O Juros Baixos é uma plataforma de bem-estar financeiro com um marketplace de crédito que tem por objetivo guiar o usuário para uma decisão financeira inteligente e consciente.

Se você gosta de entender sobre dinheiro, acesse nossa página de educação financeira e entenda mais profundamente sobre diversas áreas. Desde como estruturar um orçamento pessoal até como começar no mundo dos investimentos.

JB Educação Financeira

—————————————–

A educação financeira é um tema cada vez mais falado, e não é à toa: ela é fundamental para o seu orçamento!

Aliás, ela é fundamental para o seu bem-estar. Apenas com controle das suas finanças e com perspectiva, é possível cuidar do seu dinheiro e tomar as melhores decisões para ele.

Veja a seguir tudo que você precisa para desenvolver sua educação financeira da melhor forma possível.

Afinal, o que é a educação financeira?

A educação financeira é bem mais do que a teoria do dinheiro. Na verdade, é um processo fundamental para qualquer indivíduo. Sendo assim, ser educado financeiramente é saber exatamente o porquê de cada etapa que envolva dinheiro. Não apenas suas obrigações.

Sendo assim, ter educação financeira significa entender bem os produtos, serviços e orçamento, e assim conseguir realizar decisões econômicas mais vantajosas.

Quando um indivíduo tem educação financeira pessoal, significa que ele tem controle das finanças, consegue comprar o que deseja, pagar as contas e guardar dinheiro. Isso sem que seja preciso “apertar” o orçamento ou deixar de fazer algo para favorecer outro aspecto.

Além disso, é por meio da educação financeira que as pessoas conseguem cuidar do próprio orçamento e alcançar seus objetivos. Sem acumular dívidas e ter dores de cabeça por causa de dinheiro.

Por que educação financeira é essencial para todos?

A educação financeira é essencial porque evita que as pessoas adquiram dívidas e “passem aperto” em sua vida financeira.

É algo que contribui para manter seu nome limpo e sua possibilidade de crédito e de compra. Enquanto que ter um orçamento desorganizado pode dificultar comprar bens e negociar com bancos e empresas.

Finanças e saúde mental

Ter problemas financeiros afeta diretamente a saúde mental dos indivíduos. E então, o estresse e preocupações podem levar a mal-estares físicos, dificuldade para dormir e mais.

Por isso, ter educação financeira vai além de apenas evitar dívidas e ter o nome inserido no SPC. Tem a ver com seu bem-estar, à saúde do seu organismo. Logo, é ainda mais importante para o seu dia a dia.

Educação financeira e infância

No cenário ideal, todos já seriam ensinados a respeito de como cuidar das finanças ainda na infância, mas nem sempre é isso que acontece.

Contudo, é nessa fase da vida que alguns conceitos podem ser introduzidos de forma a gerar bons resultados na fase adulta. Afinal, é nessa etapa da vida que absorvemos informações que moldam nosso futuro.

Como alcançar uma boa educação financeira?

Alcançar uma boa educação financeira é um processo. O primeiro passo dela é entender sua realidade hoje, e compreender o que pode ser mudado para fazer seu orçamento alcançar um bom ponto de equilíbrio.

Afinal de contas, não há maneira melhor de aprender educação financeira do que praticá-la. E você vai poder praticar ao cuidar das próprias finanças.

Porém, outra coisa que você vai precisar fazer é estudar. Existem várias formas de cuidar do orçamento e garantir que seus gastos vão ficar dentro do possível.

Então, vale a pena pesquisar e aprender cada dia mais sobre esse assunto. Assim, você vai poder garantir mais segurança no seu orçamento e ter segurança financeira para realizar seus sonhos.

Conceitos básicos da educação financeira

A seguir, listamos os pontos principais da educação financeira que você precisa executar. Acompanhe!

Conheça o seu orçamento

É muito importante conhecer seu orçamento. Quanto você ganha, quanto gasta e quais são esses gastos. São despesas fixas ou gastos supérfluos?

A partir desse entendimento, fica mais simples estabelecer metas. Podem ser metas para economia, para evitar dívidas, ou até para colocar os débitos em dia.

A dica é anotar tudo sobre suas finanças hoje, para ter uma noção delas. E nessa hora, ter uma planilha de controle de gastos pode ser de grande ajuda. 

Depois, ao longo do mês, anote tudo que você gastou. Assim, você poderá acompanhar seu orçamento de perto.

Defina metas de curto, médio e longo prazo

Metas ajudam a controlar os gastos e a procurar novas fontes de renda. Porque se você tem algo a alcançar, vai trabalhar por isso. Enquanto que deixar as coisas simplesmente acontecerem não cria um senso de responsabilidade, e pode não trazer bons resultados.

