Powered by Rock Convert

Com a chegada do COVID-19 ao Brasil, medidas tomadas pelo governo e pelos bancos tentam amenizar os efeitos da crise. Entre elas, está a prorrogação do vencimento de dívidas de pessoas físicas e empresas em 60 dias pelos 5 maiores bancos do país e, por parte do governo federal, do diferimento de pagamento de impostos para empresas.

No post abaixo, listarei as principais iniciativas do Governo e dos Bancos tomadas até agora.

#1 – Governo – dinheiro direto para a população mais vulnerável

Beneficiários do INSS: 1ª parcela do 13º salário em abril e 2ª em maio.  Suspensão da exigência de recadastramento anual e comprovação de vida, por 4 meses (120 dias contados a partir de 18/03).

Novos Saques de FGTS: Valores não sacados do Pis/Pasep serão transferidos para o FGTS para permitir novos
saques

MEIs, Trabalhadores Informais e Desempregados: auxílio emergencial no valor R$ 200, por pessoa, durante três meses, para apoiar trabalhadores informais, desempregados e microempreendedores individuais (MEIs) que integrem família de baixa renda. Esse auxílio emergencial não pode ser acumulado com benefícios previdenciários, Benefício de Prestação Continuada (BPC), Bolsa Família ou seguro-desemprego.

Trabalhadores que recebem até dois salários mínimos: Aqueles que tiverem redução salarial e de jornada receberão uma antecipação de 25% do que receberiam mensalmente caso solicitassem o benefício do seguro-desemprego.

Abono Salarial: Anticipado para junho.

Bolsa Família: destinação de até R$ 3,1 bilhões para incluir mais de 1 milhão de pessoas no programa.

#2 – Governo – para micro e pequenas empresas (Manutenção de Empregos)

Pagamentos de impostos e contribuições foram postergados pelos próximos 3 meses, afim de dar algum alívio financeiro ao caixa das empresas, que devem experimentar quedas acentuadas em seus faturamentos enquanto as medidas de isolamento social perdurarem.

Dado que os micro e pequenos empresários são os maiores empregadores no Brasil, espera-se que essas medidas atenuem o número de falências e demissões, evitando um colapso econômico e social.

FGTS: Diferimento do prazo de pagamento por 3 meses.

Simples Nacional: Diferimento da parte da União por 3 meses.

Sistema S: Redução de 50% nas contribuições por 3 meses.

#3 – Ampliação do Crédito

Consignado para INSS: A taxa de juros passará dos atuais 2,08% ao mês para 1,80% ao mês, enquanto a taxa para o cartão de crédito será reduzida de 3% ao mês para 2,70% ao mês;

Bancos poderão emprestar mais: O governo abaixou a necessidade de capital próprio dos bancos para alavancagem. Assim, os bancos estão liberados para ter menos dinheiro em caixa para fazer operações de crédito. O  Ministério da Economia estima que a capacidade de concessão de crédito aumente em torno de R$ 637 bilhões.

#4 – Bancos – prorrogação de dívidas por até 60 dias

Segundo comunicado da FEBRABAN, “Os cinco maiores bancos associados – Banco do Brasil, Bradesco, Caixa, Itaú Unibanco e Santander – estão abertos e comprometidos em atender pedidos de prorrogação, por 60 dias, dos vencimentos de dívidas de clientes pessoas físicas e micro e pequenas empresas para os contratos vigentes em dia e limitados aos valores já utilizados.”

Pontos de atenção:

  • Não serve para novos contratos;
  • Só serve se você não tiver nenhuma parcela em atraso;
  • Não serve para dívidas em cartão de crédito ou cheque especial;
  • Não é para ir na agência!!! Contate o gerente pelo telefone ou meios eletrônicos;
  • Não tem nada a ver com contas de consumo (água, luz, boletos diversos, etc). É só para crédito;
  • Apenas nos 5 maiores bancos do país: Banco do Brasil, Bradesco, Caixa, Itaú Unibanco e Santander;
  • O prazo é de até 60 dias. Não quer dizer que você vá conseguir tudo isso, tem que negociar com o banco.

ATUALIZAÇÃO: BV Financeira tamb´´em aderiu ao movimento e prorrogará o pagamento das dívidas em at´´e 60 dias. Clique aqui para ver.

Fontes das Informações

FEBRABAN – Federação Brasileira de Bancos

Ministério da Economia – Confira as medidas tomadas pelo Ministério da Economia em função do Covid-19 (Coronavírus)

Ministério da Economia – Link para a apresentação exibida no vídeo

Powered by Rock Convert
Author

Economista pela FGV-RJ e assessor de investimentos (CPA-20). Apaixonado por educação financeira e microfinanças, é cofundador do jurosbaixos.com.br, site de comparação de crédito e portal de educação financeira. Em seu canal do youtube, explica o básico de finanças para leigos (youtube.com/jurosbaixos).

Comentários

Shares