Powered by Rock Convert

Confira como conseguir crédito para seu pequeno empreendimento.

O MEI tem certa facilidade para conseguir crédito para investimentos.

Ao se formalizar como MEI (microempreendedor individual), os novos empreendedores encontram algumas facilidades no mercado para conseguir crédito. Leis aprovadas pelo governo incentivam as instituições financeiras a oferecerem linhas de créditos específicas para a categoria. Você pode ter ótimos retornos com como pessoa  jurídica.

As três principais linhas de créditos para MEI no Brasil são oferecidas por bancos públicos, são eles: Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil e BNDES ( Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social). Mas antes é necessário abrir uma conta bancária como pessoa jurídica. 

Condições para MEIs conseguirem crédito

Apesar de ser mais fácil, nem sempre conseguir crédito para seu pequeno empreendimento é uma tarefa simples. Assim como acontece com empresas de outro enquadramento, os bancos fazem uma análise completo das condições da sua empresa antes de aprovar ou não, a liberação de crédito.

O crédito só costuma ser liberado para empresas que sejam mais seguras, ou seja, que demonstrem um plano de negócios estruturado para que a instituição avalie e entenda que o empreendedor tem totais condições de pagar a dívida dentro do prazo estabelecido.

É importante frisar que o dinheiro obtido com os bancos devem ser aplicados no seu negócio. Ao optar por qualquer linha de crédito, você estará contraindo um empréstimo, ou seja, você adquire uma dívida que tem de se pagar, para não prejudicar o seu negócio e sua vida pessoal.

Tenha uma noção do valor de crédito que você precisa e calcule um valor médio de rentabilidade que o empréstimo terá em seu negócio. Junte todos os documentos necessários, inclusive as planilhas de fluxo de caixa.

Como os microempreendedores têm um limite de faturamento considerado baixo para os bancos, é preciso montar que o seu negócio é rentável e principalmente que pode se tornar mais rentável, após aplicar o crédito como investimento. Como MEI, é preciso demonstrar as instituições financeiras que você tem condições de tornar sua empresa um grande empreendimento. Lembre-se que bancos estão atrás de lucro e só liberam crédito, caso eles avaliem que estão fazendo um bom negócio.

Confira quais são os documentos que o MEI deve apresentar para conseguir crédito nos bancos públicos citados acima:

Caixa Econômica Federal

É preciso apresentar os seguintes documentos: RG e CPF do MEI, CCMEI (Certificado de Condição do Microempreendedor Individual) e comprovante de residência do MEI. Também será preciso preencher uma ficha de cadastro disponibilizada pela própria Caixa.

Banco do Brasil

O BB cobra os seguintes documentos dos microempreendedores individuais: RG e CPF do MEI. CNPJ, CCMEI e comprovante de residência.

BNDES

No caso deste banco, o MEI pode conseguir o empréstimo solicitando o cartão BNDES. Com o documento, o microempreendedor pode buscar linhas de crédito específicas para pequenos negócios.

Com o cartão do BNDES, o MEI pode conseguir comprar uma certa quantidade de bens. O limite do cartão varia de acordo com o banco emissor do documento, que estipula o valor de acordo com a situação financeira da sua empresa.

Para fazer uso do cartão BNDES, o MEI deve ter uma conta em alguns destes bancos: Caixa, Itaú, Banco do Brasil, Bradesco, Banrisul, entre outros.

As obrigações tributárias do MEI

Uma vez feita a formalização como MEI (Microempreendedor individual), cujo ato de inscrição é gratuito, o empreendedor passará a pagar mensalmente a contribuição para o INSS na ordem de R$ 47,70 além do acréscimo de R$ 5,00 para prestadores de serviço ou 1 real para comércio ou indústria. O pagamento ocorre por meio do DAS (Documento de Arrecadação Simplificada), gerado por meio do Portal do Empreendedor do Governo Federal através do Carnê da Cidadania enviado pelos Correios. Destacamos que esses valores estão posicionados para o ano de 2018.

Além dos pagamentos mensais acima mencionados, o MEI também deverá contribuir para a Previdência Social, na importância de 5% sobre o Salário mínimo vigente, acrescido de R$ 1,00 de ICMS para o Estado (indústria, transportes de carga interestadual ou comércio) e/ou R$ 5,00 para o município, a título de Imposto sobre Serviços. Tais tributos vencem todo dia 20 e se recolhem dia DAS.

Além de promover a regularidade do empreendedor, ajudar a economia e agir na letalidade, o recolhimento dos impostos é importante para o microempreendedor individual porque ele tem acesso aos benefícios do INSS, como aposentadoria por idade, licença maternidade, auxílio-doença, dentre outros benefícios, desde que observadas as carências para cumprimento. Como as contribuições são indexadas no Salário Mínimo, a cada atualização do Salário Mínimo o valor das contribuições também se reajusta.

Se por algum motivo o contribuinte atrasar o recolhimento da DAS, ele deverá gerar uma nova guia, que já será atualizada com as combinações legais, que basicamente são a incidência de multa diária de 0,33% limitados a 2% e juros calculados pela SELIC proporcionais. Se ao final de 12 meses consecutivos o MEI não efetuar as contribuições e pagar a DAS, ele corre o risco de ter seu CNPJ cancelado, sem prejuízo de inscrição do débito na Dívida Ativa da União.

Powered by Rock Convert

Comentários

Shares