Precisando de um empréstimo? Pois é importante saber que existem vários tipos de empréstimo no mercado, e um deles deve ser o ideal para você.

Por isso, é preciso avaliar bem cada um dos empréstimos que você pode contar. Será preciso avaliar juros, o banco, as condições de pagamento, prazo e mais.

Nós contamos tudo que você precisa saber sobre o assunto ao longo deste artigo. Continue lendo!

Quais os tipos de empréstimos disponíveis?

É essencial escolher o empréstimo mais adequado para sua necessidade. Para ajudar, apresentamos a seguir os principais empréstimos do mercado, suas vantagens e situações em que eles são mais indicados. Acompanhe!

1. Crédito pessoal

O primeiro tipo de empréstimo, e mais comum, é o empréstimo pessoal. Ele é oferecido por diversas financeiras e bancos e, muitas vezes, têm aprovação bastante simples.

Porém, é feita uma análise de crédito do consumidor antes da liberação do crédito. Para clientes com score baixo, pode não ser a melhor opção de empréstimo, pois os juros cobrados serão altos.

De qualquer forma, a taxa de juros deste tipo de empréstimo costuma ser alta. Inclusive se comparado a um financiamento, que é outro tipo de crédito comum no mercado.

A vantagem do crédito pessoal é que você poderá ter sua aprovação inclusive online. Ele é indicado para quando você precisa de dinheiro mais rápido, para pagar dívidas, por exemplo. Porém, é um crédito caro.

2. Empréstimo com garantia

O empréstimo com garantia também também é chamado de refinanciamento. Para obtê-lo, você vai ceder ao banco um bem que é seu, como garantia.

Pode ser um carro ou um imóvel. Esse bem vai servir para o pagamento do empréstimo caso você não mantenha as parcelas em dia.

Claro, antes de “tomar” o bem, o banco vai negociar a dívida com você. O objetivo não é lhe tirar o imóvel ou carro, mas ter o empréstimo pago como acordado na hora que você assinar o contrato.

O importante é que, por causa dessa garantia, você pagará juros mais baixos. Portanto, esse é um tipo de empréstimo mais barato.

O empréstimo com garantia é indicado para quem precisa de um empréstimo em alto valor. Assim, oferecendo o bem como garantia, será mais simples obter o crédito necessário, e a um baixo custo.

3. Empréstimo consignado

O empréstimo consignado é outra opção de empréstimo barato. Isso porque, para seu pagamento, o banco vai descontar os valores direto da conta do cliente.

Ou seja, é um pagamento compulsório. Logo, o banco tem maior segurança de que vai receber pelo empréstimo. Então, cobra juros mais baixos.

Esse tipo de empréstimo está disponível para aposentados e pensionistas do INSS e funcionários públicos. Assim como para trabalhadores contratados por CLT e para membros das Forças Armadas do Brasil.

É uma boa alternativa para quem quer ter maior controle das finanças. Afinal, você não conseguirá deixar de pagar uma parcela.

Mas é essencial fazer bem as contas. O valor mensal que será pago ao banco não pode prejudicar sua qualidade de vida. Atenção a isso!

Geralmente, o empréstimo consignado tem valores mais baixos. Então, pode ser o crédito para pagar por uma viagem, festa de casamento ou outros. Mas também existem bancos que oferecem crédito consignado mais alto.

4. Crédito consolidado

Um empréstimo consolidado é aquele que une todas as dívidas que você tem no banco em uma só.

Imagine que você trabalhe, em um mesmo banco, com cartão de crédito e cheque especial. Em vez de pagar essas dívidas separadamente, você pode verificar se o banco tem crédito consolidado.

Assim, a instituição vai unir as dívidas e você vai pagar por elas com uma única taxa de juros. Pode ser uma opção para baratear as taxas cobradas, além de organizar as finanças. Afinal, é mais fácil ter controle de uma só dívida, em vez de precisar acompanhar várias delas.

5. Antecipação do 13º salário

Você, com certeza, já viu propagandas e publicidades com essa opção de empréstimo. A antecipação do 13 consiste no empréstimo em que você recebe o crédito agora, e paga quando o 13º salário for pago a você no fim do ano.

Esse é um acordo em que você poderá se comprometer a pagar o crédito na data, ou ainda estabelecer um débito automático.

Assim, quando o benefício chegar à sua conta, o banco poderá debitar o valor para quitar o empréstimo realizado.

Essa pode ser uma boa opção de empréstimo para quem precisa de dinheiro imediatamente. Afinal, ela funciona de modo parecido ao empréstimo com garantia, que apresentamos antes.

Ou seja, o banco tem mais segurança de que vai receber pela dívida, pois vocês estabeleceram um prazo de pagamento com uma renda prevista.

