Powered by Rock Convert

A era digital definitivamente chegou e, com ela, surgiram também algumas facilidades que, certamente, eram inimagináveis tempos atrás. Exemplo é o que está acontecendo no mercado financeiro, onde empreendedores, muitas vezes, nem precisam sair do conforto da empresa para adquirir empréstimos em instituições bancárias ou financeiras.

E olha que são muitas as possibilidades de crédito ofertadas por meio de plataformas digitais, inclusive para os chamados microempreendedores individuais (MEIs). E há uma tendência de desburocratização do serviço de empréstimo, por meio de tecnologias que permitem uma maior eficiência na oferta e, consequentemente, maior grau de satisfação de quem contrata.

Outra boa notícia é que com a onda dos bancos digitais, há muito mais players disputando fatias desse bolo e, nesse caso, a competitividade pode ser um instrumento de grande auxílio para empreendedores que precisam de dinheiro para alavancar seus negócios, mas não querem pagar taxas abusivas de juros.

Variáveis

Mesmo assim, muitos empreendedores ainda se perguntam o porquê da alta cobrança de taxas em um momento no qual a inflação está sob controle e a taxa Selic permanece em 6,5% ao ano há um bom tempo, a partir de decisões do Banco Central (BC). Mas há outros fatores avaliados que vão além dessas taxas e da concorrência entre bancos, entre eles destacam-se a falta de poupança no país, a forte cobrança de tributos e de recolhimentos compulsórios que o governo impõe aos bancos e, principalmente, a inadimplência. Como o Cadastro Positivo ainda engatinha, não se percebe ainda uma distinção entre bons e maus pagadores e todos acabam sendo prejudicados.

Os bancos e financeiras sabem disso e têm procurado, com novas tecnologias, ter um desenho mais correto do perfil de quem empresta, a fim de oferecer condições mais vantajosas para esse cliente. Outra questão já entendida pelas instituições é que não basta apenas emprestar por emprestar, razão pela qual o mercado tem apresentado, cada vez mais, modalidades de crédito que visam um longo prazo, apoiando a criação ou incremento de negócios produtivos.

O Banco Original, por exemplo, oferece o Capital de Giro, indicado para atender as necessidades imediatas de recursos, adequar fluxo de caixa, obter financiamento para produção ou simplesmente pagar despesas como salários e impostos. Além disso, por meio do Conta Garantida, é oferecida uma linha de crédito rotativo para equilibrar o fluxo de caixa ou qualquer outra necessidade da sua empresa. Esta modalidade permite a liberação de recursos na hora, até o valor do limite estabelecido pela instituição e a amortização da dívida, quando o cliente quiser, havendo incidência de juros conforme os dias e valores utilizados.

Cuidados

Porém, é preciso ter alguns cuidados na hora de contrair empréstimo e não basta apenas olhar para a taxa de juros. A recomendação é para que o cliente peça que a instituição financeira informe o CET (Custo Efetivo Total) do empréstimo, definido pela soma de todos os encargos, juros e despesas envolvidas na operação. Assim, é possível saber, na realidade, O quanto será o valor total a pagar sobre o valor contratado.

Há algumas instituições que permitem ao cliente fazer as simulações, já com o valor do CET. Essa transparência em relação aos valores envolvidos na operação, mostrando todas as taxas, tarifas e impostos envolvidos, deve ser levada em conta pelo cliente, que também precisa ser auxiliado durante todo o processo de entrada, análise, decisão e contratação do crédito.

Powered by Rock Convert

Escrever comentário

Shares