Powered by Rock Convert

Os juros de um financiamento ou empréstimo costumam ser bastante altos. Tanto que um consumidor pode chegar a pagar até o dobro do que obtém com o banco! Se você pode aguardar um pouco mais pelo dinheiro, porém, o consórcio é uma alternativa para fugir dos juros.

O consórcio funciona por meio de um grupo de pessoas que contribuem, juntas, para uma espécie de poupança. Essa poupança é abastecida por parcelas mensais de cada consumidor. Se um consórcio for de R$40 mil, cada consumidor irá pagar parcelas que, ao fim do contrato, vão resultar em R$40 mil.

Como funciona um consórcio?

O diferencial do consórcio é que o consumidor não obtém o dinheiro imediatamente. Para tê-lo em mãos, é necessário que ele mantenha suas prestações em dia. Essa é condição para que cada usuário participe dos sorteios da carta de crédito, realizado mensalmente.

Uma carta de crédito corresponde ao valor total do consórcio – no exemplo citado anteriormente, a R$40 mil. Quando é sorteado, o consumidor recebe todo este dinheiro, e pode gastá-lo de acordo com o que desejar. Contudo, cada consórcio possui um objetivo diferente: se você possuir um consórcio de automóvel, deverá gastar sua carta com uma automóvel, e fica vetado de utilizá-la para outros bens.

Assim que recebe sua carta, o consumidor deve continuar a quitar suas parcelas mensalmente, até o fim do contrato. É isso o que vai garantir que o fundo do consórcio continue a ser abastecido, permitindo que outros indivíduos sejam contemplados.

Além disso, caso não quite suas parcelas, o consorciado pode ter seu bem “tomado” pela operadora de consórcio, de modo a quitar a dívida. Algo bastante semelhante ao que acontece em financiamentos comuns.

Por que o consórcio é uma alternativa para fugir dos juros?

Como citado, o consumidor precisa ser sorteado para receber o valor de que precisa. Seu sorteio pode ocorrer em qualquer momento entre o dia de assinatura do contrato e seu último dia de validade. Por isso, essa modalidade de financiamento só é indicada para quem não precisa do dinheiro automaticamente.

No entanto, o consórcio possui uma grande vantagem: não possui juros. Quando adere um plano, o consumidor paga, primeiro, o valor do bem dividido pelo número de prestações. Ou seja, em um consórcio de R$40 mil com 20 prestações, esse custo será de R$2 mil mensais.

Somado a esse valor, a operadora insere uma taxa de administração. Apesar de muitas pessoas acharem que ela se assemelha aos juros, isso não é verdade. Uma taxa de administração é muito mais baixa do que qualquer taxa de juros que o mercado de financiamentos oferece.

Ademais, a operadora pode cobrar uma taxa de fundo reserva. O fundo reserva é utilizado para o caso de inadimplência de algum consumidor. Afinal, é o pagamento em dia de cada cliente que garante que o fundo permaneça abastecido, para que a carta de crédito seja sorteada. Ao fim do contrato, os valores pagos para o fundo são parcialmente ou integralmente devolvidos ao consorciado

Viu só como o consórcio é uma alternativa para fugir dos juros? A opção pode ser um “respiro” ao seu bolso, mesmo quitando valores mensalmente. Solicite uma cotação!

Powered by Rock Convert

Comentários

Shares