e multas;
  • formas de entrar em contato com o credor.

Depois de fazer isso, se existir mais de um débito você vai descobrir qual é a ordem de pagamentos de dívidas mais interessante no seu caso. As dívidas que constam no SPC e Serasa, por exemplo, precisam ser quitadas rapidamente se o objetivo é voltar a ter crédito na praça.

Outro ponto que precisa ser observado é a taxa de juros cobrada. Dívidas de cartão de crédito e de empréstimos costumam ter juros mais altos e também pode ser interessante priorizá-las.

Tente criar uma meta de economia mensal

Após descobrir o quanto está devendo e quais são as dívidas que precisam ser priorizadas, chegou a hora de definir se você vai conseguir poupar mensalmente uma quantia para resolver essa situação.

Nessa etapa, assim como em todas as outras, é fundamental ser realista. Não adianta se comprometer a reservar metade do salário para pagar as dívidas e não conseguir manter as suas responsabilidades atuais, como contas de água, luz, aluguel e supermercado. 

Mantenha a calma e analise cuidadosamente a sua situação!

Nós sabemos que para uma pessoa que tem filhos e vive com um salário mínimo, por exemplo, é muito complicado reservar parte do salário. Entretanto, existem outras situações que permitem que o endividado, mesmo recebendo pouco, consiga guardar algum dinheiro por mês.

Nesses casos, qualquer valor é válido porque o principal objetivo é criar o hábito de poupar. Dessa forma, quando a pessoa passar a ganhar mais, vai ter facilidade em economizar mais — o que é ótimo para ficar com o nome limpo, mas principalmente para a realização de sonhos. Afinal, dinheiro não serve só para pagar boletos.

Agora, vamos supor que, ao analisar o valor das suas dívidas e a sua vida financeira atual, você chegou à conclusão de que seria adequado economizar pelo menos R$ 100 por mês. 

No entanto, o seu salário já está totalmente comprometido e não é possível assumir esse compromisso agora. O que fazer? Vamos apresentar algumas alternativas no próximo tópico.

Reduza os seus gastos ou faça uma renda extra

Reduzir as despesas é uma forma eficiente e prática de fazer sobrar um dinheiro no final do mês e quitar as dívidas. Analise as suas contas e veja se está tendo algum gasto desnecessário ou se é possível reduzir alguma despesa.

Veja algumas alternativas para fazer isso:

  • use cupons de desconto e cashback sempre que possível (em algumas plataformas, como o PicPay, você consegue receber dinheiro de volta ao pagar boletos do dia a dia);
  • faça uma lista de compras antes de ir ao supermercado e organize cardápios semanais para evitar ficar sem ter o que comer em casa e precisar pedir comida;
  • reúna os moradores da casa e combine medidas para reduzir as contas essenciais, como luz e água;
  • ligue para as operadoras de celular, internet e TV a cabo para tentar conseguir descontos.

Não consegue ou não quer cortar despesas no orçamento doméstico? Outra medida interessante é aumentar a sua renda mensal com um trabalho extra. Existem algumas alternativas que exigem pouco ou nenhum investimento e que podem ser feitas pela internet. Separamos algumas ideias:

  • venda suas roupas que estão em bom estado pela internet (brechós estão super em alta!);
  • observe se existem outros objetos na sua casa que não estão sendo usados e podem se transformar em uma grana extra;
  • faça e venda salgados, doces ou marmitex na região em que você mora;
  • participe de programas de revendas de alguma empresa;
  • faça cadastro em aplicativos de transporte ou de entregas;
  • procure por plataformas especializadas e venda infoprodutos. 

Negocie com os credores

Conseguiu juntar uma grana? Então está na hora de entrar em contato com os credores para negociar as dívidas. Lembre-se que a empresa também tem muito interesse em resolver o problema e possivelmente vai oferecer facilidades para que um acordo seja fechado.

Geralmente, pagamentos à vista proporcionam descontos mais interessantes, mas se não for possível quitar tudo de uma vez, não tem problema. O parcelamento dos débitos também pode ser um ótimo caminho. O mais importante é garantir que o valor acordado caiba no seu bolso. 

Além de entrar em contato pelo telefone ou mesmo pelas redes sociais dos credores, vale a pena verificar se a dívida está em algum portal de negociação online

Essas plataformas especializadas permitem que você renegocie suas dívidas sem precisar sair de casa, em qualquer horário do dia, de forma rápida e segura. Isso sem falar que você pode conseguir descontos e condições de pagamento muito atrativas.

Pela Meu Acerto, por exemplo, você pode negociar dívidas com o Banco Inter, a SKY, Banco BMG, o C6 Bank e várias outras instituições. E com descontos exclusivos, que dificilmente você vai encontrar em outro canal! 

Esperamos que este conteúdo tenha inspirado você a ter uma vida financeira mais saudável e iluminado o seu caminho para quitar suas dívidas. 

Nós sabemos que não é fácil, principalmente para quem recebe pouco e tem várias contas para pagar, mas nós estamos aqui para ajudar. Afinal, essa é exatamente a missão do Pago Quando Puder! 

Se quiser se aprofundar ainda mais na educação financeira e conferir outras dicas para negociar suas pendências, clique aqui e baixe gratuitamente o nosso e-book sobre negociações de dívidas. Até a próxima! 

Comentários