Precisando negociar uma dívida mas não sabe se a empresa realmente atende sua necessidade?

Aqui no Juros Baixos avaliamos as principais empresas e serviços oferecidos para que você tenha ainda mais segurança e praticidade ao negociar sua dívida.

Veja abaixo o que iremos abordar nesse texto:

  • Como negociar as dívidas
  • Como quitar as dívidas com banco
  • O que acontece se a dívida com o banco não for paga?
  • Outras opções para quitar sua dívida com banco
  • Conclusão

E não deixe de conferir nossa página de negociação de dívidas para conferir como negociar dívidas com diversas empresas: https://jurosbaixos.com.br/negociar-dividas

——-

Precisando negociar sua dívida no banco? Neste conteúdo, contamos como fazer e qual a melhor alternativa para quitar o débito.

Afinal, sabemos que muita gente anda endividada. Só que manter os valores em aberto pode trazer vários problemas.

Como juros altos, que tornam os valores maiores, e dificuldade de crédito no mercado. Para evitar isso, basta seguir as dicas que trouxemos a seguir.

Como negociar as dívidas

Para negociar suas dívidas no banco, você precisa entrar em contato com a instituição e se mostrar disposto ao pagamento.

Esse contato pode ser feito por telefone, pessoalmente ou mesmo pela internet. Cada banco tem seu próprio canal, então é importante conferir o que a empresa oferece.

Na hora da negociação, você pode começar dizendo do seu desejo de parcelamento. Então, o banco poderá apresentar uma proposta.

Você não precisa aceitar essa primeira proposta. Aliás, é essencial não fazer isso se ela não couber no seu orçamento. Aceitar uma negociação e depois não conseguir pagar os valores pode trazer várias dores de cabeça e dificuldades de renegociar depois.

Então, argumente com a empresa e seja sincero sobre o que você pode assumir. Assim, você poderá obter uma boa negociação e quitar tudo em dia.

Como quitar as dívidas com banco

Como explicamos, é importante aceitar uma negociação com o banco que caiba no seu orçamento. Para ajudar você nessa tarefa, listamos algumas dicas abaixo. Acompanhe.

Seja realista nos cálculos

Antes mesmo de entrar em contato com o banco para negociar, você deve organizar o orçamento. Comece anotando sua renda e seus gastos mensais, de modo detalhado.

Esse cuidado vai facilitar perceber o quanto você pode se comprometer a gastar para pagar a dívida com o banco.

Estabeleça metas para o pagamento

Assim que você se organizar, será hora de estabelecer metas. Do quanto você vai gastar mensalmente para o pagamento, e por quanto tempo o parcelamento é necessário.

Anote tudo e deixe essas informações por perto na hora de negociar com a empresa. Dessa forma, será mais simples entender se o que o banco ofereceu é mesmo o que você precisa.

Compare opções de renegociação

Existem vários tipos de acordos para o pagamento de dívidas. Vale a pena compará-los para escolher o mais interessante ao seu caso.

Pode ser possível, por exemplo, parcelar os valores no cartão de crédito. Ou ainda, optar pelo débito automático, boleto bancário ou outro.

Tenha a certeza de que o método escolhido é simples e que combina com sua realidade.

Priorize dívidas com juros mais altos

Se você tem várias dívidas em aberto, escolha a que tem juros mais caros para quitar primeiro. Isso vai evitar que os juros tornem a dívida muito maior e mais difícil de pagar.

Depois de negociar essa primeira dívida, então, você poderá avaliar as demais e conferir se seu orçamento permite novos pagamentos.

Outra dica é tentar negociar vários débitos juntos, se eles forem do mesmo banco. Mostrando disposição para quitar tudo, a empresa tende a oferecer a você condições melhores.

Faça uma autoavaliação financeira

Não se esqueça de, depois de negociar a dívida, avaliar seu orçamento e controlá-lo. Você precisa conhecer suas finanças para evitar que novas dívidas se acumulem.

O que acontece se a dívida com o banco não for paga?

Quando uma dívida no banco não é paga, você pode, por exemplo, ter seu nome inscrito no SPC ou Serasa. Esses órgãos de proteção ao crédito são consultados pelas empresas na hora de uma venda ou financiamento, por exemplo.

Significa que, com seu nome inscrito no SPC, pode ser bem mais difícil conseguir dinheiro quando você precisar. Ou mesmo comprar algo a prazo. 

Ao fazer a negociação com o banco e pagar a primeira parcela acordada, seu nome será removido dos órgãos de proteção. Porém, se a dívida não for paga novamente, sua inscrição no SPC ou Serasa pode voltar.

Outra consequência de não quitar o débito é que suas relações com o banco podem ficar abaladas. Primeiro, a empresa não vai estar muito disposta a oferecer a você novos créditos.

Ao mesmo tempo, ela terá condições mais rígidas em uma nova negociação. Pode, por exemplo, não abrir mão dos juros, nem garantir um novo prazo. Afinal, ela não terá mais tanta confiança no pagamento.

Outras opções para quitar sua dívida com banco

Prefere outros modos de quitar sua dívida, em vez de renegociar com o banco? Pois existem alternativas que podem ser, inclusive, mais baratas.

Transferência de dívida

A transferência de dívida nada mais é do que transferir um financiamento para outra pessoa. É algo comum em financiamentos de carro e de imóvel.

Ou seja, sem poder pagar os valores, você vende o bem para outra pessoa. Então, recebe apenas aquilo pelo que já pagou no financiamento.

Ao mesmo tempo, o valor em aberto da dívida passa a ser responsabilidade de quem comprou seu bem.

Um exemplo: um carro de R$ 50 mil, que você financiou e pagou apenas R$ 23 mil. Ao vender o veículo para outra pessoa, ela vai pagar a você apenas esses R$ 23 mil. Os R$ 27 mil restantes ela vai quitar ao banco, em parcelas, ao assumir a dívida transferida.

Portabilidade bancária de dívidas

Fazer a portabilidade bancária de dívida significa levar o débito para um novo banco. Um banco com taxas mais baixas e condições mais atrativas, que podem facilitar seu pagamento.

Para isso, você precisa encontrar um banco que aceite a dívida. Então, você vai solicitar à credora atual que faça a transferência, e o primeiro banco vai quitar os valores com ela. 

Logo, você terá assumido um compromisso com o novo banco, quitando as parcelas combinadas daqui para a frente.

Conclusão

Planejamento é a chave para negociar a dívida com o banco, e depois não fazer vários débitos.

Isso significa que você deve cuidar do seu orçamento. Sabendo o quanto você ganha, quanto gasta, quais suas perspectivas financeiras e mais.

Com esse tipo de cuidado, fica mais simples arcar com os compromissos e evitar dores de cabeça. Você pode usar uma planilha para se organizar, por exemplo. Também existem apps de organização financeira disponíveis, que podem ser boas alternativas.

Comentários