Mas atenção: tenha a certeza de ter o dinheiro para o pagamento quando seu 13º chegar. Fazer novas dívidas contando com o valor pode fazer o débito virar uma bola de neve.

Nesses casos, com dívidas e juros se acumulando, manter todas as contas em dia deve se tornar um problema.

Atenção especial ao cartão de crédito. No fim do ano, as compras costumam ser mais frequentes. Se você se esquecer do empréstimo tomado e gastar muito, não vai conseguir pagar o cartão. O cartão de crédito tem uma das taxas de juros mais altas do mercado e pode gerar enorme dor de cabeça.

Qual a diferença entre empréstimo e financiamento?

A maior diferença entre um empréstimo e um financiamento é que, no empréstimo, você não precisa “dizer” ao banco para o que precisa do dinheiro.

Ou seja, não é preciso ter um objetivo definido. Você obtém o crédito e utiliza-o como achar melhor.

Já em um financiamento, o bem que será adquirido já fica definido. Você faz um financiamento de imóvel, financiamento de carro e assim por diante.

Além disso, as taxas de juros de um empréstimo costumam ser bem mais altas do que as taxas de um financiamento.

Como funcionam os custos de um empréstimo?

O primeiro custo de um financiamento normalmente é a tarifa de cadastro. Ela é um valor cobrado pelo banco para cadastrar o cliente e permitir que ele tenha acesso ao financiamento.

Além dela, costuma ser cobrada taxa para Seguro. Assim, se o cliente vier a óbito ou ficar desempregado, por exemplo, o Seguro poderá pagar as parcelas do empréstimo. Dessa forma, os juros não vão se acumular.

Também há a Taxa de Juros Nominal, que é o valor que remunera o banco pelo empréstimo. Ou seja: na hora de pagar pelo empréstimo, você quita para o banco o quanto pegou emprestado, mais determinado valor. Esse valor extra é calculado pela taxa de juros mensal, paga em cada parcela.

Dentro de um empréstimo, também é cobrado o IOF. O IOF é o Imposto sobre Operações Financeiras, obrigatório em qualquer empréstimo.

Comparar todas essas taxas na hora de obter um empréstimo pode dar trabalho. Para facilitar o processo, a dica é avaliar o Custo Efetivo Total (CET) das suas opções de empréstimo. O CET soma todas as taxas que apresentamos. 

Quando vale a pena pegar um empréstimo?

Vale a pena pegar um empréstimo em duas situações:

  1. Quando você tem uma dívida mais cara;
  2. Quando você não tiver outra opção.

Isso porque, um empréstimo tem taxa de juros muito alta. Então, você vai acabar pagando muito caro pelo crédito. Então, geralmente é melhor procurar por outra alternativa.

Quando você já tem uma dívida com juros altos, o empréstimo pode substituí-la. Ou seja, você vai obter o empréstimo, pagar a primeira dívida, e então vai ter apenas o novo débito para quitar.

Costuma ser uma boa opção, por exemplo, em caso de dívida no cheque especial. Ou mesmo dívidas acumuladas no cartão de crédito.

Nessas situações, os juros do empréstimo, mesmo que altos, costumam ser mais baixos que os das outras dívidas. Logo, vale a pena fazer a “troca”.

Agora, se não for essa a situação, procure por outras alternativas. O consórcio, por exemplo, é uma opção mais barata de crédito.

Também há o financiamento, o empréstimo consignado e outros. Vale a pena comparar suas alternativas antes de decidir qual a melhor para você.

Como e onde contratar empréstimo

Na hora de contratar um empréstimo, é importante comparar várias opções. Não apenas de tipo de empréstimo, mas também entre bancos.

As várias alternativas disponíveis no mercado têm juros e condições diferentes. Uma boa pesquisa e comparação vai ajudar a escolher o empréstimo mais vantajoso ao seu caso.

Inclusive, vale a pena utilizar simuladores de empréstimo, como do Juros Baixos. Com eles, você conseguirá fazer tudo online.

Então, basta inserir informações básicas e fazer a simulação. A ferramenta vai apresentar todas as informações que você precisa para avaliar as principais opções de empréstimo.

Assim, você terá mais dados para comparar e vai conseguir encontrar o crédito mais interessante ao seu objetivo.

Conclusão

O empréstimo pode ser uma boa opção de crédito para quem não quer, ou não pode obter outras opções de crédito, como um financiamento.

Mas é preciso muita atenção na hora de escolher o tipo de crédito e a empresa com a qual você vai assumir um contrato.

Tenha a certeza de que a opção é a melhor para você, e que a empresa é de confiança. Assim, você vai evitar dores de cabeça no futuro. Fazer simulações, inclusive online, pode facilitar o processo e garantir a você o melhor negócio possível.

Comentários