Enjoou do carro e quer vendê-lo, mas não faz isso porque tem receio de perder os benefícios da sua seguradora? Não tem problema. A gente te ajuda a transferir o seu plano para um carro novo ou para outro nome.

Primeiro, transferir o seguro do carro para outro é ideal para aqueles que não querem cancelar o serviço e terem que pedir novamente. Muitas vezes, anos com a seguradora significa benefícios, promoções e alguns privilégios. É possível, por isso, realizar a transferência sem perder nada disso.

E não é coisa de outro mundo. Nesse caso, ele pode manter a mesma apólice e, simplesmente, validar para o carro novo. A ação é gratuita e bem simples. Ela pode ser feita por telefone, dependendo da seguradora.

Como transferir o seguro auto para um carro novo

É necessário que você entre em contato com a sua seguradora. Se não tiver o número, peça para o seu corretor, aquele quem fez o seguro do seu automóvel. Ele vai te informar os meios de comunicação para contatar a seguradora.

Feito isso, será necessário informar o novo carro, uma vez que o valor do seguro varia de acordo com o modelo, o ano de fabricação, a marca do veículo e o perfil de cada contratante. Geralmente, perfis com um risco elevado pagam um valor proporcionalmente maior.

A atendente, então, irá recalcular o valor de sua apólice. Se for necessário, para regularizar a situação, será pago um valor excedente, que é a diferença entre o valor já pago e a apólice do carro novo. Como dito, isso é bem simples e um telefonema resolve a situação. Durante a mudança, é possível retirar ou acrescentar mais coisa na cobertura, dependendo, é claro, das condições do seguro.

Como transferir o seguro auto para outro nome

Agora, em outros casos, como transferir o seguro para outro nome, é um pouco mais complicado. E a transferência exige algumas etapas.

Primeiro, é necessário fazer uma solicitação de Transferência de Direitos e Obrigações (TDO). Na prática, é o documento solicitado, para transferir a apólice a outro nome. Ele deve ser preenchido e assinado pelo antigo dono, podendo demorar um pouco, uma vez que depende da disponibilidade do segurado. A TDO é disponibilizado pela própria empresa e não há custo para emiti-lo.

Depois, o novo dono do seguro apresentará os documentos ao corretor, como informações de residência, idade e ocupação, para ter as condições de risco avaliadas. Só, então, a apólice é concluída e aprovada. Às vezes, dependendo do perfil do novo segurado, ele terá que pagar um valor excedente. Sobretudo, quando o perfil difere bastante do antigo dono.

Transferência de bônus

Há, ainda, aqueles que têm direito a bônus. Geralmente, são segurados que estão há anos com a mesma empresa. Em troca, as seguradoras oferecem alguns benefícios pela fidelidade.

A notícia boa, nesses casos, é que a transferência de um carro para outro não invalida nenhum bônus conquistado até o momento da transferência. O motorista ainda tem o direito de desfrutá-los normalmente. O mais legal disso é que, caso há algum acréscimo no valor do seguro novo, é possível usar o bônus para abater na diferença. Isso porque os bônus pertencem ao cliente; não ao veículo.

Agora, caso a transferência seja para outro nome, isso vai depender de cada seguradora. Algumas admitem serem transferidos os bônus para o novo dono, mas outras não. É necessário consultá-la previamente. Os bônus também costumam ser repassados no caso de transferência entre pais e filhos e de cônjuges

Comentários