Não há como negar que os títulos de crédito são uma das formas mais conhecidas para se tomar crédito no cenário econômico atual. Ele pode servir para expandir os negócios, pagar dívidas, fazer compras de imóveis e inúmeras outras funções que exigem uma quantia significativa de dinheiro.

Portanto, é muito importante que as pessoas conheçam os conceitos por trás dos títulos de crédito e entendam como eles funcionam.

Afinal, o que são títulos de crédito?

Títulos de crédito consistem em documentos que significam que determinada quantia deve ser paga a alguma pessoa ou instituição. Ou seja: a existência do título de crédito gera, ao mesmo, um direito e um dever. O direito do portador de receber o documento e o dever do emissor em pagá-lo.

Os títulos de crédito são fundamentais para a economia, pois é através deles que os tomadores de crédito e os detentores de capital podem fazer negócios. Por exemplo: se uma instituição financeira possui capital ocioso, ela pode acabar perdendo valor de compra ao longo do tempo por conta do fenômeno da inflação. No entanto, ela pode emprestar esse dinheiro e ganhar juros.

Assim, uma pessoa que deseja adquirir dinheiro para investir em seu próprio negócio, comprar um imóvel ou carro, pagar dívidas ou até mesmo viajar pode pegar esse valor e pagar com juros depois.

Em geral, títulos de crédito são voltados para compras maiores, muito embora haja exceções, como veremos. Como esse mecanismo está muito presente na vida de todos, é fundamental entender as diferenças entre os diversos tipos de título de crédito.

Cheque

O cheque é um conhecido de muitos brasileiros, tendo dominado o mercado por muito tempo. Apesar de alguns preferirem outras formas de pagamento, como cartão de crédito e PIX, o cheque ainda tem seu uso bastante difundido.

Esse tipo de título de crédito consiste em um documento no qual o titular de uma conta corrente emite um pedido para que seu banco forneça uma certa quantia ao tomador do cheque. Existem algumas fraudes envolvendo cheques, como o cheque sem fundo ou alterações feitas no documento. No entanto, ele ainda é amplamente popular.

CDB

A cédula de crédito bancário (CDB) é um título privado emitido por uma pessoa ou instituição em favor de uma instituição financeira. Assim, o emissor deve realizar um pagamento a esse banco. O CDB é utilizado como forma de investimento: bancos pegam seus CDBs e os oferecem aos correntistas, que podem lucrar com essa rentabilidade.

CDBs podem ter vencimentos e rentabilidades diversas. De forma geral, são considerados ativos bastante conservadores de renda fixa.

Letra de câmbio

A letra de câmbio é um documento que possui tempo e local determinados a serem pagos, sendo mais um dos tipos de títulos de crédito. Apesar do nome, o documento não refere a moedas estrangeiras. É, na verdade, um título emitido por uma instituição financeira, o que o torna uma opção de investimento de renda fixa.

Nota promissória

A nota promissória consiste em um título no qual seu criador assume a obrigação de pagamento de um valor discriminado nesse documento. Ou seja: ela nada mais é que a garantia de um pagamento assinado pelo comprador. Uma vez que o pagamento é efetuado, o recibo do pagamento é entregue ao comprador.

Duplicata

Por fim, a duplicata é um tipo de documento emitido pelo credor. Nele, constam dados como o valor a ser pago e a data de vencimento. Esse título de crédito também é chamado de duplicata mercantil.

Comentários