O mercado financeiro de criptoativos vem se expandindo de maneira significativa no Brasil. Entretanto, a falta de informações compreensíveis para o público que está iniciando sua jornada acaba deixando investidores inexperientes com receio de entrar no meio.

É por esse motivo que a Wuzu, em parceria com a Juros Baixos, elaborou este conteúdo. Vamos explicar com clareza como você pode iniciar seus investimentos em criptomoedas, prevenindo-se contra golpes de arbitragem. 

Mas, antes disso, vamos conhecer alguns conceitos básicos:

O que são criptomoedas?

Criptomoedas, de uma forma resumida, são moedas digitais protegidas por criptografia. Elas surgiram no mercado como uma alternativa à moeda tradicional após a crise econômica de 2008, porém, só começaram a ter notoriedade no mercado nos últimos anos.

Uma das grandes vantagens desse tipo de moeda é que ela é descentralizada, ou seja, não está ancorada a governos ou instituições federais, tendo seu valor atribuído à oferta e à demanda dos investidores. 

Mas calma aí: como as criptomoedas são seguras se elas não estão conectadas a um governo? A resposta para isso se encontra em um termo chamado “blockchain”.

Blockchain

O sistema que garante a segurança nas transações das criptomoedas é o blockchain. Ele pode ser pensado como um livro contábil que faz os registros – em criptografia -– de todas as transações realizadas com moedas digitais,  mantendo-se inviolável e imutável, o que garante segurança e transparência nas negociações. 

Por meio do blockchain, é possível traçar a trajetória de um ativo desde sua primeira venda e verificar a autenticidade das transações no sistema de blocos que o constituem. É por conta dessa tecnologia que investir em ativos digitais é considerado seguro.

Exchanges

As negociações de criptomoedas podem acontecer por intermédio das exchanges, que funcionam de forma parecida com a das corretoras de valores tradicionais.

Cada exchange possui taxas de operações diferentes e pesquisar quais oferecem os melhores benefícios e suporte é importante para que você escolha as que trazem mais opções de venda e compra, além de propiciar confiança sobre onde você está colocando seu dinheiro.

A compra e venda de criptomoedas pode ser realizada em diferentes exchanges, desde que elas negociem o mesmo tipo de ativo. Se você compra, por exemplo, um bitcoin e quer vendê-lo, é possível fazer isso em outra corretora que também negocie essa criptomoeda. 

O que é arbitragem de criptoativos?

A arbitragem de criptoativos é o processo de comprar criptomoedas em uma corretora por um preço mais baixo e revendê-las em outra por um valor mais alto. Nesse processo de trading, a diferença entre preços de compra e venda caracteriza lucro na transação. 

Esse tipo de negociação se tornou, para muitos, uma forma mais consistente de ganhar dinheiro, pois a volatilidade das criptomoedas é um fator extremamente atrativo. A arbitragem não é uma estratégia restrita ao mercado de criptoativos, sendo utilizada inclusive com moedas fiduciárias. 

Como a arbitragem funciona no criptomercado 

De forma simplificada, basta você procurar o valor mais baixo de uma criptomoeda em uma exchange e encontrar outra na qual a cotação esteja mais alta ou, ainda, utilizar robôs de arbitragem, que se conectam à sua carteira e realizam essas operações de forma automatizada. 

Apesar de parecer uma negociação relativamente fácil, para realizar a arbitragem, tanto manualmente quanto com o uso de robôs, é preciso muito estudo e conhecimento de mercado – ou você poderá correr o risco de cair em um golpe. 

Como acontecem os golpes de arbitragem?

As principais características que demonstram um possível golpe de arbitragem geralmente envolvem lucros irreais em períodos muito curtos de tempo. Muitos sites prometem rendimentos acima da média com ganhos praticamente instantâneos. Exemplos como esse exigem atenção, pois podem fazer parte da estratégia de golpistas.

Golpes de arbitragem não estão limitados apenas a exchanges falsas ou links que comprometem suas informações pessoais. Em situações de negociações P2P (entre usuários), também é possível que você pague por ativos e nunca os receba. É muito importante sempre buscar referências sobre os vendedores nesses casos. 

Cuidados a se tomar

Muitas pessoas ainda caem em golpes de arbitragem,  seja por inexperiência  ou pela promessa de lucros rápidos. Uma das melhores maneiras de evitá-los, além de reconhecer seus sinais, é estudar sobre o funcionamento do mercado e  suas características. 

A seguir, alguns cuidados que podem ser tomados para evitar  golpes: 

1.  Desconfie de anúncios que ofereçam ganhos irreais

Ao se deparar com propagandas de plataformas que proporcionam lucros fora da curva do mercado (e da realidade), fique de olho. Boa parte dos golpes de arbitragem se encontram nesse tipo de estratégia, que busca atrair investidores com pouco conhecimento sobre o mercado e muita sede por lucros. Lembre: para ter retorno nos investimentos, o tempo é essencial.

2. Verifique a confiabilidade da exchange na qual você vai investir

 Você não guarda o dinheiro que poupou em um banco desconhecido, então porque faria isso com seus investimentos em criptomoedas? Hoje em dia, com uma pesquisa simples na internet é possível verificar as corretoras que possuem as melhores referências, além de conferir a lista completa das taxas e dos benefícios que elas oferecem. 

3. Acompanhe fóruns sobre o assunto

Existem inúmeros fóruns, blogs e canais no YouTube que acompanham o mercado de criptoativos e tornam mais acessíveis as informações sobre ele. Se você quer aprender mais sobre como o mercado funciona, investimentos, tecnologia e também riscos, essa é uma boa opção. Não se esqueça de seguir a dica 2 e verificar se os canais de informação que você encontrou são confiáveis. 

4. Cuidado ao compartilhar informações pessoais 

É comum investidores interessados em criptomoedas compartilharem informações sobre transações para tirar dúvidas e aprender mais. Entretanto, é preciso ter muita cautela ao fazer isso. Quando disponibilizamos dados pessoais em plataformas não verificadas ou fóruns de internet, pessoas mal-intencionadas podem copiá-los. 

     

Comentários