O ideal é definir metas de curto, médio e longo prazo. Dessa forma, você vai saber o tempo todo pelo que está trabalhando. E então, quando uma meta for alcançada, poderá definir novas.

Escolher seus objetivos vai depender do seu perfil e modo de vida. Mas uma meta de curto prazo pode ser, por exemplo, economizar determinado valor por mês. 

Já uma meta de médio prazo pode ser alcançar X valor na poupança. E por último, a meta de longo prazo será adquirir sua casa própria com todo o dinheiro economizado.

Tenha uma reserva financeira

Ter valores guardados traz mais segurança para o dia a dia e evita que você precise fazer dívidas. Se o encanamento da sua casa estragar, por exemplo, você poderá usar o dinheiro que tem na poupança para pagar pelo conserto. 

Mas se não tiver valores guardados, pode ser preciso apelar para o cartão de crédito ou para um empréstimo. Esses dois seriam novos débitos para pagar. Lidar com novas dívidas costuma bagunçar o orçamento e pode trazer dores de cabeça.

Então, como citamos, estabeleça como uma das suas metas a economia e a criação de uma reserva financeira. Assim, você conseguirá poupar dinheiro e terá acesso a ele quando precisar.

Se livre de dívidas

Acumular dívidas pode ser bem incômodo. Primeiro, porque você vai precisar guardar parte do seu dinheiro para pagar os valores. Por isso, seu poder de compra fica limitado.

Mas, além disso, as dívidas podem atrasar e acumular juros. Então, ficam mais caras, mais difíceis de pagar e trazem prejuízos para as finanças.

Para evitar tudo isso, o melhor é não fazer dívidas. Já aquelas que estão em aberto, você pode quitar para parar de se preocupar com elas.

Atualmente é possível negociar sua dívida da sua casa, sem custos, e até conseguindo descontos. Aqui no Juros Baixos você consegue solicitar uma oferta de negociação de dívidas totalmente online e comparar propostas e parcelamentos disponíveis para você.

Na hora do pagamento, você pode usar parte do dinheiro que tem guardado. Ou então, pode obter um empréstimo para isso.

Um empréstimo é uma boa opção quando o CET dele é menor do que o CET da dívida. Ou seja, seu Custo Efetivo Total. 

Porém, lembre-se que o empréstimo será uma nova dívida. É preciso ter certeza de que essa “troca” será mais vantajosa e vai deixar seu orçamento mais organizado. Uma dica é usar um simulador de empréstimo para comparar várias opções e escolher a mais interessante para seu caso.

Aprenda sobre investimentos

Fazer investimentos é fazer seu dinheiro trabalhar por você. Pode ser uma boa opção para conseguir rendimentos sem precisar se esforçar tanto.

Mas antes de investir, é importante pesquisar sobre o assunto e aprender sobre ele. Cuidado para não se envolver em golpes financeiros, e avalie bem suas opções. Assim, você vai evitar perder dinheiro.

Existem vários cursos, vídeos online, livros, textos e mais conteúdos para aprender sobre investimentos. Os próprios bancos costumam oferecer consultoria para o assunto. Você pode entrar em contato com o gerente da sua conta para saber mais.

Dicas para aprender mais sobre educação financeira

A seguir, listamos algumas coisas que você pode fazer para estudar sobre educação financeira e aprender tudo que você precisa para cuidar do seu orçamento. Acompanhe!

Livros sobre educação financeira

Se você pesquisar por livros sobre educação financeira, com certeza vai encontrar títulos bem variados. Tanto de autores nacionais, quanto de livros internacionais, mas que têm muito a ensinar à realidade do brasileiro.

Uma coisa que você vai aprender nos livros é, por exemplo, a diferença entre ativo e passivo. Os ativos são investimentos que geram retornos, enquanto os passivos apenas geram custos. 

As duas coisas estão presentes no nosso dia a dia, mas é preciso saber lidar com elas. Assim, será possível aumentar os ativos e fazer seu dinheiro trabalhar por você.

Livros com esse tema também dão dicas de como economizar e manter o orçamento dentro dos eixos. Até porque, existem gastos que muitas vezes são considerados importantes, mas podem ser poupados se você mudar de estratégia.

Segundo especialistas, o ideal é poupar cerca de 10% da sua renda mensal. Assim, você vai conseguir uma poupança para emergências e para realizar seus objetivos. Mas como fazer isso? Livros sobre educação financeira podem ter essa resposta.

Outros temas comuns nesses materiais são a geração de renda, patrimônio líquido, renda bruta e outros conceitos importantes da Economia. Aprender sobre eles é uma forma de desenvolver controle financeiro e evitar dívidas.

