O cenário que vivemos, marcado pela pandemia e pelo delicado cenário econômico, acaba fazendo do crédito algo extremamente necessário para boa parte de pessoas e empresas aqui no Brasil. De acordo com o Banco Central, o mercado de crédito cresceu 15,5% em 2020.

Porém, ao mesmo tempo que o crédito é fundamental para muitas pessoas e empresas, ele também acaba sendo inacessível ou com taxas de juros elevados, podendo contribuir para um endividamento ainda maior caso ele não seja bem utilizado. De acordo com o Relatório de Economia Bancária de 2019, 81% dos ativos totais do segmento bancário comercial estão concentrados nas cinco maiores instituições financeiras do país. 

Fintechs: uma alternativa aos serviços financeiros tradicionais

Para mudar essa concentração dos serviços bancários como um todo, as fintechs surgem como alternativas, unindo soluções financeiras e tecnologia. De acordo com o Distrito Dataminer, o Brasil já possui mais de mil fintechs, sendo estas trazendo soluções das mais variadas categorias: crédito, investimentos, finanças pessoais, cartões, fidelização, criptomoedas, meios de pagamentos, seguros, gestão financeira, dentre outras.

As fintechs de crédito são startups que oferecem soluções como empréstimos e financiamentos, para pessoas físicas e empresas. De acordo com o Distrito Dataminer, o Brasil já conta com mais de 142 iniciativas nesta categoria.

Podemos classificar as fintechs de crédito nas seguintes subcategorias:

  • Oferta Direta
  • Peer-to-Peer (P2P)
  • Antecipação
  • Marketplaces

Fintechs de Crédito: Oferta Direta

De acordo com a resolução nº 4.656, feita em 2018 pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), as Sociedades de Crédito Direto (SCD) são soluções que realizam operações de crédito, por meio de plataformas eletrônicas, com recursos próprios. 

Nesta categoria, os potenciais clientes são selecionados com base em critérios consistentes, verificáveis e transparentes, com uma completa avaliação do risco de crédito.

Fintechs de Crédito: Peer-to-Peer

As fintechs de crédito Peer-to-Peer (P2P), classificadas como Sociedades de Empréstimo Entre Pessoas (SEP) pela resolução 4.657 do CMN, realizam operações de crédito entre pessoas. A fintech é responsável por intermediar a relação entre tomadores de crédito e investidores (estes de maneira coletiva). Ou seja, neste caso, os recursos são de terceiros.

Fintechs de Crédito: Antecipação

As fintechs de antecipação são soluções voltadas aos negócios, que permitem a antecipação de recebíveis. Documentos como notas fiscais, duplicatas e boletos, que possuem vencimentos em datas futuras, são aceitos para antecipação dos valores a receber por parte das empresas, com a cobrança de uma taxa.

Fintechs de Crédito: Marketplaces

Os Marketplaces de crédito, como é o exemplo do Juros Baixos, são plataformas em que centralizam-se diversas instituições financeiras que oferecem crédito, e, por meio de um único cadastro e simulações, o interessado no crédito possa pesquisas as propostas que lhe atraiam mais, economizando tempo.

Ou seja, estamos num momento que, além de instituições tradicionais, é possível buscar empréstimos e financiamentos em outras soluções. O importante é o planejamento financeiro e a pesquisa para encontrar as melhores condições para você e para a sua empresa.

Victor Barboza

Especialista financeiro fundador da GFCriativa e co-fundador da Fincatch

Comentários