Powered by Rock Convert

Que as Fintechs estão em alta todos sabemos. Que muitas estão surgindo todos os dias e desafiando o paradigma do relacionamento banco-cliente todos também sabemos. Afinal, quem ainda não ouviu falar sobre o Nubank?? (Caso não tenha escutado, não precisa ficar com vergonha! Clique aqui e navegue pelo site deles)

Mas e sobre as plataformas de peer-to-peer lending, você já ouviu falar? Se não, você pode estar perdendo uma grande oportunidade de dar um boost nos seus investimentos ou lutar contra as altas taxas de juros cobradas pelos bancos.

peer-to-peer-loans
O peer-to-peer lending veio para ficar.

A primeira plataforma de empréstimos peer-to-peer surgiu em 2005, no Reino Unido, com o nome de Zopa. Ela é um tremendo case de sucesso e ainda está listada como uma das maiores plataformas p2p do mundo.

As duas maiores plataformas p2p dos Estados Unidos, Prosper e Lending Club, juntas, já movimentaram mais de 6 bilhões de dólares desde sua fundação – 2005 e 2006 respectivamente.

Isso mesmo! 6 bilhões de dólares! Esse é um mercado gigante e que vem crescendo a taxas altíssimas. Para você ter uma noção da taxa de crescimento, no Reino Unido, em 2014, foram investidos £1,3 bi frente aos £480 mi em 2013. Isso representa um aumento astronômico de quase 170%…

Talvez a proposta de valor que essas plataformas deveriam estar vendendo não deveria ser o conceito de p2p propriamente dito, mas o aumento da eficiência através do uso da tecnologia e a habilidade de servir os tomadores de crédito de uma forma e velocidade que os bancos nunca antes puderam.

Mas por que o p2p vem crescendo tanto?

Primeiro, para saber os motivos de tantas pessoas estarem utilizando essas plataformas, é importante entender o conceito do peer-to-peer lending.

p2p
Pessoas investem em pessoas.

Significado p2p

Peer-to-peer, em sua tradução literal, significa pessoa para pessoa. No mercado p2p lending, pessoas investem em pessoas, acabando com a necessidade de intermediação do banco.

Já era hora do modelo de negócios p2p invadir o setor financeiro. Nós vivemos em uma sociedade sofisticada e totalmente conectada, mas que ainda faz uso dos antigos modelos bancários.

Chegou a hora de quebrar esse paradigma!

Mas o que de fato é o peer-to-peer lending?

O p2p é um two-sided market, ou seja, existem dois lados de atuação e monetização. De um lado, encontra-se o investidor, que busca retornos maiores que os investimentos bancários, e do outro, o tomador de empréstimo, que busca taxas de juros menos elevadas.

Ambas as partes são conectadas através de uma plataforma online, tornando possível o tão sonhado investimento de pessoas em pessoas.

Isso já existia… quem nunca emprestou para um familiar ou pegou emprestado de um amigo??

Porém, se pararmos para pensar, a ideia de pessoas emprestando dinheiro para pessoas existe há muitos anos. A diferença é que com essas plataformas, elas passaram a emprestar para outras desconhecidas, baseadas apenas em suas informações de crédito.

conexao
A conectividade viabiliza o modelo de negócio.

E por que o p2p está se tornando tão popular?

Para entender o motivo pelo qual o peer-to-peer está crescendo tão rapidamente é vantajoso avaliar cada um dos lados separadamente.

Tomadores de empréstimos

Com a crise financeira de 2008, muitos bancos e instituições financeiras mundiais foram afetadas. Pessoas que antes conseguiam empréstimos a taxas interessantes passaram a ter seus pedidos negados.

A utilização dos cartões de crédito aumentou de forma significativa, com taxas de juros anuais altíssimas.

O p2p surgiu então como uma necessidade dos tomadores de empréstimo de obter taxas de juros menos elevadas. O modelo de negócio se encaixou perfeitamente ao momento e necessidades das pessoas.

Além das menores taxas de juros, as plataformas de empréstimo peer-to-peer inovaram no método de tomada de empréstimo, que é 100% online e muito menos burocrática.

