Powered by Rock Convert

Desde que o cartão de crédito se popularizou e os meios para obtenção acabaram se tornando mais fáceis, o pagamento com dinheiro foi progressivamente sendo jogado para escanteio.

O mais perto que chegamos do pagamento à vista é sem dúvida o cartão na modalidade de débito. Mas habitualmente sempre optamos pelo pagamento no crédito e ainda parcelado.

Mas qual de fato é o melhor? E o que considerar na hora da escolha?

Pagamento à vista

Quando você está comprando bens de menor valor habitualmente tende a escolher o pagamento à vista, em espécie, ou por meio do cartão de débito.

Por regra, quando o valor da compra é mais alto ou não dispomos de todo o capital no momento da compra, optamos pelo pagamento no crédito ou parcelado.

Quando detemos do dinheiro suficiente para compra o que devemos escolher?

Geralmente os meios de proteção ao consumidor orientam que o pagamento no crédito, mas, principalmente o pagamento parcelado, deve ser evitado como uma forma de manter as finanças em dia. Isso realmente pode ajudar a evitar o endividamento?

O cartão de crédito deu ao consumidor um poder de compra que ele de fato não detém, muitas vezes.

O cartão é considerado por muitos economistas como o responsável não só pelo endividamento bem como pelo consumismo, uma vez que, sem dinheiro vivo para a compra e sem condições de parcelar a dívida, pagando-a posteriormente, as chances de você comprar um bem de que não precise é menor.

Vantagens do pagamento à vista

Além de representar nosso real poder de compra naquele momento presente e até mesmo evitar compras desnecessárias, essas não são as únicas vantagens do pagamento à vista.

Quando você está realizando a compra com dinheiro em mãos, as chances de negociar com o seu fornecedor são maiores, desta forma, é possível que você consiga economizar.

Vamos a um exemplo prático: você está comprando para a sua empresa determinada matéria prima. Suponhamos que você tenha um restaurante e está comprando carne. O fornecedor te oferece um desconto de 15%. Não parece muito se analisarmos apenas o desconto, mas pelo valor que você adquiriu, 15% é mais do que vantajoso.

Dessa forma o pagamento à vista pode ser cogitado como uma boa opção.

O pagamento à prazo

Quando o cliente opta por pagar a sua compra a prazo, ou ainda parcelado está se comprometendo com um dívida no futuro.

No caso da compra de carnê por exemplo: com o pagamento à prazo você está se comprometendo a ter este dinheiro no futuro (com o esquema de pagamento da maioria dos cartões, no mês seguinte ao de realização da compra).

Como se não bastasse o compromisso de um débito futuro que devido à gastos imprevistos pode não ser pago, em muitos casos o pagamento à prazo sofre com a incidência de juros.

Além de você não contar com o desconto do pagamento à vista, ainda precisa arcar com novas taxas acrescidas ao valor do bem adquirido.

Powered by Rock Convert
Pleitear um bom desconto é sem dúvida a melhor vantagem do pagamento à vista, mas pode trazer problemas

Como escolher entre pagamento à vista e a prazo?

Vendo o que discutimos até o momento você deve estar certo que o melhor pagamento é sempre o pagamento à vista não é mesmo? Mas aí que você se engana.

Apesar de parecer mais vantajoso não há uma regra clara e determinante para isso, uma regra que você possa aplicar a toda e qualquer situação. É preciso analisar caso a caso.

Quer uma prova disso?

Vamos lá, a um exemplo prático de quando o pagamento à vista não é o mais indicado. Suponhamos que você recebeu a proposta dos 15% de desconto para a compra de carne à vista.

Você acabou aceitando, afinal, era uma proposta extremamente vantajosa levando em consideração o valor da sua compra.

Só que você se esqueceu de analisar o cenário macro, o macro das suas finanças e a saúde econômica da sua empresa. Com o valor a vista pago pela carne, apesar do desconto, você ceifou o seu capital de giro que deveria durar para todo o mês.

Veja, você estava acostumado com o pagamento à prazo. Dava uma pequena entrada e o restante da dívida era pago no mês seguinte. Com a compra à vista você comprometeu todo o seu capital de giro ficando desta forma sem fundos para as outras despesas do negócio.

Quer um outro exemplo?

Você sabia que não poderia comprometer todo o seu capital de giro na compra de carnê. Você sabia também que com todo aquele dinheiro deveria arcar com outros gastos que viesse a ter.

O que você fez? Você julgou que 15% era um desconto bom demais para ser desperdiçado. Acabou fazendo um empréstimo para poder aproveitar o desconto.

Não tendo planejado as parcelas do empréstimo, bem como os recursos que utilizaria para pagá-lo, você acabou endividado, atrasando as parcelas e pagando uma taxa de juros que acabou ficando muito mais cara que os tais 15% inicialmente economizados.

Quando você tem uma administração ruim e um fluxo de caixa baixo, assim como capital de giro, o mais indicado é que você evite o pagamento à vista. Essa é a atitude mais prudente porque você pode não saber o peso que cada movimentação pode causar futuramente e acabar comprometendo o seu orçamento com o que poderia ser uma economia.

Quando evitar o pagamento parcelado?

Quando você tiver dinheiro em caixa disponível para realizar a compra!

Sim, acabamos de falar que você não deve fazer o pagamento a vista para não comprometer o seu orçamento, mas analise minuciosamente as suas finanças.

Você não vai com a compra comprometer recursos que teriam outra destinação? Você ficará com dinheiro suficiente para imprevistos e gastos emergenciais? Você não está comprometendo o seu capital de giro?

No caso de empréstimo: você terá como arcar com as parcelas? Elas não comprometerão compras futuras? Com estas respostas, sozinho você conseguirá avaliar qual a melhor alternativa para você.

Lembre-se sempre de negociar um bom desconto para o pagamento à vista, o empreendedor não precisará esperar para receber o pagamento, nem terá de pagar a uma instituição financeira para fazer o adiantamento de recebíveis, certamente ele estará disposto a negociar.

Powered by Rock Convert

Escrever comentário