A antecipação de recebíveis é uma alternativa para os microempreendedores individuais (MEIs) e as empresas que disponibilizam o pagamento por meio da máquina de cartão incrementarem o capital de giro. Segundo dados do Sebrae, divulgados em 2021, 45% dos pequenos negócios do país utilizam essa opção com frequência e outros 18%, esporadicamente. A expectativa é que essa procura seja ainda maior em 2022.

A perspectiva é justificada tanto pela maior facilidade para a antecipação de recebíveis proposta pelo Banco Central (BC) através da Resolução nº 89, quanto pelas projeções para o cenário econômico até dezembro. De acordo com a autoridade monetária, há a possibilidade de novos aumentos da taxa Selic – que pode chegar a 11,5% ao ano – para conter a alta da inflação. A medida tende a acarretar uma maior dificuldade de acesso ao crédito para pessoas físicas e jurídicas.

Além disso, o uso de cartões pelos consumidores deve seguir em alta. A estimativa da Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs) é que essas operações movimentem R$ 3 trilhões ao longo deste ano, um crescimento de 21% em comparação com 2021. De acordo com a Abecs, a recuperação gradual do setor de serviços aos níveis pré-pandemia da Covid-19 irá contribuir para essa movimentação.

Diante deste cenário, a antecipação de recebíveis deve ser mais procurada pelos empreendedores. Na prática, ela possibilita adiantar o recebimento dos pagamentos realizados a prazo pelos consumidores, permitindo o uso dos recursos para incrementar o capital de giro do negócio ou arcar com compromissos mais imediatos.

Vantagens e desvantagens

A antecipação de recebíveis é uma modalidade de crédito mais vantajosa em comparação com as outras disponíveis no mercado, uma vez que é mais barata e menos burocrática, o que garante o acesso aos recursos mais rapidamente. 

No entanto, ela também implica custos ao empreendedor e, por isso, deve ser utilizada com parcimônia. Para saber quando recorrer à antecipação, é importante administrar corretamente os recursos e manter a organização financeira dos negócios em dia.

Orientações

Realizar uma boa gestão de recebíveis exige conhecimento do negócio, disciplina para o controle das informações e tempo para a realização dos processos. Atualmente, há plataformas on-line que possibilitam otimizar esse trabalho, para que o empreendedor não tenha que fazê-lo manualmente.

Antes de iniciar essa gestão, é necessária atenção a algumas etapas prévias, como a precificação correta dos produtos ou serviços oferecidos e a escolha da operadora da máquina de cartão. 

A antecipação de recebíveis oferece juros menores em comparação com as outras modalidades de crédito, mas isso não exclui a necessidade de uma pesquisa por parte do empreendedor. O Sebrae orienta fazer uma análise sobre as taxas praticadas pelas instituições financeiras para avaliar os impactos nas transações.

A gestão deve ser realizada a partir do controle de informações como montante, juros, previsão de fluxo de caixa, valores e prazos de contas a receber. A eficiência desse trabalho auxilia na saúde financeira, na tomada de decisões, na manutenção das operações e na longevidade do negócio.

Comentários