Powered by Rock Convert

Em tempos de crise econômica e alta da taxa de desemprego, muitas pessoas se encontram endividadas. O resultado é o chamado “nome sujo”.

Com dívidas não pagas, as empresas credoras acabam por incluir o nome e o CPF dos devedores em Órgãos de Proteção ao Crédito. As entidades de proteção ao crédito mais usadas pelos credores são: Serasa, SPC (Serviço de Proteção ao Crédito) e SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito).

Com isso, o consumidor fica negativado e não consegue fazer diversas transações bancárias e financeiras, como: solicitar cartão de crédito, realizar compras a prazo, pedir talões de cheque, fazer financiamentos e empréstimos pessoais, entre outras.

Nesse momento, com o “nome sujo” pode surgir a pergunta:  Quanto tempo o nome fica sujo no Serasa, SPC e SCPC?

Órgãos de Proteção ao Crédito têm prazo para manter nome do consumidor em seus cadastros.

Quanto tempo o nome fica sujo no Serasa, SPC e SCPC?

Bem, a princípio o seu nome fica registrados nesses cadastros até que você acerte a dívida com o credor. Assim que você paga um débito em aberto ou o negocia, o seu nome e CPF deixam o cadastro no prazo de 5 a 7 dias úteis – a contar da data da baixa do pagamento.

Período máximo

Porém, de acordo com o CDC (Código de Defesa do Consumidor), esses cadastros que negativam o nome e o CPF dos consumidores inadimplentes não podem manter os dados do consumidor por mais de 5 anos.

É possível limpar o nome no SPC e no Serasa sem o pagamento da dívida acumulada?

A resposta é não. É possível que existam maneiras fraudulentas e desonestas de se conseguir isso, porém, a questão aqui é se existe uma maneira legal e comprovada de conseguir retirar o nome dos órgãos de proteção ao crédito sem arcar com a dívida que a pessoa acumulou. Alguns sites prometem vender apostilas e métodos que irão lhe instruir de forma legal a retirar o nome dos órgão de proteção

Caso você queira deixar suas dívidas pendentes até que o tempo de cobrança venha a expirar (caducar), saiba que isso também não existe.

  • O que acontece é que os bancos e instituições financeiras de um modo geral perdem o direito de cobrar uma dívida após 5 anos. Isso é regido no art 205 do Código Civil, sendo que todas as dívidas irão expirar após o prazo de cobrança.
  • Mesmo que a dívida já exista a mais de 5 anos, ainda assim ela irá constar nos bancos de dados dos órgãos de proteção ao crédito.

Caso seu nome permaneça nos cadastros após o prazo

Se você fez o pagamento de uma dívida, aguardou o prazo estipulado e percebeu que seus dados continuam na Serasa, no SPC ou no SCPC, a primeira medida é reclamar com o credor que negativou o seu nome. A exclusão deve ser pedida imediatamente.

Se isso não acontecer, você pode abrir reclamação junto ao Procon ou à Justiça Especial (antigo Pequenas Causas). Além de ter sua situação regularizado você abrir uma ação judicial contra o credor por Danos Morais e Materiais.

Agora, se você esperou 5 anos e viu que sua dívida também permanece ainda nos cadastros dos Órgãos de Proteção ao Crédito, você deve entrar em contato com essas entidades pedindo a regularização. Nesse caso também é possível mover ação por Danos Morais e Materiais.

Mas atenção, embora o nome seja excluído dos registros em 5 anos, as dívidas continuarão existindo e podem ser cobradas pelas empresas credoras.

O consumidor negativado não consegue fazer diversas transações bancárias e financeiras como solicitar cartão de crédito, realizar compras a prazo, pedir talões de cheque, fazer financiamentos e empréstimos pessoais.

Dicas para não ter o nome incluído em cadastros de Proteção ao Crédito

Agora que você já sabe quanto tempo o nome fica sujo no Serasa, SPC e SCPC, siga algumas sugestões para o seus dados não irem para o cadastro desses Órgãos de Proteção ao Crédito.

– Ao receber a cobrança de uma dívida pela qual não poderá pagar, procure a empresa credora. Tente uma negociação em pequenas parcelas antes de ficar com o nome sujo,

– Não pague o valor mínimo da fatura do cartão de crédito, pois a dívida aumentará muito. Esse é um dos principais motivos pelo qual o consumidor não consegue arcar com o pagamento.

– Troque muitas dívidas por uma. Faça um empréstimo pessoal e quite todas as suas dívidas, assim, você ficará com apenas um débito para pagar – reduzindo a chance de ir parar na Serasa, no SPC ou no SCPC.

Siga as dicas e tenha sempre o seu nome limpo no mercado!

Powered by Rock Convert

Escrever comentário

Shares