Se você gostaria de se aprofundar no tema através da leitura, não pode deixar de conferir livros como:

  • Pai rico, pai pobre – Robert Kiyosaki e Sharon L. Lechter;
  • Como organizar sua vida financeira – Gustavo Cerbasi;
  • Os Segredos da Mente Milionária – Harv T. Eker
  • O Poder da Educação Financeira – Robert Kiyosaki.

Cursos educação financeira

Existem vários cursos de educação financeira que você pode fazer online, sem precisar sair de casa e na hora que quiser. Eles são uma alternativa interessante para quem quer se aprofundar ainda mais no assunto e conhecer o tema por diversos aspectos.

Uma coisa que costuma ajudar nestes cursos é que, geralmente, eles têm dicas mais práticas, baseadas em casos reais. Quando o professor na tela narra uma história que pode ajudar na educação financeira, ele facilita a compreensão do assunto e a garantia do seu sucesso.

O curso do Meu Bolso em Dia, por exemplo, traz um material personalizado de acordo com o seu perfil. Então, depois de prestar algumas informações, você vai poder acessar conteúdos que combinem com sua realidade e que vão ajudar você a cuidar do orçamento.

Outro curso de educação financeira que você pode fazer é o de Planejamento Financeiro do Juros Baixos. Nele, você vai acompanhar tópicos como fundamentos das Finanças Pessoais, dicas para o dia a dia, como limpar seu nome, fazer reservas de emergência e mais.

Tem também o curso online de Gestão de Finanças Pessoais (GFP) do Banco Central do Brasil. Nele, você vai encontrar informações e ferramentas para gerir suas finanças..

Outro que você pode fazer são os cursos da ANBIMA, que geralmente tratam dicas para o cotidiano e também para o longo prazo.

Educação financeira personalizada

Aprender educação financeira a fundo e cuidar do orçamento por conta própria costuma ser bem eficaz na maior parte das vezes.

Porém, podem existir situações em que as suas finanças pedem mais. Você pode estar atolado em dívidas, por exemplo. Ou então, quer muito realizar um sonho, mas não sabe de forma nenhuma de como se organizar para começar esse processo.

Nesses casos, há sempre a possibilidade de contar com consultorias individuais para as suas finanças. Você vai contar com um especialista, que vai analisar sua vida financeira de perto e definir estratégias que poderão mudar seu modo de fazer e resultados.

Até porque, cuidar da sua vida financeira é importante para o seu bem-estar. Quando temos o orçamento bem controlado, não há estresse financeiro, nem dívidas, nem dores de cabeça pensando se a renda mensal vai cobrir os gastos do período. 

É uma consultoria até que as empresas podem garantir para os seus colaboradores. Afinal, um funcionário em paz com suas finanças tende a gerar mais resultado para os negócios.

O ponto é que existem muitas formas de desenvolver sua educação financeira, e o quanto antes você puder começar, melhor.

Inclusive, se seu orçamento está bem organizado hoje, ótimo! Mas nada impede que você estude um pouco mais e aprenda o que fazer com seu dinheiro, para garantir resultados ainda mais vantajosos.

Pode ser, por exemplo, que você tenha mais passivos do que ativos, mas não percebeu. Ou então, que se tomar algumas medidas, você consiga rendimentos ainda mais atraentes.

A dica é nunca parar de avaliar suas finanças e sempre ficar por dentro do assunto. Pode ser até assistindo a vídeos na internet ou acompanhando textos de especialistas. Assim, se novidades estiverem em alta e se encaixarem no seu orçamento, você poderá se beneficiar delas.

Colocando em prática

Depois de estudar bastante e saber o que fazer, será hora de colocar a educação financeira em prática.

Neste caso, tenha a certeza de manter uma constância nas suas atividades. Ou seja, cuidar do orçamento é algo que requer dedicação e é um trabalho constante. Por isso, busque cultivar bons hábitos que contribuam para a saúde das suas finanças.

Um simples deslize pode bagunçar suas finanças de novo. Evite fazer compras desnecessárias, e sempre avalie bem suas decisões financeiras antes de executá-las. Isso vai trazer mais segurança para sua vida financeira.

Considerações finais

A educação financeira é baseada em duas palavras-chave principais: organização e planejamento.

Você precisa se organizar para evitar dívidas e para pagar os débitos em aberto. E também precisa se planejar para garantir que suas metas de curto, médio e longo prazo serão cumpridas.

Por isso, a educação financeira pode dar trabalho. Porém, os benefícios que ela vai trazer à sua vida serão enormes. Vale a pena aprender sobre o assunto e começar a executar nossas dicas!

Comentários