Viajar a trabalho ou lazer permite conhecer novos lugares, povos e culturas. É uma experiência estimulante, mas que exige certo grau de planejamento financeiro para que as boas lembranças não venham acompanhadas das dívidas.

Boa parte dos custos de uma viagem é relacionada com o transporte e qualquer redução nesse sentido é muito bem-vinda.

Parte 1: Escolhendo o destino

Na hora de escolher um lugar para passear levamos em conta muitos aspectos, mas jamais devemos esquecer da relação preço versus recursos disponíveis se quisermos manter o equilíbrio em nosso orçamento.

Cidades turísticas ou com atrações diferenciadas têm maior demanda de visitantes do que lugares comuns e, por isso, podem cobrar mais caro nos produtos e serviços oferecidos. Não que isso seja motivo para evitá-las, mas pesquisar previamente os valores de cada opção de entretenimento, hospedagens, alimentação, compras e transporte ajudará a adequar o custo total da viagem ao bolso do viajante.

Procure oportunidades na compra de passagens

A compra de passagens também pode ser mais econômica se for realizada em alguns dias e horários específicos em que as companhias aéreas realizam promoções.

Alguns sites especializados em viagens oferecem o serviço de alerta de preço para as pessoas cadastradas. Sempre que a tarifa de um trecho pré-determinado sofre redução, o cliente é avisado por e-mail ou mensagem de SMS. 

De olho na época da viagem

Um outro ponto a ser considerado é o período em que a viagem será feita. Isso porque a lei da oferta e demanda encarece demais os preços na alta temporada. Visitar a cidade do Rio de Janeiro durante o carnaval ou a capital paulista em um final de semana com Fórmula 1, por exemplo, é certeza de gastar até 3 vezes mais do que fazer a mesma visita em outras épocas do ano. Tudo isso sem contar as enormes filas e a falta de vagas em hotéis, estacionamentos e restaurantes.

Antecedência pode ser sua aliada

A antecedência sempre é amiga da economia quando falamos de viagens, já que tudo que é urgente custa mais caro.

O preço de passagens e reservas em pousadas é maior nos dias que antecedem um feriado ou uma data comemorativa. Com tempo de sobra é possível ainda fazer o seu próprio roteiro com passeios e visitas personalizadas, no horário de sua preferência e fugindo dos pacotes vendidos pelas agências de viagens, que são caros e inflexíveis.

Parte 2: Na cidade de destino

Pesquisar de maneira antecipada o mapa do local e as opções de mobilidade pode facilitar a vida do viajante que deseja reduzir seus custos com transporte. Atrações e pontos turísticos que estão próximos entre si podem ser inseridos no roteiro de um único dia, diminuindo a quilometragem a ser percorrida e, consequentemente, o gasto com locomoção.

Transportes alternativos

Quem vive em metrópoles gigantescas como São Paulo ou Cidade do México pode até se surpreender com o tamanho de outras cidades importantes do planeta.

Em Florença, na Itália, uma caminhada de apenas 1 km permite passar por três famosos pontos turísticos como a Ponte Vecchio, a Galleria degli Uffizi (um dos mais antigos museus do mundo) e a Catedral Santa Maria del Fiore, gastando apenas algumas calorias e a sola do calçado.

Aluguel de bikes

Distâncias um pouco maiores também podem ser percorridas sem gastar muito dinheiro. Cidades como Recife, Santiago, Paris, Nova Iorque, Turim e Londres oferecem serviços de aluguel de bicicletas a um custo bem acessível. Pegando como exemplo a capital chilena, é possível pedalar durante o dia pagando tarifas de aluguel que variam entre R$ 3,00 e R$11,50, dependendo do tempo de utilização da bicicleta.

Aplicativos de carona

Uma outra opção econômica para se locomover em viagens é fazer uso dos aplicativos de carona, que estão em franco crescimento graças a possibilidade de dividir os custos de uma corrida entre o proprietário do veículo e os passageiros. Atualmente a plataforma da empresa francesa BlaBlaCar disponibiliza viagens rodoviárias compartilhadas em 22 países (incluindo o Brasil), o que a torna a maior do mundo nesse segmento.

Transporte público

Não devemos descartar ainda as várias alternativas de transporte coletivo que podem ser mais acessíveis que os carros por aplicativo, veículos de locadora ou táxis e ainda oferecem a possibilidade de integração entre os modais rodoviário e ferroviário.

O turista que visita Salvador pode desfrutar de um sistema de transportes que virou referência nacional em integração, pois proporciona a combinação de percursos entre metrô e ônibus cobrando uma única tarifa do usuário e oferecendo várias opções de pagamento.

Quem não abre mão de viajar gastando pouco e ainda não conhece o leste europeu pode se surpreender na Estônia. Com um projeto que nasceu em 2013, a capital Tallinn se tornou uma das primeiras cidades europeias a oferecer transporte público gratuito. Seis anos depois, essa iniciativa já tinha reduzido em 10% a circulação de automóveis em ruas e avenidas.

Aluguel de veículos

Para quem está viajando com crianças, idosos ou pessoas com restrição de movimentos, pode ser inviável se locomover em bicicletas, pegando caronas ou com o transporte coletivo.

Nesse caso, vale a pena pesquisar preços promocionais para alugar um automóvel que atenda a necessidade da família, alguns sites e aplicativos permitem essa pesquisa. O Rentcars (rentcars.com) agrega veículos de diversas locadoras, aceita pagamento em até 12 parcelas e os carros a serem utilizados no exterior podem ser reservados com pagamento em moeda brasileira, o que reduz impostos

Aproveite sua viagem com economia

A viagem de quem se programa começa bem antes da data escolhida. Pesquisa de preços, busca por acomodações, definição de trajetos e seleção de pontos turísticos fazem com que o viajante esteja de alguma forma presente no local de destino, mesmo antes do embarque. E toda essa preocupação faz sentido, porque os passeios ficam muito mais gratificantes quando a chance de ocorrer um imprevisto é mínima. 

Calcular e comparar os custos das diversas opções de transporte, seja para chegar ao local desejado ou para circular por lá, é fundamental para manter os gastos da viagem dentro do orçamento e poder aproveitar os momentos de lazer com mais tranquilidade.

Cada real economizado com o uso inteligente dos transportes pode ser usado para comprar um souvenir, comer um prato típico da região visitada, conhecer uma nova atração ou simplesmente ajudar no orçamento da próxima viagem. Esse dinheiro ainda pode formar uma pequena reserva para emergências, já que o viajante está longe de casa e são várias as situações que podem demandar um recurso extra. 

Author

Somos uma plataforma de bem-estar financeiro. Em nosso blog falamos sobre finanças pessoais e produtos financeiros como empréstimo, cartão de crédito, seguros e negociação de dívida. A Juros Baixos está desde 2016 desenvolvendo conteúdos de qualidade para nossos seguidores. Acompanhe nossas redes sociais, canal no YouTube e entre para nossa comunidade no Discord.

Comentários