Powered by Rock Convert

De acordo com dados do IBGE, mais de 24 milhões de brasileiros trabalham de forma autônoma. São profissionais de diversas categorias, incluindo a de corretor imobiliário. Contudo, existe uma pergunta comum a todos eles: “Como me organizar financeiramente?”.

Essa questão ficou ainda mais pertinente durante o período da pandemia. Devido à necessidade de isolamento social, com o objetivo de conter o avanço do vírus, muitas pessoas tiveram suas rotinas de trabalho modificadas — o que impactou renda mensal delas.

Nosso objetivo aqui é mostrar como os profissionais autônomos podem se planejar para lidar com momentos de instabilidade financeira. Vamos entender mais sobre isso juntos?

Como me organizar financeiramente em tempos de fartura?

Uma das vantagens do trabalho autônomo é que o profissional pode ganhar muito mais em relação a quem recebe salário fixo. No caso dos corretores de imóveis, as comissões são um grande atrativo dessa profissão.

O problema é que em momentos de alta nas vendas, muitas pessoas não pensam em planejamento financeiro — afinal, as contas estão sendo pagas em dia e ainda sobra um dinheiro.

O mercado é feito de altas e baixas, e isso vale para todos os segmentos da economia. Portanto é fundamental sempre se manter atualizado sobre o cenário econômico as mudanças do setor. Mas o que pode ser feito quando o corretor experimenta um bom momento financeiro?

Crie uma reserva financeira

Esse assunto tem sido bastante debatido nos últimos anos — e isso é ótimo. Ter uma reserva financeira, capaz de sustentar você por, no mínimo, seis meses, é fundamental. Para isso, primeiro, calcule quanto custa o seu padrão de vida.

Não é o quanto você ganha, mas de quanto precisa para manter as contas essenciais pagas durante esse período mínimo de seis meses. A reserva financeira precisa estar em um investimento de alta liquidez. Isso quer dizer que poderá sacá-lo rapidamente. Nesse caso, as opções de renda fixa são as mais indicadas.

Invista na sua formação

Neste artigo, nós estamos falando sobre educação financeira. Sendo assim, você está investindo o seu tempo com a leitura dele, tendo o objetivo de aprender mais sobre o tema, certo? Ótima atitude!

Entretanto, quando temos um dinheiro sobrando devemos investir em cursos, livros, revistas etc. que nos ajudem a aumentar nosso conhecimento sobre determinado assunto — fuja das fake news compartilhadas pelas redes sociais. Estar bem-informado vai ajudar você a tomar melhores decisões.

Quando um corretor começa a aprender mais sobre algo, ele se destaca no mercado, podendo se tornar um especialista imobiliário. Por isso, invista em aprimoramento contínuo e capacitação profissional em vendas e gestão imobiliária.

Compre apenas o necessário

É muito fácil se deslumbrar no começo da profissão de corretor. As comissões podem fazer você gastar sua renda em coisas desnecessárias, com o objetivo de impressionar amigos, familiares, colegas ou a si mesmo.

Evite esse comportamento, porque ele não é saudável, criando dívidas tão caras que você pode se descontrolar mesmo batendo recordes de vendas. O interessante é se questionar sobre o que o leva a comprar algo. Em muitos casos, são decisões causadas pelo impulso.

Faça um seguro

Dentro do planejamento financeiro, os seguros devem ser usados como estratégias de defesa. É provável que você tenha um para o seu carro. Isso ocorre porque, devido às possibilidades de se envolver em um acidente no trânsito, ou de perder o carro em um assalto, as pessoas veem a necessidade desse serviço.

Contudo, infelizmente, existem outros riscos que podem nos acometer. Faz parte da vida. Se você tem dependentes, é interessante avaliar a contratação de um seguro de vida. Portanto, faça uma pesquisa de mercado, converse com colegas corretores e verifique qual serviço é mais adequado.

Powered by Rock Convert

Seguro para sua casa

Dependendo da região do país onde você vive, o seu imóvel pode estar mais sujeito a danos causados por chuvas, vendavais, entre outros fatores. A contratação de um seguro para a sua casa também ajuda a lidar com momentos de dificuldades.

Seguro contra invalidez temporária

Se você atua como microempreendedor individual (MEI), já conta com um seguro contra invalidez temporária pago pelo Governo: chama-se auxílio-doença.

No entanto, o valor desse benefício obedece a um teto que nem sempre é o suficiente para o indivíduo se manter sem recorrer à sua reserva de emergência. Nesse caso, é interessante contratar um seguro contra invalidez temporária.

O valor pago pelas seguradoras é uma média de salários anteriores, notas fiscais emitidas, depósitos em conta corrente e outros. Por isso, a contratação de um seguro desse tipo pode ser vantajosa — até porque, como são pagos anualmente, costumam ser mais baratos do que as outras modalidades.

Mapeie os seus gastos

Use planilhas, aplicativos, caderno e o que mais quiser para anotar todos os seus gastos — fixos e variáveis, pessoais e profissionais. Essa prática ajudará você a descobrir padrões em sua forma de consumir, permitindo modificá-los.

Como me organizar financeiramente em tempos de crise?

Uma crise ocorreu. Não importa se é uma pandemia ou uma baixa no mercado imobiliário, e sim que as vendas caíram. Quais devem ser os primeiros passos a serem dados? Veremos a seguir!

Corte gastos

Não é que alguns gastos sejam desnecessários, se algo traz algum tipo de satisfação ou de felicidade, esse custo é importante. Mas em tempos de crise, os recursos devem ser direcionados para produtos e serviços essenciais.

Nesse caso, em vez de contratar o plano mais caro da operadora de tevê, opte pelo mais barato — ou cancele, se você não usá-lo com frequência. Serviços essenciais são aqueles necessários para o seu bem-estar e o dos seus dependentes.

Alimentação, aluguel (ou financiamento), contas domésticas (água, luz etc.), plano de saúde e medicamentos são exemplos de gastos fundamentais. Pare um tempo para descobrir quais são os seus.

Economize

Tempos de crise pedem economia. Isso vale para o consumo de energia elétrica e água, mas para outras questões também. Fazer compras em supermercados atacadistas, optar por marcas mais baratas e usar o transporte público são algumas medidas que podem fazer com que sobre dinheiro no final do mês. Afinal, quando o assunto é planejamento, cada centavo conta.

Fuja do cartão de crédito

Crédito consciente é algo importante nesse momento. Muitas pessoas acham que o cartão de crédito é uma extensão da sua renda. Na verdade, não é. Trata-se de um empréstimo pré-aprovado com taxas de juros elevadas. Se você pode pagar à vista, evite esse recurso.

Como me organizar financeiramente agora?

Em primeiro lugar, mantenha a calma. Nervosismo pode gerar péssimas decisões. Em segundo lugar, durante uma crise, bilhões de pessoas também estão na mesma situação. Não se trata de você ou da sua capacidade.

Se precisar, recorra ao crédito pessoal — ele é mais barato que o cartão de crédito. Contudo, siga as outras dicas deste artigo para evitar que essa dívida se torne muito cara. Ademais, pesquise as melhores condições de crédito.

“Como me organizar financeiramente?” Bem, agora você tem várias ideias de como fazer isso. Comece agora e se lembre que todas as crises são passageiras. Portanto, crie oportunidades de vendas a fim de destacar no mercado, seja pela inovação, seja por meio de cursos, seja pela busca por novos mercados.

Se quiser continuar aprendendo, recomendamos a leitura de um artigo especial com técnicas para você vender mais.

Powered by Rock Convert

Comentários