Investidores

Existem diversas vantagens para os investidores, mas o principal é, com certeza, as maiores taxas de retorno em seus investimentos.

Em países da União Europeia, por exemplo, a taxa de juros anual está fixada em -0,76%, como um incentivo ao investimento e desenvolvimento da economia, que vem passando dificuldades para alcançar o crescimento planejado.

Investindo em outros peers, os europeus conseguem maiores taxas de retorno em seus investimentos.

Normalmente, nas plataformas de empréstimo peer-to-peer originais, os investidores podem escolher seus investimentos, podendo estes ser de maior ou menor risco. Quanto maior o risco, maior o retorno prometido.

Powered by Rock Convert
europe A Europa já adotou a moda p2p.

E como exatamente essa plataforma funciona?

A ideia é muito simples, por mais complexos que sejam os sistemas por trás de cada etapa.

Num primeiro momento, o tomador de empréstimo faz o cadastro na plataforma, fornece uma série de informações e então solicita o empréstimo. Dentre as mais usuais estão as informações:

– comportamentais

– psicológicas

– financeiras

– socio-demográficas

A plataforma gera uma análise de risco em cima de cada tomador de empréstimo, retornando a possibilidade daquela pessoa dar default, ou seja, se tornar inadimplente.

Caso seja aprovado o pedido, a solicitação é tornada pública na plataforma, com uma espécie de nota advinda da análise de risco.

Os investidores, por sua vez, têm acesso a todos os pedidos de empréstimos efetuados e podem escolher em quais querem investir. É nesse momento que ele escolhe o nível de risco do investimento e, por consequência, as taxas de retorno. Não é necessário que um investidor invista o montante completo do empréstimo, dividindo dessa forma o risco com outros investidores.

No momento em que 100% do valor do empréstimo é completado, ele é então concretizado e o montante arrecadado é transferido para o tomador de empréstimo.

A partir desse momento, o tomador de empréstimo deve pagar as mensalidades e taxas de acordo com o contrato assinado.

Muitas pessoas se interessam pelas plataformas  peer-to-peer pois dessa forma elas sentem que estão investindo em pessoas e não bancos ou fundos.

Como qualquer outro investimento, o p2p também apresenta riscos. As plataformas puras de p2p ainda não chegaram ao Brasil, mas com certeza em pouco tempo elas estarão presente em nosso país!

Dessa forma, é interessante saber quais ações podem ser tomadas para ajudar na mitigação dos riscos envolvidos na sua utilização.

bow-tie-businessman-fashion-man-large
Esteja preparado para investir.

Entenda o peer-to-peer

O primeiro passo é entender profundamente o conceito do p2p e como a plataforma funciona. Conheça as taxas envolvidas, os termos assinados, como são estabelecidas as taxas de juros, o prazo dos pagamentos.

É importantíssimo conhecer as regras do jogo!

Diversifique seu risco

Diferentes investimentos apresentarão diferentes riscos e diferentes taxas de retorno. Mantenha o equilíbrio entre eles e você estará seguro.

Seja consciente na hora de investir

Muitas plataformas apresentam planos de investimentos, que podem variar desde os mais conservadores até os mais arrojados. Caso você opte por realizar seus próprios investimentos, saiba onde está colocando o seu dinheiro. Conhecer a pessoa física ou jurídica na qual seu dinheiro será investido pode ser crucial para a tomada de decisão.

Os riscos são reais e a inadimplência existe

Por mais cauteloso que você seja, existe a chance de inadimplência. Faz parte do jogo. E é por isso que a diversificação dos seus investimentos é tão importante! Tenha em mente que alguns dos seus investimentos podem ser em pessoas inadimplentes e leve isso em consideração na hora de realizá-los.

As plataformas p2p surgiram como algo disruptivo no século 21. O paradigma dos bancos está sendo quebrado.

As Fintechs estão chegando com força total para mudar a dinâmica do relacionamento do homem com seu dinheiro.

Fique por dentro dessa nova tendência, basta se registrar em nosso blog!

Powered by Rock Convert
Author

Comentários

Shares