Powered by Rock Convert

Famoso entre os estudantes universitários, o Fies é um tipo de financiamento estudantil destinado ao ensino superior. Ele é composto por várias regras e benefícios que podem proporcionar uma grande oportunidade para quem quer estudar, mas não tem condições de manter o pagamento da graduação durante o período de estudo.

É por essa e muitas outras razões que o financiamento estudantil tem sido cada vez mais procurado no Brasil. Sendo assim, reunimos várias informações importantes para você aprender o que é Fies e como ele funciona. Confira!

O que é Fies?

O Fies, ou “Fundo de Financiamento Estudantil” é um dos programas criados pelo MEC (Ministério da Educação) que tem como objetivo facilitar o ingresso de estudantes no ensino superior. Embora o Fies seja bastante popular atualmente, ele existe desde 1999, ano em que foi criado o fundo. Desde a sua criação, o fundo tem oferecido diversas oportunidades de estudo para jovens de baixa renda, onde foi e ainda é possível realizar cursos de graduação em universidades privadas.

Sendo assim, podemos resumir que a principal finalidade do Fies é facilitar o ingresso de estudantes com baixa renda nas universidades privadas. Isso não significa que o fundo cobrirá todo o pagamento da graduação desses jovens, na verdade, o Fies apenas “financia” a graduação, como acontece em um financiamento qualquer.

Nesse caso, temos que o fundo estudantil terá todo o valor investido neste financiamento devolvido pelo estudante após a sua formação. Ao término do curso superior, o estudante precisa pagar o financiamento de forma parcelada todos os meses até que o valor total seja pago, como ocorre em empréstimos bancários e financiamentos deste tipo.

A grande vantagem, no caso do Fies, são as taxas cobradas para esse tipo de financiamento, que são sempre inferiores a de qualquer instituição bancária. É por isso que muitas pessoas têm recorrido ao Fies como método para ingressar no ensino superior, considerando que financiamentos deste tipo em outras instituições costumam ter taxas abusivas.

Quem criou o Fies?

Como já mencionamos, o Fies é uma iniciativa do governo federal e foi criado pelo Ministério da Educação ainda em 1999. Por ser uma iniciativa do governo, o Fies é considerado um programa social, onde a intenção é promover o ensino superior para as pessoas menos favorecidas.

Sendo assim, quando o estudante contrata o financiamento estudantil, é o governo quem está financiando o curso de graduação. Quando o estudante começa a pagar pelo financiamento, que ocorre junto ao término do ensino superior, ele simplesmente paga ao governo pelo financiamento que foi feito. A dinâmica é muito parecida com um financiamento bancário, com a diferença de que a iniciativa é governamental.

Fies tem limite de renda familiar máximo para participação de candidatos no programa.

Principais regras do Fies

Para entender ainda mais o que é Fies e como ele funciona, é importante conhecer as regras do programa. Dentre as regras do programa, apenas os cursos presenciais podem ser financiados com o Fies. Além disso, o curso escolhido pelo estudante precisa apresentar conceito igual ou maior que três na avaliação feita pelo Sinaes (Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior). Essas são apenas algumas das regras do programa. Veja a seguir quais são os parâmetros do Fies.

  • Participação no Enem: o MEC exige que os candidatos ao financiamento tenham realizado o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) a partir das edições de 2010. Em relação a pontuação obtida no exame, o ministério exige o mínimo de 450 pontos em cada disciplina do exame e nota superior a zero na redação. Os candidatos que zeraram na redação não podem participar do Fies, assim como aqueles que obtiveram pontuação inferior a 450 pontos.
  • Inscrição no Prouni: candidatos aprovados no Prouni de forma parcial podem contar também com o financiamento estudantil. No entanto, o MEC autoriza o financiamento estudantil juntamente com o Prouni apenas se ambos forem aplicados no mesmo curso de graduação.
  • Candidatos ao programa: todos os estudantes podem participar do programa, desde que a renda familiar esteja de acordo com o que é proposto pelo Fies. Afinal, o programa tem como objetivo garantir o ingresso de jovens de baixa renda nas universidades privadas. Sendo assim, há um certo limite de renda para que os candidatos possam se inscrever no Fies.

Modalidades do Fies

Considerando a grande variedade de renda familiar, o programa disponibiliza duas opções de financiamentos. Essas opções contam com a variação da renda familiar, onde cada modalidade conta com suas características. Veja a seguir um resumo dessas modalidades:

  • Fies – candidato precisa apresentar no máximo três salários mínimos como renda familiar mensal bruta. Ao término do curso, o candidato deverá começar a pagar pelo financiamento integralmente, caso esteja empregado, ou apenas o pagamento mínimo, caso esteja desempregado. Essa modalidade oferece juro zero, mas conta com a lista de espera para que o estudante seja aprovado.
  • P-Fies – candidato precisa apresentar no máximo cinco salários mínimos como renda familiar mensal bruta. Nesta modalidade, também é permitido o pagamento mínimo da parcela do financiamento caso o estudante esteja desempregado após a sua graduação, no entanto, não há lista de espera para a contratação do serviço de financiamento.
  • Veja como cancelar o financiamento

Financiamento estudantil privado

Embora o Fies seja uma ótima oportunidade para jovens de baixa renda, alguns estudantes podem ter uma certa dificuldade em adquirir uma vaga no programa. Nesse caso, é válido contar com outras opções de financiamento estudantil. Após a criação do Fies, várias instituições financeiras também passaram a oferecer esse tipo de crédito.

Diferente do Fies, no crédito privado o estudante não precisa necessariamente realizar um curso presencial. Caso ele queira fazer um curso EAD (Ensino à Distância) isso é completamente possível. A única grande diferença entre o crédito privado e o Fies é que não há a possibilidade de juro zero. Além disso, caso o estudante não consiga um emprego logo após a sua graduação, ele ainda precisará pagar integralmente as parcelas do financiamento.

Agora que você já sabe o que é Fies e como ele funciona, veja outros posts aqui no Juros Baixos sobre esse assunto.

Powered by Rock Convert

Escrever comentário

Shares